CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Tudo

Tudo tão nefasto, tão profundo
Tão silencioso
Como o oceano a perder de vista
Tão trágico
Na alegria do cego perdido
Tudo escuro, tão surreal
Como o pássaro que voa na alvorada
De uma solidão qualquer
Tudo tão estranho, tão assustador
Como a estrela vermelha de uma bandeira
Que não tremula no vento leste
Daquela tristeza intrínseca
Tudo tão caótico, tão sério
Como o marinheiro olhando o imenso vazio
Do qual está prestes a desbravar
Sem saber se um dia retornará
Tudo tão alegre, tão feliz
Como o passear de um ancião
Ante a correria de uma criança
Em uma praça qualquer
Tudo tão encantador, tão fugaz
Como o sorriso da donzela
Que não descobriu o amor
E nem por ele foi amaldiçoado
Tudo tão perfeito, tão certo
Como a brisa da manhã
Depois de uma longa noite de agonia
Do jovem solitário
Tudo tão apaixonado, tão louco
Como o lobo na estepe
Espreitando a presa ao longe
Sem saber que está sendo vigiado
Tudo é tão sem noção na vida
Sem sentido algum
Que apago de minha memória
Tudo aquilo que me fez sofrer
Tudo faz sentido
Quando olhamos no espelho
E não conseguimos enxergar o horizonte
Que nunca, em tempo algum, existiu.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

quarta-feira, agosto 7, 2019 - 20:08

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 horas 24 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 4176

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostasícone de ordenação Views Last Post Língua
Prosas/Outros O Bugre Cacerense 1 1.566 01/12/2010 - 04:22 Português
Prosas/Pensamentos Pecados na Noite Cacerense 1 800 03/01/2010 - 11:46 Português
Prosas/Lembranças Minha ex tentou me matar 1 479 03/19/2010 - 03:12 Português
Prosas/Pensamentos As razões de me tornar um criminoso 1 661 04/12/2010 - 22:15 Português
Prosas/Pensamentos Cidade sem Cabaré 1 722 04/29/2010 - 21:35 Português
Prosas/Drama Encontro fatal 1 1.645 08/02/2018 - 16:43 Português
Poesia/Meditação Ecce Homo 1 391 02/26/2018 - 13:30 Português
Poesia/Meditação Vida 1 786 01/13/2011 - 00:44 Português
Poesia/Amor Meu Coração 1 835 01/31/2011 - 01:08 Português
Poesia/Amor Não Fale de Amor 1 798 03/29/2011 - 19:11 Português
Poesia/Paixão Uma paixão pior do que mil mortes 1 1.136 05/04/2011 - 19:30 Português
Poesia/Desilusão Fim 1 1.195 05/06/2011 - 01:54 Português
Poesia/Tristeza Saudades 1 865 05/11/2011 - 22:53 Português
Poesia/Amor Como não sorrir 1 1.674 04/04/2018 - 22:05 Português
Poesia/Amor São tantos segredos 1 721 05/30/2014 - 22:25 Português
Poesia/Amor Quem ama ouve sempre a voz do amor 1 396 06/05/2014 - 04:38 Português
Poesia/Amor A vida segue o seu curso 1 472 06/07/2014 - 03:57 Português
Poesia/Meditação Todos os dias nos roubam uma flor 1 360 06/10/2014 - 18:36 Português
Poesia/Amor Juvenília 1 349 06/10/2014 - 18:20 Português
Poesia/Amor Parecia que era minha aquela solidão 1 430 06/10/2014 - 04:21 Português
Poesia/Meditação O maior amor do mundo 1 667 06/12/2014 - 04:47 Português
Poesia/Amor Apenas um olhar 1 327 06/13/2014 - 03:39 Português
Poesia/Amor Não existem palavras que possa descrever esse amor 1 516 06/25/2014 - 03:06 Português
Poesia/Amor Além da conquista 1 438 06/30/2014 - 00:36 Português
Poesia/Amor Cada minuto 1 402 07/14/2014 - 00:04 Português