CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Tudo

Tudo tão nefasto, tão profundo
Tão silencioso
Como o oceano a perder de vista
Tão trágico
Na alegria do cego perdido
Tudo escuro, tão surreal
Como o pássaro que voa na alvorada
De uma solidão qualquer
Tudo tão estranho, tão assustador
Como a estrela vermelha de uma bandeira
Que não tremula no vento leste
Daquela tristeza intrínseca
Tudo tão caótico, tão sério
Como o marinheiro olhando o imenso vazio
Do qual está prestes a desbravar
Sem saber se um dia retornará
Tudo tão alegre, tão feliz
Como o passear de um ancião
Ante a correria de uma criança
Em uma praça qualquer
Tudo tão encantador, tão fugaz
Como o sorriso da donzela
Que não descobriu o amor
E nem por ele foi amaldiçoado
Tudo tão perfeito, tão certo
Como a brisa da manhã
Depois de uma longa noite de agonia
Do jovem solitário
Tudo tão apaixonado, tão louco
Como o lobo na estepe
Espreitando a presa ao longe
Sem saber que está sendo vigiado
Tudo é tão sem noção na vida
Sem sentido algum
Que apago de minha memória
Tudo aquilo que me fez sofrer
Tudo faz sentido
Quando olhamos no espelho
E não conseguimos enxergar o horizonte
Que nunca, em tempo algum, existiu.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

quarta-feira, agosto 7, 2019 - 20:08

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 dia 19 horas
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 4307

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Paixão Amor que não cabe no coração 1 456 09/15/2010 - 03:05 Português
Poesia/Meditação Às Margens do Rio Paraguai II 1 500 08/27/2010 - 20:28 Português
Poesia/Amor Não sei explicar esse amor 1 485 08/25/2010 - 19:44 Português
Poesia/Amor Não sei explicar esse amor 1 514 08/25/2010 - 19:02 Português
Poesia/Desilusão Espelho 1 428 08/23/2010 - 22:07 Português
Poesia/Desilusão O que resta é a saudade 2 539 08/18/2010 - 21:44 Português
Poesia/Desilusão Ingenuidade 1 513 08/18/2010 - 16:22 Português
Poesia/Amor Seu lindo olhar 1 454 08/18/2010 - 02:49 Português
Poesia/Desilusão Os olhos da esperança se foram 1 587 08/16/2010 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos Abstração 1 554 08/13/2010 - 18:46 Português
Poesia/Canção Como uma chuva 2 369 08/11/2010 - 08:46 Português
Poesia/Fantasia O dia em que morri 2 499 08/10/2010 - 02:30 Português
Poesia/Amor Porque te amo 1 331 08/05/2010 - 21:40 Português
Poesia/Meditação Não jogue no lixo seu papel de cidadão 1 455 07/31/2010 - 19:23 Português
Poesia/Desilusão No mesmo caminho 1 521 07/30/2010 - 05:40 Português
Poesia/Paixão Seu Sorriso de Ontem a Noite 2 437 07/29/2010 - 05:50 Português
Poesia/Desilusão Caminhos 2 565 07/17/2010 - 23:23 Português
Poesia/Canção Como senti sua falta 1 357 07/15/2010 - 14:55 Português
Poesia/Paixão Noite de Amor Intenso 1 282 07/13/2010 - 04:39 Português
Poesia/Fantasia Intimidade 2 373 07/13/2010 - 04:35 Português
Poesia/Fantasia Beleza rara 1 760 07/05/2010 - 21:07 Português
Poesia/Meditação Lágrimas 1 508 06/24/2010 - 20:53 Português
Poesia/Meditação Cadáveres ambulante 1 2.709 06/23/2010 - 20:21 Português
Poesia/Desilusão Estranha sensação 1 315 06/22/2010 - 20:10 Português
Poesia/Dedicado Os poetas não morrem (Homenagem à Saramago) 1 511 06/18/2010 - 21:57 Português