CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Tudo

Tudo tão nefasto, tão profundo
Tão silencioso
Como o oceano a perder de vista
Tão trágico
Na alegria do cego perdido
Tudo escuro, tão surreal
Como o pássaro que voa na alvorada
De uma solidão qualquer
Tudo tão estranho, tão assustador
Como a estrela vermelha de uma bandeira
Que não tremula no vento leste
Daquela tristeza intrínseca
Tudo tão caótico, tão sério
Como o marinheiro olhando o imenso vazio
Do qual está prestes a desbravar
Sem saber se um dia retornará
Tudo tão alegre, tão feliz
Como o passear de um ancião
Ante a correria de uma criança
Em uma praça qualquer
Tudo tão encantador, tão fugaz
Como o sorriso da donzela
Que não descobriu o amor
E nem por ele foi amaldiçoado
Tudo tão perfeito, tão certo
Como a brisa da manhã
Depois de uma longa noite de agonia
Do jovem solitário
Tudo tão apaixonado, tão louco
Como o lobo na estepe
Espreitando a presa ao longe
Sem saber que está sendo vigiado
Tudo é tão sem noção na vida
Sem sentido algum
Que apago de minha memória
Tudo aquilo que me fez sofrer
Tudo faz sentido
Quando olhamos no espelho
E não conseguimos enxergar o horizonte
Que nunca, em tempo algum, existiu.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

quarta-feira, agosto 7, 2019 - 19:08

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 horas 12 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 4120

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação O Haiti não é aqui... 2 404 01/19/2010 - 21:23 Português
Poesia/Amor Um Amor Que Nasceu Forte 1 250 01/19/2010 - 17:38 Português
Poesia/Dedicado Lu ... Tipo ... Assim 2 410 01/14/2010 - 01:30 Português
Prosas/Outros O Bugre Cacerense 1 1.512 01/12/2010 - 03:22 Português
Poesia/Tristeza Voar e Ser Livre 6 450 01/12/2010 - 00:37 Português
Poesia/Amor Meu Coração 2 317 01/11/2010 - 21:35 Português
Poesia/Desilusão Vivo Cada Dia 6 692 01/10/2010 - 22:01 Português
Poesia/Tristeza Batidas do Coração 7 373 01/09/2010 - 05:09 Português
Prosas/Contos A Língua na Orelha 3 613 01/09/2010 - 04:20 Português
Poesia/Meditação Onde Estão Meus Amigos? 3 370 01/07/2010 - 21:56 Português
Poesia/Canção Quero Receber Teu Beijo 4 678 01/07/2010 - 14:45 Português
Poesia/Meditação Desejos de Ano Novo 1 475 01/01/2010 - 19:34 Português
Poesia/Alegria Sonhos de Fim de Ano 4 358 12/31/2009 - 07:40 Português
Prosas/Outros O Abismo é Vermelho 2 600 12/23/2009 - 00:38 Português
Poesia/Tristeza Por quem derrama suas lágrimas? 4 344 12/18/2009 - 22:36 Português
Poesia/Amor Preciso que você saiba 2 299 12/15/2009 - 01:33 Português
Poesia/Tristeza O Natal de Stone Halls 2 282 12/11/2009 - 13:31 Português
Poesia/Amor Sentimento 4 472 12/11/2009 - 05:00 Português
Poesia/Fantasia O Minhocão Existe 1 685 12/09/2009 - 18:27 Português
Prosas/Pensamentos O “espírito natalino” é uma tremenda farsa 2 671 12/07/2009 - 22:51 Português
Prosas/Pensamentos Um ano após aprovação da lei, Cáceres é outra cidade 1 332 12/07/2009 - 16:32 Português
Poesia/Tristeza A Dor 11 976 12/05/2009 - 10:59 Português
Poesia/Paixão O olhar que tens, menina linda 3 247 12/01/2009 - 23:28 Português
Poesia/Fantasia Esse Encontro 5 475 11/26/2009 - 03:21 Português
Poesia/Meditação Sonhos Revisitados 3 286 11/17/2009 - 19:49 Português