CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Vidas orquestradas.

Não Julgue por rótulos,
Não julgue por roupas,
Não julgue por nada!
Quem é você pra julgar alguém?

Não queira quem não o quer,
Não queira querer o que não precisa,
Não queira nada que não precise de fato!
Quem é você pra querer alguma coisa?

Não vote em esquerdistas liberais,
Não vote em pseudo-intelectuais,
Não vote se for preciso!
Quem é você pra eleger alguém?

Não queira para o outro
O mal que não desejas passar.
Não viaje sem de fato se ausentar,
Transporte a alma,
E deixe a matéria em seu devido lugar.

Não queira decifrado,
Você pode, e deve aprender a decifrar.

Não queira uma vida que não é a sua.
Queira a sua!
Para isso basta transformar
A vida que tens em um pássaro;
Daquele aguerrido, que voa sem medo,
Transforma um tenebroso obstáculo
Em um lindo arvoredo,
E adeja sempre traçando o próprio enredo.

E o principal:
Não espere pelo destino, faça-o!
E faça-o com maestria.
Pois você é o maestro
Da sua própria orquestra
Incessante que brada inquietante
Clamando por novos sons e tons.

Submited by

segunda-feira, abril 12, 2010 - 22:27

Poesia :

No votes yet

Brunorico

imagem de Brunorico
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 28 semanas
Membro desde: 03/05/2009
Conteúdos:
Pontos: 528

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Brunorico

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - 1025 0 1.133 11/24/2010 - 00:37 Português
Poesia/Desilusão Sonhos envelhecidos. 0 755 11/18/2010 - 16:27 Português
Poesia/Pensamentos Cá entre nós. 0 747 11/18/2010 - 16:17 Português
Poesia/Geral Vidas orquestradas. 0 634 11/18/2010 - 16:01 Português
Poesia/Geral O saudosista 0 725 11/17/2010 - 23:41 Português
Poesia/Geral Misantropo até a morte 0 777 11/17/2010 - 23:39 Português
Poesia/Geral Medo de acordar. 0 612 11/17/2010 - 23:39 Português
Poesia/Meditação Sapiência infantil. 0 560 11/17/2010 - 23:21 Português
Poesia/Meditação Conselhos de um eremita. 0 876 11/17/2010 - 23:20 Português
Poesia/Meditação Um morto perdido no tempo. 2 706 09/01/2010 - 01:45 Português
Poesia/Meditação A bagagem da maturidade. 1 746 08/14/2010 - 11:03 Português
Poesia/Amor Desregrado e desafinado. 2 823 08/12/2010 - 18:14 Português
Poesia/Fantasia Sonho efêmero. 3 902 08/05/2010 - 01:29 Português
Poesia/Geral Mesmo que ninguém me leia. 1 918 07/19/2010 - 16:22 Português
Poesia/Desilusão Sinuca. 1 639 07/02/2010 - 15:12 Português
Poesia/Desilusão Dónde estás la revolución? 1 600 06/21/2010 - 22:37 Português
Poesia/Geral Subsistência. 2 726 06/11/2010 - 04:47 Português
Poesia/Desilusão Onde estão as flores? 1 618 06/07/2010 - 21:31 Português
Poesia/Meditação Medíocres virtuosos. 0 690 05/29/2010 - 18:47 Português
Poesia/Meditação Palavras vazias. 2 739 05/16/2010 - 19:25 Português
Poesia/Tristeza O novo envelheceu. 1 600 05/16/2010 - 19:21 Português
Poesia/Meditação Esboço poético desvairado. 1 690 05/14/2010 - 21:38 Português
Poesia/Dedicado Apolínea. 0 630 05/10/2010 - 01:57 Português
Poesia/Geral Insanidade visceral. 1 703 05/05/2010 - 23:08 Português
Poesia/Meditação Preciso dizer que... 1 566 04/26/2010 - 03:06 Português