CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Abyssus Abyssum Invocat

Quanta magoa tentaste fracionar neste fluxo ininterrupto?

Lamúrias mobiliando cada cômodo da consciência. E o riso alheio desperta-lhe inveja, ao saber que a saliva aspirada pelos lábios sequer pensou em evaporar. E os olhos, adornados por raios vermelhos de iris. Condensam-se. Criam um catalisador que de nada serve. E a cada dia, antes que completem-se os 365, beberica mais da cicuta. Werther não teria tamanha aptidão. Renderia-se. Renderia-se loucamente rasgando os pulsos e manchando este contrato infausto.
Passa-se por outrem, que sequer sentiria qualquer resquício, qualquer indicio de sua dor.

Ah, poeta...

Mas, as palavras sequer dizem algo. O amor é cego e o sofrimento surdo. E meu coração palpita... palpitara, antes de enforcar-se nas tripas.

E novamente, lá estará ele. Ele que sempre soube ser medíocre, que impunha austeridade ao trajar sua toga virilus e erguer este cetro sifilítico. Este ainda confabulará, como um bardo que cheira a esterco e vômito. Que têm a biles decompondo-se na garganta, mas que a fala arrastada ainda desperta oscilações em seu espirito. Espirito que clama por um sopro etéreo. Ele será só um espectro, assombrando cada parte que tocou de seu corpo. E depois, irá sorrir ao bel-prazer tal como aquele de urinar pós-coito.

Quando não restar mais nada, exceto a loucura; Ele sorrirá, mas não para ti.

Bruno Sanctus. 

Submited by

segunda-feira, junho 10, 2013 - 06:04

Prosas :

No votes yet

Bruno Sanctus

imagem de Bruno Sanctus
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 anos 42 semanas
Membro desde: 04/14/2013
Conteúdos:
Pontos: 299

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Bruno Sanctus

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Ontogênese 1 355 05/29/2014 - 21:33 Português
Poesia/Fantasia Orpheus 0 549 03/16/2014 - 04:40 Português
Poesia/Dedicado Genitora 0 523 01/27/2014 - 03:06 Português
Prosas/Pensamentos A Máquina do Tempo 2 534 01/08/2014 - 14:58 Português
Poesia/Paixão Tarantismo 0 782 01/08/2014 - 14:51 Português
Poesia/Geral Rejuvenescido 0 710 12/09/2013 - 15:59 Português
Poesia/Geral Lembranças de Nosso Aparthaid 0 396 12/05/2013 - 15:43 Português
Poesia/Geral Liberté 0 423 11/15/2013 - 17:14 Português
Poesia/Amor Endimião e Selene 0 1.664 11/15/2013 - 16:59 Português
Poesia/Fantasia A Odisseia 0 561 11/15/2013 - 16:53 Português
Poesia/Geral Persuasão 0 471 10/30/2013 - 17:50 Português
Poesia/Fantasia {Σn+torp.[(-e)²:cen]-t√e²}= 2 1.004 10/30/2013 - 17:22 Português
Poesia/Fantasia O Eremita 0 562 10/25/2013 - 00:59 Português
Poesia/Fantasia Hiperbole 0 769 10/25/2013 - 00:45 Português
Poesia/Erótico Paixões Corruptíveis 0 1.311 10/23/2013 - 00:18 Português
Prosas/Tristeza Parque das Verdades 0 639 10/23/2013 - 00:09 Português
Poesia/Erótico Destile-me 0 556 10/22/2013 - 23:56 Português
Poesia/Geral Psicogonia 2 649 10/21/2013 - 18:21 Português
Poesia/Tristeza Decaído 0 593 10/21/2013 - 04:25 Português
Poesia/Dedicado Gaia 0 480 10/21/2013 - 04:16 Português
Poesia/Fantasia Libris Scripta 0 490 10/21/2013 - 04:07 Português
Poesia/Fantasia Desire 0 734 10/20/2013 - 05:02 Português
Prosas/Pensamentos Mentiras 0 455 10/20/2013 - 04:22 Português
Poesia/Desilusão FREAKenstein 0 427 10/20/2013 - 04:06 Português
Poesia/Fantasia Feel 0 549 10/18/2013 - 18:11 Português