CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Desesperada...

Estou num lugar estranho. Sinto-me presa, completamente amarrada. Mas não sinto qualquer tipo de cordas a prenderem-me os movimentos. Se estivesse realmente amarrada, teria dores nas mãos, mas tal não acontece. Sinto as mãos a tentarem arranjar espaço suficiente para me conseguir mexer, mas mesmo assim as minhas mãos continuam a tentar mexer-se. Quero ver o que se passa contigo. Porque estou num compartimento tão feito à minha medida. É quase como se me tivessem tirado as medidas, mas não de uma forma positiva. As minhas mãos continuam a tentar. Desesperadas por serem livres querem perceber onde é que estou. 

Nem um pingo de luz existe naquele lugar. Estou deitada, porque não me sinto a fazer força nos pés. Mas quase que estou espalmada, tal é o espaço que tenho naquele sítio.

"Onde estou? Socorro! Ajudem-me! Alguém?" -Era simplesmente o que dizia. Não tinha forças. 

Qualquer que fosse a força que dantes tivera, a cada segundo que passava perdia mais e mais a força que tanto me caracterizava. Porque não consigo reagir. Preciso de me mexer, preciso de respirar. Preciso de sair daqui. Mas como? Começo a sentir-me mais cansada. É como se tivesse acabado de correr uma maratona. Como se tivesse acabado de empurrar um carro pela maratona fora. Era um cansaço anormal. Apesar de me sentir fraca, apenas queria gritar. Nao quero mais ficar aqui. 

"Por favor, tirem-me daqui!! Eu vou morrer!" -Gritava cada vez mais baixo. 

O ar estava a esgotar-se. Entrei em pânico. Num minuto tinha ar puro para respirar, noutro estava num lugar escuro, pequeno e repleta de ar usado. O que posso fazer? Simplesmente, deixar-me ir.

Então fechei os olhos e esperei que o meu corpo deixasse de lutar. Eu queria deixar de lutar. Estava cansada e finalmente percebi que com a tentativa de me salvar apenas desperdicei mais e mais ar precioso. Nunca dera valor ao ar que respirava, mas agora, no fim da sua efémera vida, percebera o quão importante era o ar. MAs agora, essa conclusão não iria ser partilhada com todos aqueles de quem gostava. Iria morrer entretanto. Sabia e sentia isso. Era impossível não saber. Só esperava era que fosse indolor. Nunca quisera uma morte lenta e dolorosa.

Finalmente, dei o meu último suspiro, a última inspiração e expiração. Não havia mais nada a fazer, se não sorrir. Afinal não doía. Parecia que finalmente tinha atingido a tão merecida paz...

 

Até mais

Submited by

quarta-feira, agosto 3, 2011 - 00:56

Prosas :

Average: 5 (1 vote)

Ana_fm

imagem de Ana_fm
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 4 semanas
Membro desde: 03/08/2011
Conteúdos:
Pontos: 1826

Comentários

imagem de Joel

apenas queria gritar

Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa é que é linda.

imagem de deborabenvenuti

Desesperada

Em alguns momentos de nossas vidas,esse sentimento existe e parece ser tão real,que realmente nos sufoca.
Abraços

http://deborabenvenuti13.blogspot.com.br - LUAR DE OUTONO

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Ana_fm

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Um mundo novo 3 852 03/12/2018 - 18:37 Português
Prosas/Terror Desesperada... 2 1.734 02/27/2018 - 12:31 Português
Poesia/Geral Almofada 2 1.349 08/06/2011 - 00:20 Português
Fotos/Pessoais Eu... :) 0 2.283 08/01/2011 - 22:16 Português
Anúncios/Outros - Oferece-se Os meus blogs 0 2.303 07/15/2011 - 22:39 Português
Poesia/Amizade Coração 0 1.386 07/15/2011 - 22:13 Português
Poesia/Meditação sem titulo (5) 3 1.048 05/29/2011 - 23:49 Português
Poesia/Geral TPM 6 1.990 05/25/2011 - 22:34 Português
Poesia/Pensamentos nesta noite 4 1.764 05/24/2011 - 22:55 Português
Poesia/Paixão sem titulo (6) 6 1.771 05/24/2011 - 19:43 Português
Poesia/Amizade diferentes 4 1.906 05/10/2011 - 18:05 Português
Poesia/Amizade apenas um amigo 4 1.435 05/10/2011 - 18:04 Português
Poesia/Geral beber 6 1.784 05/10/2011 - 18:01 Português
Poesia/Tristeza mar de solidão 2 1.038 04/30/2011 - 14:21 Português
Poesia/Meditação quero acreditar 2 1.134 04/30/2011 - 14:19 Português
Poesia/Pensamentos transformaçao 2 1.501 04/30/2011 - 14:15 Português
Poesia/Tristeza Tenho medo 0 2.431 04/28/2011 - 23:00 Português
Poesia/Tristeza Máquina estragada 0 1.507 04/28/2011 - 23:00 Português
Poesia/Tristeza Agarra-me 0 1.918 04/28/2011 - 22:59 Português
Poesia/Geral Pôr do sol 0 2.258 04/28/2011 - 22:58 Português
Poesia/Geral à janela. 0 2.109 04/28/2011 - 22:57 Português
Poesia/Meditação perdida 0 2.275 04/28/2011 - 22:56 Português
Poesia/Tristeza Mais uma dor 0 1.102 04/28/2011 - 22:56 Português
Poesia/Pensamentos unknown 0 1.898 04/28/2011 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos sem rumo 4 1.991 04/12/2011 - 12:48 Português