CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Não pode ser amor

Vagueava pela rua quando os meus olhos cruzaram com os teus e o meu coração bateu em falso, levando tempo para retomar ao seu normal compasso.
Um sorriso tímido te lancei, como um " Olá" e um "Estás aqui", para que saibas que a tua presença foi notada e que a apreciei.
Uma vez mais, caminhar em frente, deixando-te para trás, se mostra uma tarefa de difícil digestão. Cada passo no sentido oposto ao teu é um gesto necessário que o meu corpo executa sem compreender.
O tempo parece parar. Quem me dera que parasse no momento em que os nossos olhos se cruzam. Vejo-me assim ardendo tranquila na certeza do infinito. Todo o tempo para te olhar, ainda que não te tocasse, como linhas paralelas convergindo para um horizonte comum.
Isto que sinto não é amor. Não pode ser.
O amor dá frutos e esta obsessão não só não me dá nada, como me rouba tudo o que construí. É verdade! Estou a fazer regressar ao pó tudo o que edifiquei. Creio que nos escombros e no mais completo vazio encontrarei uma razão que faça sentido e que explique porque me sinto como sinto quando estou ao pé de ti e que me diga porque te sinto quando passo uma vida sem te ver.
Isto que sinto não é amor. Não pode ser.
Hoje conheço uma mágoa profunda, onde a raiva transfigurou o meu desejo num cio avassalador. Queria-te tanto que não te poderia dizer... Se o dissesse - pensei- seria como colocar uma coleira no meu pescoço e a trela na tua mão...
Isto não é amor. Não pode ser.
Lutei contra a minha vontade quando te pedi que me colocasses no chão quando estava capaz de fazer amor contigo ali mesmo, sob o sol daquele candeeiro e na cama daquela parede. Antes dar-me a provar nas areias douradas a outro qualquer, do que perder-me, achando-me em ti.
Um olhar e eu afasto-me com passos apressados, nas mãos a garganta contendo o rugido. Na distância encontro uma vítima, solto a selvática ordem, um imperativo do verbo querer e tomar.
_Quero-te e tomo-te... És meu!
Não é um grito, mas um rugido que se descola e arranha as paredes vocais até à superfície. A presa reage atordoada por tamanho arrebatamento e deixa-se devorar... O seu sacrifício acalma-me, mas não me satisfaz. Sou eu quem controla e isso basta-me no momento em que o meu desejo reclama que me perca.
Sei no meu íntimo que contigo seria como se me privasse de respirar e tivesse o maior prazer em sufocar lentamente... Anseio por te ter, mas na verdade tenho igual medo. Olho para ti e esqueço-me de inalar. Na verdade não há nada que me recorde.
O tempo não pára de facto, mas o mundo desaparece...

Isto não é amor. Não pode ser.

.

Submited by

segunda-feira, abril 25, 2011 - 00:43

Prosas :

No votes yet

Ema Moura

imagem de Ema Moura
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 51 semanas 4 dias
Membro desde: 03/15/2011
Conteúdos:
Pontos: 317

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Ema Moura

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Amor Nada mais (nona carta) 0 588 09/22/2014 - 18:54 Português
Prosas/Contos «Pele...» 0 538 09/22/2014 - 18:52 Português
Prosas/Erótico Proposta 0 643 09/22/2014 - 18:50 Português
Poesia/Pensamentos Confissões de um conquistador 0 649 09/22/2014 - 18:47 Português
Poesia/Pensamentos Pintura introspectiva 0 815 09/20/2014 - 11:19 Português
Poesia/Pensamentos Silencia o teu amor 0 585 09/20/2014 - 11:17 Português
Prosas/Pensamentos Monólogo da memória 0 546 09/20/2014 - 11:15 Português
Poesia/Paixão Obsessão 0 671 09/20/2014 - 11:10 Português
Poesia/Erótico Tortura, anseio... 1 777 01/27/2013 - 22:47 Português
Prosas/Contos Inspira, relaxa e divaga... Suspira! 2 695 01/27/2013 - 17:40 Português
Prosas/Erótico Outra vez! 2 1.250 01/27/2013 - 17:36 Português
Poesia/Paixão Quero-te outra vez... 0 551 01/27/2013 - 17:08 Português
Poesia/Amor Ouve-me 1 686 01/27/2013 - 16:50 Português
Poesia/Erótico Amarro-te! 3 1.017 01/27/2013 - 16:45 Português
Poesia/Meditação Ofélia 0 660 01/12/2013 - 23:34 Português
Prosas/Contos Brilho 0 758 01/12/2013 - 23:20 Português
Prosas/Contos Esculpidos na pedra 0 556 01/12/2013 - 23:15 Português
Poesia/Amor Espero 0 736 01/12/2013 - 23:10 Português
Prosas/Romance Hoje, o céu é meu... 0 967 08/11/2011 - 14:09 Português
Poesia/Meditação Saudade poética 2 854 07/09/2011 - 02:59 Português
Prosas/Erótico O desejo é muito mais que um brilho no olhar... 0 954 07/07/2011 - 23:17 Português
Prosas/Erótico Tortura 0 784 07/07/2011 - 23:13 Português
Prosas/Pensamentos Hoje 0 909 07/07/2011 - 23:06 Português
Prosas/Erótico «Surpresa. Hoje é dia de pagamento!» 0 909 07/07/2011 - 22:59 Português
Prosas/Erótico Saltos inquietos 0 877 07/07/2011 - 22:56 Português