CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Sinopse da poesia “Beijo na Idade”

Sinopse da poesia “Beijo na Idade”
Por:
António J. S. Duarte

Beijo na Idade, é a segunda obra de poemas que o autor publica em Portugal e em todo o Mundo através da comunidade Worldartfriends, podendo, brevemente, ser adquirida, on-line, em formato papel e e-book, no endereço do site: www.worldartfriens.com/store/ aqui expõe, de uma forma ocasional, as tormentas que assolam a humanidade, pela sua maneira de ver, sentir e mesmo de sofrer. Fantasia ou não, “Beijo na Idade” vem marcar pontos encontrados no profundo do autor, onde não floresceria o ramo da Primavera sem o estigma das flores… Qual turbulência se alojaria, por mera satisfação, no peito do Poeta que, coloca os pés ao caminho e tomba para o primeiro abismo? Eis que chegou a oportunidade do segundo passo; tendo na sua frente o vazio de todo o tempo perdido para encontrar o nada. O Poeta procura saber a conquista; a razão que o leva a caminhar debaixo do sol; o incentivo, a jornada, significante, por um pedaço de terra que lhe cubra as angústias. Poderia viver como uma pedra sem gemer o paladar da carne. Amanhã, seria sempre tarde para viver o dia que se lhe apresentava com todas as coisas de hoje e as flores não esperariam o seu regresso, pois que, quando o “Ser” se determina viajar para o futuro nunca mais encontra o presente… Amanhã, tem sempre uma razão para que o “ser” arranje uma preocupação para o dia que vem a seguir.
«…O olhar cai para o canto das lembranças, enquanto, as mãos sobem o barro cosido, para segredar as vozes da Alma; encontrando o gesto vencido, admirado, ou, apenas, vivido como um gosto de olhos, água de fonte, ou, as impávidas estátuas suspensas no horizonte. Sim… O sacrário provém da solidão; quando as memórias lhe mostram o sarcasmo da sua loucura nas repugnâncias dirigidas irreflectidamente. Pois que, impõe ali, a sua possessão para fazer prevalecer ideias próprias; ideias que mais tarde lhe façam, na Alma, o revolto do seu temor; onde se culpará e lamentará, chorando e perdoando a si; como se coubesse a si tamanha absolvição. O amanhã trará, de novo, o princípio do seu caminho, as mesmas pedras, os mesmos tropeços, onde cairá e se levantará, para voltar a caminhar de mãos dadas com os tesouros que lhe queimam a vida e lhe fortificam a Alma como relíquia de todos os valores sagrados.»
- Mais há frente: Tomba no sono, tendo a poesia no bater do seu coração para a festa de cada dia.
 

Beijo na Idade…
Como uma reflexão de jardim, ou momentos de assolações solitárias.
 

António J. S. Duarte
 

Submited by

terça-feira, novembro 22, 2011 - 01:50

Prosas :

No votes yet

antonioduarte

imagem de antonioduarte
Offline
Título: Moderador Poesia
Última vez online: há 29 semanas 3 dias
Membro desde: 01/09/2010
Conteúdos:
Pontos: 2570

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of antonioduarte

Tópico Títuloícone de ordenação Respostas Views Last Post Língua
Poesia/Geral “Endiabrando” 0 1.115 12/17/2010 - 02:02 Português
Poesia/Desilusão “Lorpa” 0 1.413 12/17/2010 - 01:47 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Vibrações Enocentes 0 2.061 11/19/2010 - 18:29 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Amostras 0 2.915 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Poetrix Silêncio 0 1.767 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Poetrix Cupído 0 2.110 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Meditação Nova vida 0 1.429 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Meditação Pesadelo 0 1.996 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Paixão Quiméra Vaga 0 1.953 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Na Serra 0 1.567 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Meditação Teatro 0 2.975 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Vazio 0 1.999 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Poetrix Pérolas 0 2.125 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Fantasia Alhos & bugalhos 0 2.382 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Meditação Amor Primeiro 0 1.394 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Conspiração 0 1.386 11/19/2010 - 18:30 Português
Prosas/Drama O Julgamento 0 1.753 11/18/2010 - 23:05 Português
Ministério da Poesia/Amor Pudéra Encontrar... 0 1.110 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Quatro Rimantes 0 2.235 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Soneto Balada dos sinos 0 1.501 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Amor Por Ti Em Mim 0 1.313 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Embálo Poético 0 965 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Paixão Leva-me satisfeito 0 1.615 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Quem as saiba fazer 0 1.461 11/19/2010 - 18:30 Português
Ministério da Poesia/Paixão Senhor... Que o diga 0 1.508 11/19/2010 - 18:30 Português