CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A dignidade da exaustão

voce acorda com os olhos ressequidos
onde se veem as pequenas crostas de remela,
à sua frente há o computador
jazendo a dois passos pequenos da cama
na qual voce dorme e desperta há mais de 15 anos,
o calor enxerta na sua pele
o visco de um suor que vencera
a brisa do ventilador que não pára
e algumas pessoas,já tão cedo,
palavream sobre a manchete do dia
na mesa do café matinal.

"Homem é assanidado por não sei quem em não sei onde"

há os livros da universidade
lhes acenando de modo a não esquecer-se
das responsabilidades.
com olhos curvos voce os contempla
e se despe,visto isso,a ansia
escondida tímida dentro da alma,
e há a necessidade involuntária de não existir
nem para si nem para ninguém,
contudo todos olvidam o seu sublime desejo
de não ir mais adiante.

mas voce existe e é dono de uma vida
que não pedira.deve resguardá-la
até as últimas consequencias
e desgaste de si mesmo,
pois,quando olha ao seu lado vendo que
há somente os livros,as converas
sobre as manchetes e o pão matinal a ser comido,
sente que não se morre
por nada senão pela própria
sensação de vida.

a escova dos dentes gira laboral
frente a sua boca,
uma imagem difusa do seu rosto
com barba se reflete no espelho
ofuscado pela umidade,
corre escuma branca ao canto
do seus lábios muito rubros
e,com os leves jatos d’água
que descem rápidos pela torneira,
voce higieniza as
partes sujas molhando-as.

todos voltam os olhos para si
quando,desde o arrastar das sandálias,se anuncia
a sua chegada à mesa.
o pequeno cão de estimação
também se acordara cedo
e vira-lhe os olhos como os outros
ao se mostrar,alto e inexpressivo, à porta.
voce os cumprimenta com a timidez
singular que lhe acompanha desde criança
e,na força de uma cordialidade nostálgica
e pouco sincera,voce lhes diz "bom dia".

Submited by

segunda-feira, fevereiro 8, 2010 - 06:52

Ministério da Poesia :

No votes yet

joaopaulo19

imagem de joaopaulo19
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 anos 19 semanas
Membro desde: 02/08/2010
Conteúdos:
Pontos: 111

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of joaopaulo19

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Intervenção O poema subjetivo 0 322 11/19/2010 - 19:23 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Canção para Bia 0 268 11/19/2010 - 19:23 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Da criação 0 331 11/19/2010 - 19:23 Português
Ministério da Poesia/Intervenção À la tombée de la nuit 0 295 11/19/2010 - 19:23 Português
Ministério da Poesia/Intervenção O poema subjetivo 0 623 11/19/2010 - 19:23 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Meu cachorro Pingo 0 394 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Carta ao exímio monsieur Hélio 0 315 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Hino à infância 0 316 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Depressão 0 337 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Morte no ônibus 0 249 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção O comunista 0 282 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Sem forças para ir adiante 0 259 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Evocação 0 249 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção A verdade 0 334 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Do mistério corpóreo 0 302 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Eu quero triste 0 333 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Adeus 0 318 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção De Leningrado 0 321 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Ninfetinha 0 496 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Iconoclastia 0 317 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Do poeta 0 310 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção À igreja 0 323 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Soneto sem nome 0 367 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Morte diária 0 318 11/19/2010 - 19:21 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Olá, Monotonia 0 340 11/19/2010 - 19:21 Português