CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O CANTO DO PELINTRA

Mais do que defenir ou explicar:
Portugal, tem o fenónemo da aldraváda;
Seu objéctivo primeiro, é multar
E, depois, fazer da vítima caçáda;

Há que compreender a indignação
Como código sem questionário;
Ou pága, ou vai para a prisão
Definindo a expressão, com geito de dicionário...

Foram feitas para servir o Homem
Mas não passam de uma palhaçada;
Pois que só, meia duzia de elas comem
Fazendo das leis, vacas sagradas...

É um rigorosismo legal
Ao qual, não se pode chamar moderno
Se levado à prática, ao cidadão faz mal
Tornando a vida de cada um e de todos, um inferno...

A convivência social, mais parece um suplício
Deixa de ser saudável, sem bom senso na feitura
E, na aplicação: “Atitudes de hospício”
Porque a lei é madura e na cáça à multa está a cura...

A Pátria, impôe as leis aos cidadãos,
A torto e a direito, doa a quem doer
Num rigorosismo farisáico “sem irmãos”
Que, já Jesus Cristo condenou e fez sofrer...
Aqui me encontro com o canto do pelintra
Para cantar um pouco a pelintrice do Estado
Enquanto o mesmo, esfrega as mãos, virado a Sintra
Olhando para as multas como fonte de receita e ditado.

Submited by

quinta-feira, abril 8, 2010 - 13:09

Ministério da Poesia :

No votes yet

antonioduarte

imagem de antonioduarte
Offline
Título: Moderador Poesia
Última vez online: há 24 semanas 4 dias
Membro desde: 01/09/2010
Conteúdos:
Pontos: 2570

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of antonioduarte

Tópico Título Respostasícone de ordenação Views Last Post Língua
Poesia/Paixão "Comida do céu" 0 610 11/17/2010 - 18:37 Português
Poesia/Dedicado Source of light 0 871 11/17/2010 - 18:39 Português
Poesia/Poetrix With crimson lips 0 608 11/17/2010 - 22:16 Português
Poesia/Geral “Já me sobra nos olhos o desígnio dos versos 2” 0 392 06/25/2012 - 00:33 Português
Poesia/Paixão Óh mar ó mar-2 0 769 11/18/2010 - 15:01 Português
Poesia/Fantasia Grande Bobo 0 478 11/18/2010 - 15:06 Português
Poesia/Dedicado A ti querida Mãe 0 348 11/18/2010 - 15:06 Português
Poesia/Aforismo To Chose the Way 0 1.036 11/18/2010 - 15:06 Português
Poesia/Soneto Mendiga 0 432 11/18/2010 - 15:06 Português
Poesia/Canção Vozes Carecas 0 512 11/18/2010 - 15:07 Português
Poesia/Pensamentos Escaramuça 0 1.321 11/18/2010 - 15:07 Português
Poesia/Geral Sopro de afinidade 0 674 11/18/2010 - 15:08 Português
Poesia/Geral Dons de Crepúsculo 0 332 11/18/2010 - 15:08 Português
Poesia/Geral - “Que vá e encontre por onde ressucite”... 0 404 11/18/2010 - 15:08 Português
Poesia/Soneto “Loureiros de iluzão” 0 701 11/18/2010 - 15:09 Português
Poesia/Amor “Aberto como uma flor (1)” 0 618 11/18/2010 - 15:09 Português
Poesia/Amor “Aberto como uma flor (2)” 0 612 11/18/2010 - 15:09 Português
Poesia/Amor “Procurei” 0 343 11/18/2010 - 15:09 Português
Poesia/Meditação “Poema-Poemático” 0 600 11/18/2010 - 15:11 Português
Poesia/Aforismo “Essência de Amor” 0 680 11/18/2010 - 15:11 Português
Poesia/Aforismo “Ali-Parado” 0 549 11/18/2010 - 15:12 Português
Poesia/Meditação “Cinzas da mesma rima” 0 585 06/09/2010 - 22:56 Português
Poesia/Meditação “TUBAS” 0 408 11/18/2010 - 15:12 Português
Poesia/Pensamentos “Quando o Poente acontece” 0 835 11/18/2010 - 15:15 Português
Poesia/Intervenção “Achado de vento” 0 654 11/18/2010 - 15:15 Português