CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O texto de um pai

Certa vez um rapaz tranqüilo e ponderadamente sensato perguntou ao seu pai:
_ Pai, por que o senhor me impõe regras?
_ Coloco regras, meu filho, porque regras foram feitas para serem seguidas.
_ Mas essas regras não deveriam ser feitas pelo senhor, de acordo com sua ética e condição moral?
_ Na verdade sim, meu rapaz, mas convenhamos que as condições éticas e morais têm vários níveis, portanto, é mais fácil seguir um padrão.
_ Então o senhor quer dizer que muitas das vezes segue coisas das quais não concorda?
_ Ah, meu filho! Muitas das vezes sim. Todos nós nos acostumamos apenas. Ontem e hoje, se pensou e se pensa que pensar é muito difícil.

Submited by

quarta-feira, dezembro 16, 2009 - 23:44

Ministério da Poesia :

No votes yet

FranciscoEspurio

imagem de FranciscoEspurio
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 anos 27 semanas
Membro desde: 11/08/2009
Conteúdos:
Pontos: 450

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of FranciscoEspurio

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - 2085 0 1.194 11/24/2010 - 00:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Tentativas inúteis na sacada 0 579 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Odisséia 0 803 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado No caminho das pedras brilhantes (São Thomé das Letras) 0 1.605 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O viço dos seios 0 934 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção A pele iraquiana 0 1.023 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O revés 0 740 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O guardião 0 750 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O Demônio Interior 0 700 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Morte ao amanhecer 0 687 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Death to be born wise 0 705 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado O texto de um pai 0 1.328 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Fantasia Ninfas 0 983 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Atado ao Umbigo 0 625 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Pentáculo 0 815 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Jean Baptiste Grenouille 0 1.207 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O estocástico 0 516 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Sido Ser 0 767 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Grão latente 0 1.607 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O salto das horas 0 907 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Segure minhas mãos 0 832 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Decepção da obra e do poder 0 826 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O ensejo da soma 0 857 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Perdição 0 655 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Figura de madeira disforme que orna a proa de minha embarcação (Carrancas) 0 671 11/19/2010 - 19:10 Português