CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Tentativas inúteis na sacada

Aqui estou eu, tentando lutar contra
O meu “Nada”,
Para que vitorioso possa unir-me ao silêncio.

Não busco o mistério,
Tentando ser o mistério, entendem?

Meu guarda-roupa está repleto de cascas,
Lá se esconde alguma personalidade.

Somos energia da gigantesca máquina.

Dependurei o meu pescoço na sacada
Da grande casa da vida.

Libertamos vozes e gritos
Para que os mesmos possam voar para o infinito.

Nossos feitos não passam de tentativas...
Tentativas de mostrar o que não somos.

Quero ser aquela pedra
Que tenta impedir o rio,
E que sofre, sofre
Até ficar toda moldada
E sem arestas.

Meu sorriso tem um gosto amargo,
O entardecer está empenado,
Paro de escrever, pois a luz se foi.

Adeus sol.

Submited by

quinta-feira, dezembro 17, 2009 - 00:00

Ministério da Poesia :

No votes yet

FranciscoEspurio

imagem de FranciscoEspurio
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 anos 30 semanas
Membro desde: 11/08/2009
Conteúdos:
Pontos: 450

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of FranciscoEspurio

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - 2085 0 1.336 11/24/2010 - 00:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Tentativas inúteis na sacada 0 981 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Odisséia 0 1.205 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado No caminho das pedras brilhantes (São Thomé das Letras) 0 1.873 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O viço dos seios 0 1.331 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção A pele iraquiana 0 1.229 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O revés 0 1.102 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O guardião 0 1.014 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O Demônio Interior 0 952 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Morte ao amanhecer 0 1.065 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Death to be born wise 0 1.071 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado O texto de um pai 0 1.550 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Fantasia Ninfas 0 1.438 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Atado ao Umbigo 0 1.109 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Pentáculo 0 1.215 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Jean Baptiste Grenouille 0 1.578 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O estocástico 0 778 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Sido Ser 0 946 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Grão latente 0 2.054 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O salto das horas 0 1.220 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Segure minhas mãos 0 1.170 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Decepção da obra e do poder 0 1.036 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral O ensejo da soma 0 1.211 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Perdição 0 1.026 11/19/2010 - 19:10 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Figura de madeira disforme que orna a proa de minha embarcação (Carrancas) 0 926 11/19/2010 - 19:10 Português