CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A casa dos sonhos?



Eu encontrei a casa dos meus sonhos
e para lá eu fui de mudança
E naquele quintal imenso
eu plantei as flores da esperança
O meu sonho mais sonhado,
finalmente eu havia encontrado
O meu lar com muito amor eu comecei a enfeitar

Os três primeiros anos foram de muita alegria
A minha casa estava finalmente do jeito que eu queria
O jardim enfeitado com flores de todas as cores;
era lindo de se olhar!
Não faltava mais nada para a felicidade me abraçar

Mas o tempo passou e algo mudou
Eu sentia, eu percebia; mas não queria enxergar
Ouvia, mas não queria escutar
Sons e ruídos que vinham do lado de lá

E aquele pequeno transtorno, eu decidi ignorar
Quem sabe esquecendo, aquilo tudo iria passar?
E tudo o que eu mais temia me acompanhava,
e apavorada eu fugia
Só que de ruídos então passaram
a ser estrondos e isto era todo dia

As paredes falavam, porém eu fingia não escutar
Um barulho que me tirava o sono
e não me deixava pensar
Eram as vozes do ódio com ferros e pregos a se misturar!
E para me acalmar nas claras manhãs...
só os comprimidos eram bem vindos

E o meu pavor foi crescendo, sem dimensão
O ponteiro do relógio não andava,
aumentando a minha depressão
Quanto eu mais rezava,
aquele fantasma vinha me assombrar
E eu já não mais existia,
eu era o próprio medo a me arrastar

Nas paredes do corredor
haviam mãos que estavam prontas para me puxar
À noite pesadelos estranhos;
uma criatura agarrada no teto a me fitar
Então um dia eu decidi,
ir para rua para esquecer um pouco o tormento
Porém quando eu voltei,
a casa parecia que ia cair a qualquer momento
Tremia, ruía, balançava
e tudo naquele ambiente  parecia querer me expulsar
E o susto foi tão grande que eu me ajoelhei
e cheguei a vomitar!


Ali eu já não me sentia sozinha,
sombras obscuras me acompanhavam em todo o lugar
E dentro de casa com muito medo, eu andava devagar
No quintal eu ouvia as vozes dos homens
que estavam na fábrica a trabalhar
Barulho de ferros, brocas e metal;
muitas risadas e todas elas eram para me assombrar!


E enlouquecida eu havia me tornado,
em uma mulher sem nenhum horizonte
Suja, triste, sem esperança e sem fome
Pelos móveis da casa
se espalhavam os meus comprimidos
E assim se passaram sete anos,
entre prensa, martelos e  ruídos
E as vozes e as risadas se transformaram em gritos!

A casa dos meus sonhos tinha se transformado no inferno
Morreram as flores, e o meu jardim com cores obscuras
só conhecia o inverno!

Como eu sobrevivi?
Hoje eu estou viva e posso lhe contar!

Eu fugi!

E a fábrica se encontra no mesmo lugar!

Janete Sales

LA MELANCOLIA DE ATHENA,, saint seiya

Imagens Google

Submited by

sábado, junho 16, 2012 - 18:11

Ministério da Poesia :

No votes yet

Dany May

imagem de Dany May
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 anos 51 semanas
Membro desde: 11/01/2011
Conteúdos:
Pontos: 1275

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Dany May

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos É DIFÍCIL SER INTEIRO! 3 1.260 02/27/2018 - 10:36 Português
Poesia/Amor Quero fazer amor 2 2.240 06/29/2014 - 13:18 Português
Poesia/Acrósticos Filhos do vento 2 1.276 06/22/2014 - 18:03 Português
Poesia/Alegria Para que serve a vida? 2 1.351 06/22/2014 - 18:00 Português
Poesia/Dedicado A liberdade de ser um cigano 0 1.913 03/17/2014 - 01:12 Português
Poesia/Meditação Oh minha Santa Sara, o meu olhar está fixo no teu altar 0 4.082 03/17/2014 - 01:03 Português
Poesia/Acrósticos Santa Sara Kali - Acróstico 0 3.011 03/17/2014 - 00:51 Português
Poesia/Desilusão Sonhadora 2 1.284 03/17/2014 - 00:39 Português
Poesia/Amor Sonho ser uma ventania e não sou 0 835 02/23/2014 - 12:16 Português
Poesia/Dedicado Eu fito as estrelas de perto! 0 1.659 10/07/2013 - 13:54 Português
Poesia/Dedicado Minha Mãe Meu Anjo 0 3.235 08/12/2013 - 10:23 Português
Poesia/Acrósticos O amor cura tudo! 2 2.389 08/12/2013 - 09:57 Português
Poesia/Meditação ASAS DA IMAGINAÇÃO 2 1.107 08/12/2013 - 09:48 Português
Poesia/Dedicado O Povo Cigano merece o nosso respeito! By Janete Sales Dany 0 1.626 04/07/2013 - 18:20 Português
Poesia/Pensamentos A maioria das derrotas somos nós quem fabricamos... 0 919 03/16/2013 - 11:29 Português
Poesia/Fantasia Poesia, a Fusão do Princípio e do Fim! 2 1.309 02/20/2013 - 22:48 Português
Poesia/Amor Você é o melhor cobertor quando estou nua. 2 1.284 02/20/2013 - 22:45 Português
Poesia/Tristeza Poesia do adeus para sempre! 0 2.255 12/04/2012 - 14:17 Português
Poesia/Acrósticos Respeito pelo irmão! 0 1.424 12/04/2012 - 13:36 Português
Poesia/Meditação Não morra no deserto! 2 1.558 12/04/2012 - 12:29 Português
Poesia/Acrósticos Minha vida sem amor! 6 1.439 12/04/2012 - 12:18 Português
Poesia/Amor Quem sabe você está lá? 2 1.127 11/30/2012 - 23:00 Português
Poesia/Tristeza Um conflito sem solução! - Gazal 0 1.386 11/20/2012 - 11:43 Português
Poesia/Meditação O homem triste sorriu! 0 3.054 11/08/2012 - 15:10 Português
Videos/Poesia O homem triste sorriu e um sorriso ao se abrir...By Janete Sales - Dany 0 2.289 11/08/2012 - 14:58 Português