CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A angústia de Caim

Na sombra do crepúsculo, em terras distantes, 
Caim peregrina, alma em tormento, 
A angústia dilacera, são cruéis feridas 
Que oprimem o coração, sem alento. 
 
O fardo da inveja, semente do mal, 
Em seu peito ecoa, cruel e insano, 
A disputa interna, uma tempestade, 
Que o arrasta ao abismo, num trágico engano. 
 
Entre a luz e a sombra, sua alma debate, 
O amor fraternal, a dor que dilacera, 
A raiva voraz, a culpa que o aflige, 
Em conflito constante, a luta desespera. 
 
O olhar para o irmão, adensado em inveja, 
Semeia a semente do ódio profundo, 
E o coração, em desespero, se queixa, 
Ao destino cruel que lhe é imposto neste mundo. 
 
Caim, filho de Adão, irmão de Abel, 
Sente o peso da escolha, o peso do destino, 
Num embate de paixões, num turbilhão cruel, 
Entre o amor e o ódio, se perde no desatino. 
 
Na solidão da noite, sob as estrelas frias, 
Caim enfrenta o tormento, a angústia avassaladora, 
Na alma dilacerada, a batalha é sombria, 
E o sangue fraternal manchará a história agora. 

 
Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, abril 12, 2024 - 03:41

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 horas 54 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 15562

Comentários

imagem de J. Thamiel

Caro poeta

Feliz escolha do texto.
Feliz abordagem.

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos O vazio é o parasita 6 118 05/19/2024 - 14:19 Português
Poesia/Pensamentos A voz que ninguém quer ouvir 6 142 05/18/2024 - 23:41 Português
Poesia/Desilusão Tão triste e vazio 6 220 05/14/2024 - 12:16 Português
Poesia/Amor Sob o luar 6 173 05/12/2024 - 14:19 Português
Poesia/Pensamentos Um abismo chama outro 6 643 05/11/2024 - 13:22 Português
Poesia/Tristeza A dor de quem perde o que mais ama 6 568 05/09/2024 - 20:39 Português
Poesia/Meditação Almas quietas 6 430 05/08/2024 - 11:42 Português
Poesia/Desilusão No silêncio da noite 6 318 05/07/2024 - 20:36 Português
Poesia/Dedicado No coração do Pantanal 6 279 05/06/2024 - 23:01 Português
Poesia/Desilusão O horizonte faz lembrar 6 676 05/04/2024 - 14:29 Português
Poesia/Meditação Medeia 6 493 05/03/2024 - 20:12 Português
Poesia/Amor Quem dera eu tivesse o poder 6 455 05/02/2024 - 12:06 Português
Poesia/Pensamentos O último suspiro 6 707 05/01/2024 - 14:29 Português
Poesia/Amor A inquietude do amor 6 485 04/30/2024 - 11:54 Português
Poesia/Meditação Meu lado sombrio 6 470 04/29/2024 - 20:30 Português
Poesia/Alegria A vida que se abre 6 500 04/28/2024 - 14:11 Português
Poesia/Pensamentos Condicionacérebros 6 542 04/27/2024 - 14:06 Português
Poesia/Paixão Tudo mudou outra vez 6 288 04/26/2024 - 20:54 Português
Poesia/Paixão Loucura que me faz sonhar 6 1.072 04/25/2024 - 21:40 Português
Poesia/Paixão Apenas um olhar e um sorriso 6 486 04/24/2024 - 20:13 Português
Poesia/Desilusão Essa saudade que me invade 6 213 04/22/2024 - 20:29 Português
Poesia/Dedicado Tiradentes 6 556 04/21/2024 - 13:48 Português
Poesia/Pensamentos Armadilhas ou ratoeiras 6 1.230 04/20/2024 - 20:08 Português
Poesia/Meditação Onde vão os velhos quando ficam velhos? 6 216 04/20/2024 - 13:53 Português
Poesia/Pensamentos Incoerência fantasiosa absurda 6 1.077 04/19/2024 - 20:29 Português