CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A filosofia do lagarto: Autotomia

Não há muito o que comentar sobre a política interna e externa. Nossa querida Brasiliana está imersa em um balaio de gatos. A cada pequeno esquive uma horda de felinos a acomete com dolorosas formas de sofrimento. Foi assim que O “João doido” da rua treze de maio com a esquina do cais Bar relatou seu nobre pensamento para o Rodrigues da rua Italiana.
E o caos está implantado na mídia com este tal de Battisti. Você tenta acessar uma matéria interessante e tudo cai em Battisti. Os assuntos não são lá muito agradáveis, mas fogem da realidade, pois todo acontecimento gera lucro. Os temas ficam permutando entre: Prove a nova Pizza parmegiana à moda Battisti. Viagem para a Itália à moda Battisti, mas senão desejar, efetue uma fuga à moda Battisti. Pepino à moda Battisti. Cueca dolada à moda Battisti. Mensalinho (Ops! Dolinho) à moda Battisti. #Eunão à moda Battiste. Direita à moda Battisti. Esquerda à moda Battisti. Panetone à moda Battisti, porque panetone bom, tem que ser Battisti.
Foi vendo estes disparates que o “Zé” de Toinha me contou a filosofia do lagarto.
- Rapaz, seu Zé. Está todo mundo querendo pegar este tal de Battisti. Soube outrora que só não o embrulharam para presente, porque o papel de embrulho está caro devido à alta do petróleo nas refinarias.
- Nem me conte! Exclamou Zé de Toinha.
Seu zé é uma cabra bom. Diria cabra macho, daqueles bem “arretado”. Graduado no pulo do gato, Mestre em voadora da lagartixa e Doutor em filosofia do Lagarto. Disseram-me há tempo que ele obteve tais títulos na Faculdade Bruzundanga.
Vez por outra tentei interrompê-lo professando o conhecido absorvido pela mídia, uma mistura de informação e desinformação acerca de dos assuntos recorrentes, mas ele não se contendo, continuou como a me reprovar frente a minha desinformação. Pousou a mão sobre sua pequena boina, adequou a linearidade do terno de brim e continuou:
- Lembro quando era criança que a Mariazinha me delatou pra mamãe por um pacote de Cheetus e duas pipocas Gravatá e olha que nem fui eu que matei os pinto da Dona Luiza, a vizinha chata da rua Quinze. Se Mariazinha que era Mariazinha me delatou por tão pouco, imagina os que não são que nem Mariazinha. Mas o pior, é que foi peia pra mais de dias.
Foi por meio da delação premiada de sua irmã, A Mariazinha, que seu Geraldo fez sua tese de Doutorado, cujo tema centrou-se na: “Filosofia do Lagarto”.
Certa vez, imerso em devaneios e desilusões devido ao incidente de Mariazinha, Geraldo sentou-se no batente da Casa Grande. De frente a grande Casa dava para entrar em contato com o Tonhão, seu concunhado no Sítio “Bonívia” e aos fundos dava pra ver sua amada Julinha no Sítio “Ilália” e eis que o incidente começa ai.
Naquele terreno seco batido, Zé decidiu perseguir um pobre Teiú para presentear Julinha.  E eis que foi a sina: Pega, não pega. Pega, não pega. Espinho no pé. Pancada na testa e o sol tinindo, e pega, não pega.
- Pula na frente, Tonhão! Uma voz histérica se fez ouvir.
Não tendo o que fazer Tonhão pula na frente, armado até os dentes. Uma zarabatana, dois bodoques, 3 estilingues e mais uma dúzia de liga. Os três ali enviesados encaravam-se raivosamente uns aos outros. Tonhão, Zé e o Teiú. De olhos fechados os três entraram em confronto. Pancada ia, pancada vinha, até que a poeira baixou. No vazio chão, Tonhão e Zé sentados e no meio dos dois, um rabo. Foi nesse dia que surgiu a filosofia do lagarto. “Quando ameaçado pelo predador, o lagarto deixa o rabo pra ser comido, e foge”.
Zé olhou de um soslaio e finalizou:
- Fosse eu, o Battista, declararia o rabo (dinheiro) e “caparia” o gato.

Submited by

terça-feira, janeiro 15, 2019 - 14:51

Poesia :

No votes yet

ntistacien

imagem de ntistacien
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 semanas 15 horas
Membro desde: 04/22/2010
Conteúdos:
Pontos: 259

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of ntistacien

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Aforismo É na solidão do auto conflito que se molda a mais nobre alma. 0 61 01/22/2019 - 03:40 Português
Poesia/Geral Aula de Português. 0 77 01/22/2019 - 03:36 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 71 01/22/2019 - 03:19 Português
Poesia/Aforismo O que fazemos ou deixamos de fazer hoje surte efeitos na posteridade. 0 38 01/20/2019 - 06:31 Português
Poesia/Aforismo Ame como se de amor tu foste, deseje como se tua essência dependesse disto, mas jamais se curve ao que lhe foi negado. ntistacien 0 41 01/20/2019 - 06:27 Português
Poesia/Aforismo Há muito confundimos o amor com a posse, este gera um misto de segurança e dor se correspondido ou não, aquele gera paz. 0 46 01/20/2019 - 06:26 Português
Poesia/Pensamentos Feliz mesmo é poder olhar para os céus e contemplar teu olhar. Embriagar-se de amor e, ainda assim, continuar sóbrio. 0 46 01/15/2019 - 14:56 Português
Poesia/Pensamentos Foi a ingenuidade de seu olhar que desarmou meu nefasto coração. 0 28 01/15/2019 - 14:55 Português
Poesia/Geral A filosofia do lagarto: Autotomia 0 50 01/15/2019 - 14:51 Português
Poesia/Geral Silencioso grito a Brasiliana 0 44 01/14/2019 - 03:46 Português
Poesia/Geral Tempo 0 44 01/14/2019 - 03:02 Português
Poesia/Meditação Em pedaços 0 31 01/14/2019 - 02:50 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 56 01/13/2019 - 05:47 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 43 01/13/2019 - 05:45 Português
Poesia/Aforismo A virtude reside sob a máscara que admite existência em outrem. 0 34 01/13/2019 - 05:43 Português
Poesia/Desilusão Em pedaços 0 60 01/10/2019 - 02:15 Português
Poesia/Meditação Avulso 0 70 01/10/2019 - 01:55 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 128 11/10/2018 - 18:26 Português
Poesia/Amor Para um colibri 0 120 11/10/2018 - 17:32 Português
Poesia/Geral Flores de abril 0 149 11/10/2018 - 17:21 Português
Poesia/Geral Vazio poema 1 292 11/14/2013 - 12:46 Português
Poesia/Geral Vazio poema 0 192 11/12/2013 - 22:34 Português
Poesia/Geral Ausência e Solidão 1 309 11/01/2013 - 06:06 Português
Poesia/Geral Poema a um anjo 0 539 07/03/2011 - 04:22 Português
Poesia/Geral Vago poema 0 337 06/29/2011 - 00:58 Português