CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Ruas, marmitas e jacarés

Eu caminhava sozinho pela escuridão das ruas desertas
Cercadas de matos e vultos da minha imaginação
Quando poderia ser apenas um saco plástico levado
Pelo vento frio da madrugada.
Eu tinha que caminhar
Precisa trabalhar para ajudar em casa
E agora já era um homem.
Com minha marmita de almoço via o sol sair no horizonte
Enquanto caminhava rumo a cooperativa de jacarés
Coocrijapan para ser mais exato.
Na minha trajetória daqueles anos 90
Podia sonhar com dias melhores
Que pudesse me aliviar do sofrimento
Das mordidas de jacarés e do mal cheiro
Que impregnava nas minhas narinas
E demorava dias para sair do corpo.
É sofrida a vida de uma pessoa no seu amadurecimento
E lembrar desses momentos é poder viver outra vez
Admirar a sorte de vencer na vida
Mesmo em meios as dificuldades.
Um jovem sonhador caminha apressado para o seu serviço
Limpar tanques de jacarés
Para ter o seu salário e poder ajudar a família
Melhor isso do que ser mais um vagabundo nas ruas.
A vida nos dá oportunidades para vencer
Mostra-nos possibilidades
E devemos nos agarrar a elas.
Os tanques de jacarés nem sei se existem mais
Mas o que aprendi na vida me sustenta até hoje
E as lembranças desses dias sombrios
São as alegrias das esperanças futuras.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, julho 2, 2021 - 21:18

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 dia 16 horas
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 7727

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Intervenção Sustentabilidade 3 25 05/20/2022 - 22:22 Português
Poesia/Amor Se te amo tanto assim 3 53 05/20/2022 - 18:32 Português
Poesia/Desilusão A maior de todas as mentiras 3 44 05/19/2022 - 18:55 Português
Poesia/Pensamentos De mãos dadas com a Morte 3 107 05/18/2022 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos Do pensamento 3 86 05/17/2022 - 18:36 Português
Poesia/Desilusão O teu olhar 3 52 05/16/2022 - 23:29 Português
Poesia/Intervenção Destruam essa arte 3 50 05/16/2022 - 18:38 Português
Poesia/Desilusão Silenciosa sombra de solidão 3 51 05/16/2022 - 12:38 Português
Poesia/Amor Saber entender, crescer e viver 3 81 05/13/2022 - 19:25 Português
Poesia/Meditação Cantem as canções que não escrevi 3 62 05/12/2022 - 22:56 Português
Poesia/Tristeza Alma em suplício 3 52 05/11/2022 - 23:12 Português
Poesia/Meditação Feliz com sua presença 3 79 05/11/2022 - 18:42 Português
Poesia/Desilusão Insensatez 3 69 05/10/2022 - 18:37 Português
Poesia/Pensamentos Eu navegarei 3 62 05/09/2022 - 23:13 Português
Poesia/Pensamentos Fantasmas de um tempo passado 3 122 05/09/2022 - 13:28 Português
Poesia/Dedicado Mãe, o maior amor que pode existir 3 79 05/08/2022 - 20:33 Português
Poesia/Dedicado Mãe - Eu canto a ti o amor! 3 72 05/06/2022 - 23:57 Português
Poesia/Meditação Dias melhores virão 3 129 05/06/2022 - 19:01 Português
Poesia/Meditação A impossibilidade física da morte na mente de alguém que está vivo 3 77 05/05/2022 - 19:11 Português
Poesia/Meditação O peso do mundo 3 66 05/04/2022 - 23:02 Português
Poesia/Meditação E se não estiver tudo bem? 3 80 05/04/2022 - 18:45 Português
Poesia/Amor Inimaginável 3 83 05/03/2022 - 18:34 Português
Poesia/Tristeza Querida solidão 3 84 05/02/2022 - 18:29 Português
Poesia/Intervenção Não lastimo o próximo perigo 3 127 05/02/2022 - 12:41 Português
Poesia/Pensamentos Palavras apenas não servem 3 72 04/30/2022 - 21:59 Português