CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Eu sei que foi você - capítulo 6

Narciso estava esperando dar o sinal do fim do intervalo. Nos últimos dias, andava quieto e distraído, afastado dos amigos e colegas, pois não tinha com quem dividir o que andava a perturbá-lo. Como estava de cabeça baixa, não escutou os passos sutis de alguém indo na sua direção, o que o fez se assustar ao ouvir:
-Eu sei que foi você!
Teve um sobressalto, não acreditando que a pessoa que lhe falara com aquele tom tão acusador era Cassandra.
-Ca-Cassandra? Do que está falando?
-Estou falando que eu sei que foi você, seu covarde mentiroso!
-Eu não sei o que você está dizendo, Cassandra!
-Mas sabe o que fez! E o que você fez não pode ser desfeito, não é?
Um murro na boca do estômago não seria mais doloroso do que o que Cassandra falara e, desta vez, Narciso se ergueu do banco, perturbado.
-Cassandra, você não pode chegar e falar essas coisas! O que você quer dizer? Do que está me acusando?
-E você, Narciso? Você pode chegar e fazer algo como o que você fez? O que você queria que acontecesse? Queria que ficassem apontando alguém, humilhando e acusando até esse alguém não aguentar e achar que não podia continuar?
-Pare, Cassandra!
Atordoado, Narciso estava quase em lágrimas. Cassandra o fitou sem pena.
-Por que quer chorar, Narciso? Remorso ou medo?
-Você está...
-Não estou imaginando ou inventando nada, Narciso!
Ele quase deu um pulo para trás. Cassandra dissera o que ele pensara antes mesmo dele falar. Era como se...não, impossível.
-Cassandra, você devia tentar chamar a atenção de outro jeito, não desse! Ficar falando coisas sem nexo não vai fazer você se tornar popular!
-Diga o que quiser, covardão, mas isso não muda que eu sei que foi você!
-Você não sabe de nada, Cassandra! Sabe o que você é? Uma maluca que quer atenção?
-Pouco me importa o que você acha! Você devia ter vergonha de ter feito o que fez!
-Ora, vá se tratar!
Andando abruptamente, Narciso queria escapar de Cassandra e de seu olhar acusador.
"Como ela poderia saber? Como ela poderia saber?"
Sim, não havia como ela saber. Não havia como ninguém saber.
Deu o sinal de que acabara o intervalo e Narciso voltou para a sala de cabeça baixa.
-O que houve, Narciso? Parece que viu um fantasma!
Marcelo, que andava estranhando o comportamento de Narciso, espantou-se com sua palidez.
-Nada, Marcelo.
-Nada? Rapaz, você devia se ver no espelho! Parece que tiraram todo o sangue das suas veias! Está doente?
-Não, cara, estou bem! Por que não fica na sua?
-Meu Deus, eu só fiz uma pergunta e você vem com quatro pedras na mão! Diabos, Narciso, você está insuportável ultimamente! Ninguém pode dizer ou fazer nada que é como se você tivesse levado um choque!
Marcelo saiu de perto de Narciso, cheio de raiva.
"Preferia o Narciso cheio de si, que só falava de meninas."
Narciso se perguntou se devia pedir desculpas a Marcelo, mas não teve coragem e preferiu ficar no seu lugar. Voltou-se para trás, espiando Cassandra, que estava de olhos baixos, aparentemente alheia à barulheira dos colegas. Porém, como se avisada por uma voz, ela subiu aqueles olhos estranhos e os fixou nele.
"Ela não demonstra nenhuma surpresa? Eu diria que sabia que eu a estou espionando antes mesmo de me olhar!"
Instintivamente, Narciso se descobriu com medo de Cassandra, em cujo olhar podia ler perfeitamente: "Eu sei que foi você."

Submited by

domingo, junho 15, 2014 - 00:45

Prosas :

No votes yet

Atenéia

imagem de Atenéia
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 anos 9 semanas
Membro desde: 03/21/2011
Conteúdos:
Pontos: 2453

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Atenéia

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Desilusão Don't call me anymore 1 1.818 03/14/2018 - 13:22 inglês
Poesia/Geral Now, we are together 1 2.156 03/13/2018 - 21:29 inglês
Poesia/Fantasia Give me wings 1 1.770 03/13/2018 - 21:29 inglês
Poesia/Amor How can I show you 1 2.108 03/13/2018 - 16:48 inglês
Poesia/Tristeza You'll never be forgotten 2 2.260 03/10/2018 - 13:37 inglês
Poesia/Geral Não haverá mais segredos 1 1.088 02/09/2018 - 10:39 Português
Poesia/Tristeza We're never ready to say goodbye 0 2.223 03/12/2017 - 11:42 inglês
Poesia/Amor Sentimentos 0 1.232 01/19/2017 - 23:46 Português
Poesia/Geral Irmão 0 1.283 01/07/2017 - 21:42 Português
Poesia/Desilusão I'll never see you again 0 2.046 01/03/2017 - 15:02 inglês
Poesia/Desilusão O seu melhor 0 2.031 01/03/2017 - 14:58 Português
Poesia/Desilusão O último adeus 0 1.302 12/28/2016 - 16:36 Português
Poesia/Meditação Aonde pensamos 0 1.386 12/28/2016 - 16:32 Português
Poesia/Gótico A velha do saco de ossos 0 1.979 11/23/2016 - 16:45 Português
Poesia/Gótico Presenças espectrais 0 1.493 11/23/2016 - 16:36 Português
Poesia/Desilusão Don't come back to me 0 1.797 11/17/2016 - 16:11 inglês
Poesia/Geral Teu grito 0 1.625 11/17/2016 - 16:08 Português
Poesia/Gótico Peso morto 0 1.926 11/16/2016 - 23:36 Português
Poesia/Desilusão Learn to live alone 0 3.399 11/12/2016 - 11:23 inglês
Poesia/Meditação Torta 0 1.509 11/10/2016 - 16:23 Português
Poesia/Gótico O coração dilacerado 0 2.049 11/07/2016 - 15:48 Português
Poesia/Fantasia O presente 0 1.641 11/07/2016 - 15:45 Português
Poesia/Amor Ready to love 0 2.425 10/27/2016 - 21:42 inglês
Poesia/Amor Laços 0 1.914 10/27/2016 - 21:38 Português
Poesia/Fantasia Esta loucura 0 2.798 10/26/2016 - 16:18 Português