CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Minha desgraça

Minha desgraça não é ser poeta,
Nem na terra de amor não ter um eco...
E, meu anjo de Deus, o meu planeta
Tratar-me como trata-se um boneco...

Não é andar de cotovelos rotos,
Ter duro como pedra o travesseiro...
Eu sei... O mundo é um lodaçal perdido
cujo sol (quem mo dera) é o dinheiro...

Minha desgraça, ó cândida donzela,
O que faz que meu peito assim blasfema,
É ter por escrever todo um poema
E não ter um vintém para uma vela.

Submited by

terça-feira, abril 14, 2009 - 01:44

Poesia Consagrada :

No votes yet

AlvaresdeAzevedo

imagem de AlvaresdeAzevedo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 13 anos 35 semanas
Membro desde: 04/14/2009
Conteúdos:
Pontos: 303

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AlvaresdeAzevedo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - Alvares de Azevedo 0 1.556 11/24/2010 - 00:37 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo IV — Gennaro) 0 1.727 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo V — Claudius Hermann) 0 2.112 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo VI — Johann) 0 1.640 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo VII — Último Beijo de Amor) 0 1.333 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Macário - Introdução 0 1.130 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Macário - Primeiro episódio 0 894 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Macário - Segundo episódio 0 1.013 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Sombra de D. Juan 0 1.090 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Na várzea 0 1.046 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral O editor 0 978 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Oh! Não maldigam! 0 1.425 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Dinheiro 0 1.225 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Adeus, meus sonhos! 0 1.225 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Minha desgraça 0 1.159 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Página rota 0 994 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo I — Uma noite do século) 0 1.271 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo II — Solfieri) 0 1.646 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo III — Bertram) 0 2.438 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Panteísmo 0 913 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Desânimo 0 1.049 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral O lenço dela 0 1.042 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Relógios e beijos 0 1.109 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Namoro a cavalo 0 1.349 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Pálida imagem 0 1.086 11/19/2010 - 16:52 Português