CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

21 de Brasil

Sinto que as hordas dos homens do meio

seguram os meus versos e tentam calar meus desejos.

São os velhos censores da nova Ditadura em sua medíocre patrulha.

Buscam a nós outros, os tolos insanos que abriram a boceta de Pandora:

com a dúbia esperança de arautos da bonança.

Mas eles que urrem e vociferem as suas religiosas boçalidades,

pois eis que atravessarei os pântanos em que chafurdam

e como Zaratustra,do alto da Montanha, a todos conclamarei à liberdade

que salva os anjos dos obscurantismo desses novos tempos e céus.

Danem-se os anões de Liliput, pois eis que outros Gulliveres

ainda chegarão. Ainda nos redimirão.

E vós, Assumares Militares, ao pó voltareis

para que rastejem em sua moralidade burguesa.

Reviva, minha doce companheira, e refaçamos o bom combate.

Sejamos Tamoios a quem nada abate.

Revivamos cada vida perdida e cada utopia corrompida.

É tempo de reacreditar que a Mantiqueira de novo ruge

com a esperada coragem de quem sempre se insurge.

Percorramos os Santos Inconfidentes e vejamos o quão justa é a sedição.

O quão bela é a sedução que a todos levanta do rés do chão.

Somos brasileiros livres e libertos. E sonhamos despertos de peitos descobertos.

Enfrentemos esses novos felicianos dragões e expulsemos os fantasmas estrangeiros.

Caricatos demônios passageiros.

Que voem como aves de arribação. Como corvos que são.

E que saibam: aprendemos a dizer NÃO!

               Para todos os caídos no combate da liberdade. Para Bete.

Submited by

domingo, abril 21, 2013 - 16:14

Poesia :

No votes yet

fabiovillela

imagem de fabiovillela
Offline
Título: Moderador Poesia
Última vez online: há 3 anos 34 semanas
Membro desde: 05/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 6158

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of fabiovillela

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza A Canção de Alepo 0 2.145 10/01/2016 - 22:17 Português
Poesia/Meditação Nada 0 1.722 07/07/2016 - 16:34 Português
Poesia/Amor As Manhãs 0 1.482 07/02/2016 - 14:49 Português
Poesia/Geral A Ave de Arribação 0 1.468 06/20/2016 - 18:10 Português
Poesia/Amor BETH e a REVOLUÇÃO DE VERDADE 0 1.584 06/06/2016 - 19:30 Português
Prosas/Outros A Dialética 0 2.225 04/19/2016 - 21:44 Português
Poesia/Desilusão OS FINS 0 1.844 04/17/2016 - 12:28 Português
Poesia/Dedicado O Camareiro 0 2.800 03/16/2016 - 22:28 Português
Poesia/Amor O Fim 1 1.589 03/04/2016 - 22:54 Português
Poesia/Amor Rio, de 451 Janeiros 1 1.562 03/04/2016 - 22:19 Português
Prosas/Outros Rostos e Livros 0 1.648 02/18/2016 - 20:14 Português
Poesia/Amor A Nova Enseada 0 2.008 02/17/2016 - 15:52 Português
Poesia/Amor O Voo de Papillon 0 1.260 02/02/2016 - 18:43 Português
Poesia/Meditação O Avião 0 1.297 01/24/2016 - 16:25 Português
Poesia/Amor Amores e Realejos 0 2.218 01/23/2016 - 16:38 Português
Poesia/Dedicado Os Lusos Poetas 0 1.466 01/17/2016 - 21:16 Português
Poesia/Amor O Voo 0 1.487 01/08/2016 - 18:53 Português
Prosas/Outros Schopenhauer e o Pessimismo Filosófico 0 2.335 01/07/2016 - 20:31 Português
Poesia/Amor Revellion em Copacabana 0 1.690 12/31/2015 - 15:19 Português
Poesia/Geral Porque é Natal, sejamos Quixotes 0 1.548 12/23/2015 - 18:07 Português
Poesia/Geral A Cena 0 1.772 12/21/2015 - 13:55 Português
Prosas/Outros Jihadismo: contra os Muçulmanos e contra o Ocidente. 0 1.614 12/20/2015 - 19:17 Português
Poesia/Amor Os Vazios 0 2.718 12/18/2015 - 20:59 Português
Prosas/Outros O impeachment e a Impopularidade Carta aberta ao Senhor Deputado Ivan Valente – Psol. 0 1.030 12/15/2015 - 14:59 Português
Poesia/Amor A Hora 0 2.336 12/12/2015 - 16:54 Português