CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Aleijados pelo tempo

Os amaldiçoados irão brilhar
Muito mais do que as estrelas da manhã
E aqueles que ainda tem
Os olhos fechados para o mundo
Serão arrancados de seus casulos
Sem dó nem piedade alguma.

Os herdeiros dos tormentos do rock'n roll
Serão expurgados de seus casebres
Como pragas que devoram as lavouras
E nunca mais terão tempo de sobra
Para fazerem suas canções perturbadoras
Que martelam cérebros incapazes.

Os descampados de tanto sofrimento
Aleijados pelo tempo de espera
Serão feitos reféns em salas fechadas
Para que possam pensar sobre suas vidas
E lembrarem onde exatamente erraram
Para que pudessem sofrer amarguras.

Os aventureiros das noites escuras
Que espreitam suas vítimas adormecidas
Terão seus olhos vazados com agulhas
E seus cérebros arrancados com as mãos
Porque não podem mais coexistir
Com os santos que perambulam na cidade.

Os artistas que tentam sobreviver
Que labutam na solidão pela sua arte
Hão de ultrapassar as barreiras invisíveis
Da ignorância humana e ir além
Porque não se pode apagar da memória
As coisas eternas da verdadeira arte.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, fevereiro 23, 2024 - 13:13

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Online
Título: Membro
Última vez online: há 1 hora 33 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 15551

Comentários

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos A voz que ninguém quer ouvir 6 93 05/18/2024 - 23:41 Português
Poesia/Desilusão Tão triste e vazio 6 203 05/14/2024 - 12:16 Português
Poesia/Amor Sob o luar 6 163 05/12/2024 - 14:19 Português
Poesia/Pensamentos Um abismo chama outro 6 588 05/11/2024 - 13:22 Português
Poesia/Tristeza A dor de quem perde o que mais ama 6 557 05/09/2024 - 20:39 Português
Poesia/Meditação Almas quietas 6 425 05/08/2024 - 11:42 Português
Poesia/Desilusão No silêncio da noite 6 311 05/07/2024 - 20:36 Português
Poesia/Dedicado No coração do Pantanal 6 277 05/06/2024 - 23:01 Português
Poesia/Desilusão O horizonte faz lembrar 6 673 05/04/2024 - 14:29 Português
Poesia/Meditação Medeia 6 490 05/03/2024 - 20:12 Português
Poesia/Amor Quem dera eu tivesse o poder 6 444 05/02/2024 - 12:06 Português
Poesia/Pensamentos O último suspiro 6 671 05/01/2024 - 14:29 Português
Poesia/Amor A inquietude do amor 6 483 04/30/2024 - 11:54 Português
Poesia/Meditação Meu lado sombrio 6 469 04/29/2024 - 20:30 Português
Poesia/Alegria A vida que se abre 6 497 04/28/2024 - 14:11 Português
Poesia/Pensamentos Condicionacérebros 6 514 04/27/2024 - 14:06 Português
Poesia/Paixão Tudo mudou outra vez 6 284 04/26/2024 - 20:54 Português
Poesia/Paixão Loucura que me faz sonhar 6 1.070 04/25/2024 - 21:40 Português
Poesia/Paixão Apenas um olhar e um sorriso 6 478 04/24/2024 - 20:13 Português
Poesia/Desilusão Essa saudade que me invade 6 210 04/22/2024 - 20:29 Português
Poesia/Dedicado Tiradentes 6 550 04/21/2024 - 13:48 Português
Poesia/Pensamentos Armadilhas ou ratoeiras 6 1.217 04/20/2024 - 20:08 Português
Poesia/Meditação Onde vão os velhos quando ficam velhos? 6 216 04/20/2024 - 13:53 Português
Poesia/Pensamentos Incoerência fantasiosa absurda 6 1.075 04/19/2024 - 20:29 Português
Poesia/Meditação A trágica paixão de Sansão 6 256 04/18/2024 - 20:34 Português