CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Aos vivos que ficam ou Epitáfio II

Aos vivos, que ficam, deixo aqui o meu consolo:
Nós vamos todos morrer,
- todos nós já sabemos disso -
mas esquecemos que isso nos torna afortunados!
Isso sim é uma dádiva!
A maioria das pessoas nunca vai morrer,
porque nunca vai nascer!
As pessoas potenciais que poderiam estar no meu lugar ou no seu,
mas que jamais verão a luz do dia,
e jamais sentirão o calor do sol
e o frescor dos ventos e das chuvas,
são mais numerosas que os grãos de areia do mundo!
Certamente, esses fantasmas não nascidos incluem
poetas maiores do que Shakespeare,
cientistas maiores do que Newton e Einstein!
Sabemos disso hoje porque
o conjunto das pessoas possíveis permitidas pelo nosso DNA
excede em muito o conjunto de pessoas reais que existem e já existiram.
E apesar de todas essas probabilidades assombrosas,
somos eu e você,
com toda a nossa idiotice e nossa banalidade estúpida,
que aqui estamos...
E nós - uns poucos privilegiados que ganharam na loteria do nascimento,
contrariando todas as probabilidades - como podemos nos atrever a choramingar
por causa de um retorno inevitável àquele estado anterior
do qual tão poucos saíram e a infinita maioria jamais saiu ou sairá?

Submited by

terça-feira, outubro 9, 2018 - 13:39

Poesia :

Your rating: None (6 votes)

MaynardoAlves

imagem de MaynardoAlves
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 dias 20 horas
Membro desde: 05/02/2010
Conteúdos:
Pontos: 584

Comentários

imagem de MaynardoAlves

Aos vivos que ficam ou Epitáfio II

Trata-se de mais uma reflexão sobre a morte, talvez um segundo epitáfio.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of MaynardoAlves

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Intervenção Aos vivos que ficam ou Epitáfio II 1 43 10/09/2018 - 13:41 Português
Poesia/Geral Meu pequeno depoimento em prol do ateísmo 0 73 09/26/2018 - 01:17 Português
Poesia/Geral Revolucionário... revolucionário!? 1 85 09/25/2018 - 18:12 Português
Prosas/Outros Meu pequeno depoimento em prol do ateísmo 0 63 09/19/2018 - 20:13 Português
Poesia/Meditação O legado de um filósofo 1 86 09/17/2018 - 20:45 Português
Poesia/Intervenção Os novos mandamentos (ou melhor, conselhos) 1 85 08/29/2018 - 00:53 Português
Poesia/Fantasia O jardim de Epicuro 1 100 08/22/2018 - 17:14 Português
Poesia/Tristeza Em (des)construção 1 101 08/10/2018 - 15:46 Português
Poesia/Tristeza Máquina do tempo 1 101 08/08/2018 - 17:28 Português
Poesia/Tristeza Valores familiares 1 103 08/08/2018 - 17:21 Português
Poesia/Pensamentos Um lugar para chamar de seu 1 107 08/08/2018 - 17:14 Português
Poesia/Meditação Humilde-se! 1 213 05/21/2018 - 12:41 Português
Poesia/Tristeza Um inferno (para um poeta) 1 236 05/21/2018 - 12:34 Português
Prosas/Outros Onde? 2 206 03/08/2018 - 18:41 Português
Poesia/Comédia Meu amigo ócio 4 227 03/06/2018 - 16:20 Português
Poesia/Geral Promessas para uma vida nova 2 245 03/05/2018 - 21:09 Português
Poesia/Meditação Se Deus existisse... 4 241 03/05/2018 - 20:56 Português
Poesia/Intervenção Onde? 18 354 01/03/2018 - 19:28 Português
Poesia/Meditação Um instante infinito 1 305 11/17/2017 - 15:00 Português
Poesia/Desilusão Ainda no exílio (desde os dias de Gonçalves Dias) 1 310 11/08/2017 - 12:38 Português
Poesia/Canção Sem título (por luto) 1 312 10/27/2017 - 15:34 Português
Poesia/Geral Mensagem 1 308 03/27/2017 - 14:50 Português
Poesia/Aforismo O exagero de Sócrates 0 251 10/14/2016 - 20:50 Português
Poesia/Aforismo A mais importante das leis 0 308 10/14/2016 - 20:45 Português
Poesia/Meditação Evolução? 2 350 10/12/2016 - 13:34 Português