CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Dueto Albano Ferreira / Loubah Sofia

Nota explicativa
Este dueto foi CONSTRUÍDO por a Loubah Sofia, a partir de um poema que enviei-lhe particularmente, e remetido para mim há dias.
Então, eu resolvi o publicar, porque eu acho que ele merece ser visto e apreciado por todos, assim como o merece a "inteligência poética" da Loubah Sofia

Ela disse-me:
Se permite-me a ousadia, responderei a ti como um dueto alternado contigo assim:

 

Afinal, qual o porquê de tal tristeza desalmada
se a beleza, que vejo em ti contida,
se passeia contigo de mão dada,
na tua vida?

 

     Porquê d’alma um dia conheceu o êxtase da bem aventurança
     Talvez... dar dor de tanto amor prevaleça d’alguma forma o belo
     Porque essa minha vida... já mão nela da outra mão segura

 

Apavora-te a voracidade dessa ferida
que faz tu sentires a tua vida
se transformar, num nada...

 

     Sim o nada que em tudo o é voraz e cruel ferida
     Um sentir de lamentos que chora azuis
     Tão rubros que o transformar dos céus não seria capaz

 

Será que nesta travessia,
em que um dia tu sentiste-te
a cair de uma ponte,
tu sentiste um tal frio
porque a tua alma entrou nesse corrupio,
num tal vazio,

 

     Frio desumano, frio de ponte em mim do eu caído
     Despencado num abismo infindo
     Travessias não mais há e se o tem... Tantos espinhos
     Tantos pavores que nem escolha do alento vazio o foi permitido

 

que faz que tu a sintas a monte,
vagueando no tremendo espaço contido
entre um passado, que já é ido, e um distante horizonte
onde o teu eu não é tido.

 

     Esse eu respira ainda o passado razão do viver presente
     Sem ele o vagar não adver espaços
     Não visa horizonte, perdida aurora
     Tal qual frágil beija –flor buscando gota d’agua
     Tal qual filhote perdido do ninho
     De não nascidas asas

 

Tu sentes o esqueleto das tuas asas partido...

 

     Cada recanto oculto e desconhecido
     Cada segredo desmembrado sem piedade
     Sem onde esconder-se desse vôo de morte

 

Não poderia me entregar à tristeza
que retratas em teu olhar,
nem ao choro da tua Alma,
nem tampouco à avidez que, de quando em vez,
se extravasa do teu estar.

 

     Como entregar o que de vida não mais se tem?
     Se alma chora vazios
     Se retrato nem mais em sépsia o é revelado
     O vinho secou... e embriagues entrou em torpor
     Brutal esse saque sem ternura, sem mão de carinho
     E protector braços que abracem

 

Não conseguiria suportar esse arrastar de correntes
que tu sentes a te prender,
a te reter aos teus pendentes,
dos quais tu não consegues te libertar

 

     Para sempre cativa
     Nessa liberdade não pedida
     Nessas correntes quebradas que traz rendida
     O incerto de não mais o ser capaz
     Desejos...vontades...onde olhos que cegos
     A luz doutro clarão não saber ver

 

Não poderia ficar indefinidamente
a esperar ver passar a dor
que viola, sem pudor e constantemente, a tua Alma
e te lança noite e dia, nessa apatia,
no nervosismo que é
essa tua aparente calma.

apsferreira

 

     Perdão é pedido... Pedido baixinho num sustenido
     Quieto, sereno e compungido
     Espírito órfão de algoz libertador
     De cuja aparente calma ainda
     E sempre será autor.

     Loubah Sofia – Alma Feita De Ti -

Submited by

sexta-feira, setembro 2, 2011 - 21:10

Poesia :

Your rating: None (3 votes)

apsferreira

imagem de apsferreira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 52 semanas
Membro desde: 09/21/2009
Conteúdos:
Pontos: 3457

Comentários

imagem de Teresa Almeida

Dueto Albano Ferreira / Loubah Sofia

Acho emocionantes os duetos em poesia.

Este teve um resultado estimulante, há uma comunhão de almas muito evidente. As agruras são partilhadas e, assim, poeticamente, sublimadas.

Parabéns amigos.

Um abraço,

Teresa

imagem de Raena David

Oi Eu achei muito bonito o

Oi

Eu achei muito bonito o que você e minha mãe escreveram

Amigos de verdade entende mesmo quando agente não fala nada.

Eu tenho amigos assim, na minha familia e na escola.

Obrigado por ler minha poesia e escrever pra mim.

Bjs

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of apsferreira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral E eu escrevo... 6 2.381 02/25/2018 - 21:03 Português
Poesia/Amor Incúria 8 1.454 11/20/2013 - 17:49 Português
Poesia/Dedicado Saudade 2 1.434 01/30/2013 - 23:43 Português
Poesia/Aforismo As Pessoas, Que São Boas 0 1.163 01/28/2013 - 03:20 Português
Poesia/Aforismo Brumas, no Olhar 2 1.576 01/21/2013 - 02:54 Português
Poesia/Aforismo Ah, Catraia Tonta... 0 1.905 01/20/2013 - 20:54 Português
Poesia/Amor A Irracionalidade do Amor 2 1.399 01/20/2013 - 20:34 Português
Poesia/Amizade O Teu Sorriso 2 974 01/18/2013 - 23:29 Português
Poesia/Amor Pedido, à Minha Estrelinha 2 1.433 10/19/2012 - 13:41 Português
Poesia/Amor Será, Que Tu Já Te Apercebeste, Meu Amor? 0 1.192 10/18/2012 - 05:55 Português
Poesia/Dedicado A Cor da Vida 0 1.544 10/11/2012 - 22:19 Português
Poesia/Fantasia Eu Sonho O Teu Despertar 0 1.901 10/09/2012 - 12:14 Português
Poesia/Dedicado Quer Quer Viver Para Sempre? 0 1.187 10/05/2012 - 07:53 Português
Poesia/Amor Ouve, Meu Amor... 0 1.379 10/04/2012 - 08:01 Português
Poesia/Paixão Apenas, Imaginação... 0 1.228 09/30/2012 - 11:13 Português
Poesia/Amor Eu quero-te, porque te quero 0 1.688 09/26/2012 - 03:53 Português
Poesia/Dedicado Desejos de Amor 0 1.527 09/24/2012 - 05:38 Português
Poesia/Meditação Porquê? 0 1.018 09/22/2012 - 04:03 Português
Poesia/Meditação Senhor... 0 1.706 09/19/2012 - 04:28 Português
Poesia/Dedicado Eu Viajo com o Teu Sorriso 0 1.084 09/17/2012 - 11:49 Português
Poesia/Soneto Alma de Mulher 0 1.877 09/09/2012 - 20:48 Português
Poesia/Aforismo Quando Muda O Mês 0 1.249 09/01/2012 - 19:41 Português
Poesia/Meditação Por "Trinta Dinheiros" 2 2.117 08/28/2012 - 17:51 Português
Poesia/Amor Incursão 0 1.530 08/21/2012 - 19:55 Português
Poesia/Aforismo Este Meu Fado 1 1.879 08/08/2012 - 02:48 Português