CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Gentes

Como, as águas, são enganosas!
Dizem-se insípidas,
Mas eu acho-as tão saborosas…!
Se são límpidas;
Transparentes;
Agradáveis,
Convidam-me a debruçar-me sobre elas…
A lavar as minhas mazelas.
A beber da sua frescura.
A testar a sua textura…

E quanta transparência elas aparentam…
Mas, se tento olhar através delas,
Logo se escondem, por detrás de mim,
Troçam da minha feição,
Imitam a minha expressão,
Retratando-se com ela…
E gozam com a minha aflição,
Como se nada importasse, tanto assim…
Fazem seu, o meu rosto,
Espelhando-o na sua tez…
E tentam ludibriar-me, outra vez,
Quando o moldam a meu gosto.

Fazem-no dançar, sobre elas…
Querem ler na minha alma,
Inquirir a minha calma,
Mas a nada me intimidam.
Eu afrouxo as cautelas…
Deixo, mas minto…!
Retrato-me, em minha face,
De formas tão diferentes.
Camuflo o que sinto…!
Deixo-as zombar de mim…
E eu minto, minto e minto,
Pois, elas, a tudo, me incitam.

Eu aceno-lhes, com o virtual…,
Mostro-lhes o banal;
Recrio imagens de minha vida,
Exibo-lhes semblantes sorridentes…;
Doces expressões;
Calmas…,
Até penitentes,
Como, as próprias das boas gentes!
Ou, outras,
Próprias de corações ardentes…;
De corações de outras pessoas,
De nobre carácter e de maneiras boas,
Que eu sei serem tão diferentes…!

E neste brincar constante,
Vão trazendo-me gente e gente…,
Em cadeia incessante!
Num desfilar permanente…
Pessoas, que, na vida, dançam comigo
E, outras, que me embalam,
Quantas delas, como se, por castigo!
As, que me amainam, com sorrisos,
Com carinhos, sempre, dados,
Em moldes tão cuidados,
Quando os acham precisos,
A quem elas julgam ser demente,
Ou, de vida, pobre em gente.

E fazem-no naqueles momentos,
Em que eles, mais me são tão precisos…!
E, mesmo, eu sabendo-os indiferentes,
Salteados de enigmáticos sorrisos
E conselhos impertinentes,
De igual modo, eu acolho-os, com sorrisos…

Levam-me a passear, pelos tempos,
Por veredas e caminhos:
Os que gostaria de ter percorrido…
E eu sinto-me, ludibriado!
Mas, também, constrangido…
Porventura apaziguado…!
Eu nem sei, como o consigo…

E rindo-se, do que a vida me fez,
Voltam a espelhar-me, outra e outra vez.
Até, que eu me sinta conformado;
Até, que eu me mostre convencido;
Até, que me imponham a sua sentença!
Até, que, por fim, eu me convença,
Que, em minha vida, nada valeu a pena,
Porque a minha alma foi pequena.

apsferreira

São, tantas, estas gentes... :-(

Submited by

quarta-feira, outubro 21, 2009 - 18:43

Poesia :

No votes yet

apsferreira

imagem de apsferreira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 48 semanas
Membro desde: 09/21/2009
Conteúdos:
Pontos: 3457

Comentários

imagem de MarneDulinski

Re: Gentes

apsferreira!

Gentes

E rindo-se, do que a vida me fez,
Voltam a espelhar-me, outra e outra vez.
Até, que eu me sinta conformado;
Até, que eu me mostre convencido;
Até, que me imponham a sua sentença!
Até, que, por fim, eu me convença,
Que, em minha vida, nada valeu a pena,
Porque a minha alma foi pequena.
SUA ALMA FOI PEQUENA, GOSTEI DO TEXTO, EMBORA SENDO MUITO LONGO!
MarneDulinski

imagem de Poetaminas

Re: Gentes

Amigo, vc tem um discorrer poético muito bom. Não tem palavras rebuscadas tentando confundir o leitor e deixar enignas que devam ser adivinhados. Prefiro assim, falando claro, fazendo colocações lógicas. Vc escreve muito bem e poucos, já encontrei, escrevendo assim.
Grata pelo comentário ao meu poema e volte sempre. bjs

imagem de FlaviaAssaife

Re: Gentes

apsferreira,

Gostei do tema, da construção (apesar de um pouco longa), faz meditações profundas, vai e vem no pensamento, real e ilusório misturam-se e retratam-se.

Bom. Abraço.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of apsferreira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral E eu escrevo... 6 3.170 02/25/2018 - 21:03 Português
Poesia/Amor Incúria 7 2.160 11/20/2013 - 17:49 Português
Poesia/Dedicado Saudade 2 2.034 01/30/2013 - 23:43 Português
Poesia/Aforismo As Pessoas, Que São Boas 0 1.529 01/28/2013 - 03:20 Português
Poesia/Aforismo Brumas, no Olhar 2 1.900 01/21/2013 - 02:54 Português
Poesia/Aforismo Ah, Catraia Tonta... 0 2.465 01/20/2013 - 20:54 Português
Poesia/Amor A Irracionalidade do Amor 2 1.924 01/20/2013 - 20:34 Português
Poesia/Amizade O Teu Sorriso 2 1.443 01/18/2013 - 23:29 Português
Poesia/Amor Pedido, à Minha Estrelinha 2 1.794 10/19/2012 - 13:41 Português
Poesia/Amor Será, Que Tu Já Te Apercebeste, Meu Amor? 0 1.584 10/18/2012 - 05:55 Português
Poesia/Dedicado A Cor da Vida 0 2.017 10/11/2012 - 22:19 Português
Poesia/Fantasia Eu Sonho O Teu Despertar 0 2.321 10/09/2012 - 12:14 Português
Poesia/Dedicado Quer Quer Viver Para Sempre? 0 1.709 10/05/2012 - 07:53 Português
Poesia/Amor Ouve, Meu Amor... 0 1.839 10/04/2012 - 08:01 Português
Poesia/Paixão Apenas, Imaginação... 0 1.501 09/30/2012 - 11:13 Português
Poesia/Amor Eu quero-te, porque te quero 0 2.161 09/26/2012 - 03:53 Português
Poesia/Dedicado Desejos de Amor 0 2.000 09/24/2012 - 05:38 Português
Poesia/Meditação Porquê? 0 1.374 09/22/2012 - 04:03 Português
Poesia/Meditação Senhor... 0 2.294 09/19/2012 - 04:28 Português
Poesia/Dedicado Eu Viajo com o Teu Sorriso 0 1.406 09/17/2012 - 11:49 Português
Poesia/Soneto Alma de Mulher 0 2.557 09/09/2012 - 20:48 Português
Poesia/Aforismo Quando Muda O Mês 0 1.657 09/01/2012 - 19:41 Português
Poesia/Meditação Por "Trinta Dinheiros" 2 2.593 08/28/2012 - 17:51 Português
Poesia/Amor Incursão 0 1.927 08/21/2012 - 19:55 Português
Poesia/Aforismo Este Meu Fado 1 2.575 08/08/2012 - 02:48 Português