CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Impressões retidas na objectiva de olhares perscrutadores

Título longo. As normas reprová-lo-iam.Mas adoro estas niquices e como sou freelancer no meu blogue, posso fazer as minhas próprias regras. O comum é vulgar e desafiar a mente é um óptimo exercício para prevenir (?) as temíveis doenças do esquecimento. São o meu pavor! Não ter poder de decisão…
Mas deixemos estas questões de índole mais ética. Acredito que dentro de poucos anos poderemos decidir que qualidade de vida desejamos.
E quem sabe se não poderá ser um motivo para outra reflexão?
Regressada de um curto período de férias em Palma de Maiorca, Arenal, e não pretendendo “tuitar” no blogue, sempre que faço uma viagem um pouco diferente, tento transcrever um pouco do que senti, cabendo nestas impressões o que se vive, o que se pensa, o que a mente cozinhou e deixou em banho-maria.
Involuntariamente fazem-se comparações Exercício a abominar porque pouco criativo. Assim, nesta linha, a objectiva dos meus olhares, percepcionou o real, zona mediterrânica, mas ficou entristecida com a ausência de verdes pujantes; ficaram mais baços e acastanhados, meus olhos, tal como as palmeiras que captei.
Tempo muito quente, mar de águas cálidas, areia onde cabem todos os sonhos…
Edifícios, altura razoável, hotéis, bares, movida nocturna, néons a ofuscar, poluição visual. Parece Carnaval…
Dei por mim, no trajecto hotel-praia e vice-versa  a convergir os olhares em casas mais térreas que me evocavam o nosso Alentejo. Portadas entre-abertas, mobiliário de veraneante. Talvez. E os residentes, que diriam desta azáfama? Que olhares captariam dos turistas? Novamente a mente me traiu e veio-me à memória a reportagem que li sobre as ilhas do nosso Algarve. Numa delas, só havia um residente. Esse era o resistente e único habitante digno desse nome. Todos os outros partiam.. E era feliz!
Valeram-me os verdes hospitaleiros do complexo hoteleiro. Os pinheiros, fabulosos,os relvados, cuidados, as flores vivaças.
Talvez volte. Para outra zona, com toda a certeza. Os azuis, sonham-se, os verdes acalmam…

Escrevo ainda em Lisboa. Quando chegar a casa, sei que darei conta do crescimento dos arbustos. É um hábito. Ou será porque sinto que também cresci? Parafraseando o título de um grande filme e não menor importante, a sua história e os seus actores, direi “A vida é bela”, mas apetece-me uns laivos de ironia “Nós é que damos cabo dela! “.
Em todo o caso, para o ano espero poder aqui estar a dar conta de outras vivências…

Odete Ferreira - 23-08-2011
 

Submited by

segunda-feira, setembro 5, 2011 - 01:46

Prosas :

No votes yet

Odete Ferreira

imagem de Odete Ferreira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 21 semanas 5 dias
Membro desde: 01/11/2011
Conteúdos:
Pontos: 1927

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odete Ferreira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza Entardecer com sabor a despedida 1 746 03/15/2018 - 13:59 Português
Poesia/Tristeza Música 1 852 03/15/2018 - 13:58 Português
Poesia/Desilusão Apenas mais um dia 1 1.414 03/15/2018 - 13:57 Português
Poesia/Meditação Se a vida fosse sempre assim 1 978 03/15/2018 - 13:56 Português
Ministério da Poesia/Fantasia Seres incompletos 3 1.053 03/15/2018 - 13:56 Português
Prosas/Outros No sopé da montanha 1 442 03/08/2018 - 19:01 Português
Poesia/Meditação Tempo(s) 1 1.000 03/08/2018 - 18:43 Português
Poesia/Fantasia Surrealidades 1 833 03/08/2018 - 18:42 Português
Poesia/Tristeza Emocão 5 1.225 03/08/2018 - 16:48 Português
Poesia/Dedicado Mulher-Dor 3 299 03/08/2018 - 16:14 Português
Poesia/Intervenção E a festa veste-se em cada madrugada 3 796 02/27/2018 - 11:43 Português
Poesia/Meditação À míngua 0 741 12/30/2015 - 22:36 Português
Poesia/Intervenção Não invoquem o meu nome em vão 0 1.142 11/25/2015 - 02:18 Português
Poesia/Fantasia Surreal XXVIII 2 647 09/05/2015 - 19:00 Português
Prosas/Outros Da alma 0 416 09/01/2015 - 19:58 Português
Poesia/Intervenção Da destemperança 0 848 08/26/2015 - 01:35 Português
Poesia/Meditação E no entre-Tanto faço caminho 0 589 07/02/2015 - 23:55 Português
Poesia/Meditação E continuamos pequeninos! 0 855 06/02/2015 - 20:15 Português
Poesia/Intervenção Nem te renego nem me nego 0 706 04/25/2015 - 02:08 Português
Poesia/Dedicado Laudatória 0 539 03/24/2015 - 19:03 Português
Poesia/Dedicado És...Mulher 0 952 03/08/2015 - 18:53 Português
Poesia/Amor Vida(s) 0 804 02/14/2015 - 18:07 Português
Poesia/Amor Moras nos meus sonhos 0 1.041 02/13/2015 - 16:30 Português
Poesia/Dedicado Olhares 0 1.315 01/22/2015 - 01:58 Português
Prosas/Outros Do exato momento da VIragem 0 765 12/30/2014 - 14:27 Português