CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Momentos especiais saídos do fundo das memórias

Se os mitos que nos identificam nesta pequena parte do mundo e que nos têm guardados até ao começo de um novo mundo, forem mitos de gerações vindouras, a minha boca será ruidosa e frutuosa num corpo vivo. Honrarei as figuras desenhadas por um beijo e matarei esse desejo louco de me teres nesta solidão nocturna. Lamento não poder chegar de madrugada nesse momento inquieto e amadurecido pela noite, mas não posso. Seria continuar num caminho que me quer quando já nada acontece e não me diz que sou maior que o vento que bate nas vidraças da tua janela. Há um mar inquieto nos teus olhos, há uma soma de gestos, vestidos para viver em plena luz, num dia que se abre e fecha, sempre que chega a hora da despedida desta furna que me afoga em mar ardente de desejo. Saí para a rua e deitei-me nas horas enquanto espero por boas novas através de sons de palavras outras, que chegam devagar.

Muito lento é agora desejar o que não tenho e absorver aromas doces que se espalham pela atmosfera. Um misto de outroras vindas do céu, que se esbatem no nevoeiro, formado à roda dos meus olhos e que se acomodam num pensar distinto e sobranceiro. Morro sempre que meus olhos te vêm nesse labirinto fechado, de ideias tresmalhadas e continuadas num reescrever que faz doer a pena de quem se reescreve por todos os caminhos já fechados. Fico assim, aguardando pelo teu regresso, ou pelo que resta de ti, após teres esgotado todos os amores que te assentam como luvas de algodão, tal qual o manto dourado que te cobre o rosto. Saíram de um cofre forte, que só o tempo abriu e amainou quando sobrevoaram um mar que se quis forte no meu peito. Gastei-os num dia de felicidade, daqueles que só se conhecem em momentos especiais, saídos do fundo da memória. Estarão prestes a abandonar o cais e a debandar pelas marés altas, indo sem destino à procura de outros céus maiores, de onde se poderão ver outros sons, outras bocas, outros rostos que se queiram peregrinos num novo mundo.
- Se porventura me encontrarem morta, deixem-me ficar a gastar-me no chão que me há-de cobrir por inteiro, porque para me terem na vossa verdade, eu terei que morrer primeiro.

Terão que me enxergar, fechando os olhos aos meus olhos, a boca à minha boca, o corpo ao meu corpo. Só há um modo de me encontrarem…. Estarei para todo o sempre enraizada na vossa memória e lembrando de mim, serão eu - ser vivente em ondas vibratórias, nas mediações de um corpo aberto a novas conciliações.

Submited by

quarta-feira, junho 2, 2010 - 17:10

Prosas :

No votes yet

ÔNIX

imagem de ÔNIX
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 anos 20 semanas
Membro desde: 03/26/2008
Conteúdos:
Pontos: 4027

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of ÔNIX

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Acordar da Manhã 2 1.576 03/22/2018 - 22:16 Português
Poesia/Amor Céu 2 1.627 03/14/2018 - 22:25 Português
Poesia/Meditação Vida lá fora 5 1.255 03/14/2018 - 22:24 Português
Poesia/Dedicado Saudações 2 1.943 03/01/2018 - 11:13 Português
Fotos/Corpos Rendas 1 2.964 03/27/2016 - 03:20 Português
Poesia/Meditação Selváticas Emoções 0 1.168 01/17/2012 - 23:36 Português
Poesia/Meditação Talvez 2 1.365 01/17/2012 - 21:35 Português
Poesia/Meditação Jardins Aquáticos 1 1.268 01/04/2012 - 23:07 Português
Poesia/Meditação Eram rosas os meus olhos 1 1.940 12/27/2011 - 23:48 Português
Poesia/Meditação Verdes lembranças 0 1.776 12/15/2011 - 15:50 Português
Poesia/Meditação Se eu fosse só eu 0 1.544 12/09/2011 - 11:19 Português
Poesia/Meditação Bruma Intemporal 1 1.616 12/07/2011 - 02:03 Português
Poesia/Meditação Eras 1 1.697 12/06/2011 - 21:49 Português
Poesia/Meditação Vão-se os Modos, Esvai-se o Tempo 0 1.094 12/01/2011 - 21:29 Português
Poesia/Meditação Pensamento invulgar 1 1.881 11/30/2011 - 00:21 Português
Poesia/Meditação Dor 0 4.129 11/24/2011 - 13:45 Português
Poesia/Meditação Extraviados 6 2.886 11/23/2011 - 12:12 Português
Poesia/Meditação Bom Dia 1 2.470 09/29/2011 - 22:16 Português
Poesia/Tristeza Um nada somente 1 1.589 09/14/2011 - 12:23 Português
Prosas/Outros Sol da Manhã 0 1.548 09/12/2011 - 10:24 Português
Poesia/Amor Nu 0 1.862 09/07/2011 - 11:07 Português
Poesia/Amor Tu 2 1.386 08/30/2011 - 01:57 Português
Poesia/Meditação Só Alma 1 1.346 08/26/2011 - 10:23 Português
Poesia/Meditação O Avesso de Mim 2 1.394 08/23/2011 - 22:26 Português
Poesia/Meditação Grãos D'Ouro 3 1.693 08/23/2011 - 22:22 Português