CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

As palavras que sempre te direi...

Livres no pensamento são todos os que puderem assimilar a verdade de única sílaba tónica que sem poder acentuar palavras, se desprende de um voo lento para cair nas correntes fortes de um rio. Na verdade, serão únicas, as várias tonificações das palavras que se encolhem e se preparam para novos voos mais profundos. Lá, estaremos nós para as acolher nas suas verdades, nos seus propósitos de serem fontes inesgotáveis, enquanto mantivermos esta força única de um ponto. Viver além da dor, é sentir no corpo esta força viva, pronta para desflorar num pensamento pontificado. Será ele que nos leva para um local desprotegido, se não mantivermos a ligação à chama que sempre se mantém acesa, para dela recebermos todos os ingredientes que necessitamos e deixarmos a vida passar, sem dela fazermos grande aparato. Ter presente na nossa mente, que há nós que se desatam e outros que se assemelham a formas continuadas e enroladas à nossa cintura, é sabermos igualar os gestos de um corpo.

Quero muito ser livre, quero muito encontrar-te nessa tua realidade, quero que tudo o que venha desse ponto minúsculo, se mantenha como rastilho na minha mente. Preciso dessa leveza solta nas minhas ideias, para que te possa sentir a viajar por todas as artérias que transportam as correntes sanguíneas do meu corpo. Sem isso nada poderei dizer-te porque não te sinto certeza na minha verdade, nem verdade na minha realidade. Vejo-te eu, sem saber de mim, sinto-me tu sem saber de ti, e não aguento esta dor perfilada no meu pensamento quando te penso solto(a) por aí. Gostava de poder deixar-te ir, mas não estou ainda preparada para essa verdade que já existe desde que nasci. Este medo, esta loucura presente, esta lucidez inconsequente, que me transforma anulando-me por completo, são o cárcere onde habito, se não souber encontrar o ponto fulcral onde tive início. Preciso saber-me na cor deste espaço fechado, encontrar-me com esta solidão e questioná-la sobre as nossas mais exactas verdades, num momento expandido nos nossos corpos, compostos por fragrâncias, fiéis depositárias de novos conhecimentos da vida, por detrás de vidas. Sei que há um deles que só eu poderei conhecer, se dele me aproximar no preciso momento em que souber deixá-lo ir.

Serei sempre aquela que te disse um dia de um amor presente, de uma dor constante, de uma vida que sem ser vida num instante, é aquela que escolhi para te dizer de mim. Viverás nesse encolher de ombros, ou nessa expansão dos gestos, sempre que quiseres lançar para a atmosfera, um sentimento que nada te diz, e eu feliz por assim ser, voo junto e fico sentada à tua espera, porque sei que um dia chegarás lá, nesse ponto minúsculo, mas gigante na leveza de um olhar feliz. Esse não terá cor, nem te trará o sol, nem a lua nem tão pouco as estrelas, mas tão só, a vida que escolhi para mim, quando te disser:

AMOR – a única palavra que me faz viver em liberdade, em busca da harmonia de um corpo que se abrirá sempre, e fará de todas as estações, a Primavera dos Tempos. A única palavra que transformará as minhas ideias, num sentimento capaz de te dizer que te AMO, quando conseguir fazer-te a saudação de dentro da minha solidão e te disser que a chama que me alimenta, vem de ti, porque nela fiz nascer esta paixão que sempre me acompanha, tonificando todos os pontos que já começam a formar novos traços, na composição aquosa do meu corpo.

MEDO – a única palavra que me faz querer, sem saber o quê, por não poder ter o que não me pertence. Sentir que este sentimento que me alimenta, é composto por partículas desagregadas de um todo que nos uniu, mas que, também elas, por se terem perdido, criam este efeito paralisador, alternado com o pensamento. Não te quero(a) perdido(a) por aí, porque para me sentir bem, terei que saber de ti. Fica então neste patamar onde guardo todos os meus segredos, mas não sejas segredo para mim, porque não quero perder-me quando pensar em te procurar.

Submited by

segunda-feira, junho 7, 2010 - 23:05

Prosas :

No votes yet

ÔNIX

imagem de ÔNIX
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 anos 19 semanas
Membro desde: 03/26/2008
Conteúdos:
Pontos: 4027

Comentários

imagem de Mefistus

Re: As palavras que sempre te direi...

Num trocadilho muito bem pensado sobre o titulo de um outro romance, que por sinal foi traduzido em filme, confesso que entrei com receio.
E li devagar, saboreando as silabas tónicas, como servidas neste calor em duas pedras de gelo e casquinha de limão.
A verdade porém é que o tal trocadilho é só e apenas uma feliz coincidencia.
Tudpo o resto é refrescante, sem qualquer alusão directa e sabes....Gosto muito mais de te ler que ao autor do trocadilho.

Mas gosts sãogostos e dou sempre por bem empregue o tempo que flui ao te ler.

Pasrabens

imagem de ÔNIX

Re: As palavras que sempre te direi...P/Mefistus

Olá Mefistus

Saudades tuas e do teu conto.

O filme que falas não sei qual é, mas sei de um livro (e não lembro o autor), que escreveu sim; "As palavras que nunca te direi" Talvez me tenha servido para inverter e colocar como título no meu texto

Fico feliz que gostes de me ler.

Beijo

imagem de AlbertoFerreira

Re: As palavras que sempre te direi...

o céu e a terra pousou diante destes olhos e eu nem queria acreditar, chovi a noite inteira emoções de vários tons, parabéns Poetiza por este sentir cristalino, pura poesia que nos dás de ti

Dolores
beijo

imagem de ÔNIX

Re: As palavras que sempre te direi...p/Alberto

Alberto

Agradeço a tua visita e das tuas palavras que mostram a tua grande sensibilidade

Um beijo grande

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of ÔNIX

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Acordar da Manhã 2 1.573 03/22/2018 - 22:16 Português
Poesia/Amor Céu 2 1.625 03/14/2018 - 22:25 Português
Poesia/Meditação Vida lá fora 5 1.251 03/14/2018 - 22:24 Português
Poesia/Dedicado Saudações 2 1.938 03/01/2018 - 11:13 Português
Fotos/Corpos Rendas 1 2.958 03/27/2016 - 03:20 Português
Poesia/Meditação Selváticas Emoções 0 1.166 01/17/2012 - 23:36 Português
Poesia/Meditação Talvez 2 1.362 01/17/2012 - 21:35 Português
Poesia/Meditação Jardins Aquáticos 1 1.263 01/04/2012 - 23:07 Português
Poesia/Meditação Eram rosas os meus olhos 1 1.938 12/27/2011 - 23:48 Português
Poesia/Meditação Verdes lembranças 0 1.774 12/15/2011 - 15:50 Português
Poesia/Meditação Se eu fosse só eu 0 1.538 12/09/2011 - 11:19 Português
Poesia/Meditação Bruma Intemporal 1 1.612 12/07/2011 - 02:03 Português
Poesia/Meditação Eras 1 1.690 12/06/2011 - 21:49 Português
Poesia/Meditação Vão-se os Modos, Esvai-se o Tempo 0 1.085 12/01/2011 - 21:29 Português
Poesia/Meditação Pensamento invulgar 1 1.876 11/30/2011 - 00:21 Português
Poesia/Meditação Dor 0 4.122 11/24/2011 - 13:45 Português
Poesia/Meditação Extraviados 6 2.885 11/23/2011 - 12:12 Português
Poesia/Meditação Bom Dia 1 2.467 09/29/2011 - 22:16 Português
Poesia/Tristeza Um nada somente 1 1.587 09/14/2011 - 12:23 Português
Prosas/Outros Sol da Manhã 0 1.547 09/12/2011 - 10:24 Português
Poesia/Amor Nu 0 1.861 09/07/2011 - 11:07 Português
Poesia/Amor Tu 2 1.385 08/30/2011 - 01:57 Português
Poesia/Meditação Só Alma 1 1.341 08/26/2011 - 10:23 Português
Poesia/Meditação O Avesso de Mim 2 1.394 08/23/2011 - 22:26 Português
Poesia/Meditação Grãos D'Ouro 3 1.689 08/23/2011 - 22:22 Português