CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Retalhar

Destapada estava aquela pequena parte do coração que o vento trouxera ao entardecer. Era indecifrável a forma como as coisas se dispunham no chão, à beira de mais um passar de ano no bairro de todas as perdições. Havia um senhor esfericamente impreciso, que escrevia debruçado no degrau calcário da casa onde se aprestava a ganhar a eternidade. Adivinhavam-se grandes coisas de todo aquele silêncio que se permitia a si próprio, mas era o vento, o mesmo amparador da santidade indefinida daquela porção de coração, que o parecia desconcentrar. Mais à frente, um gato, ou o que parecia ser uma criatura carinhosa, acinzentada, e faminta, observava-o resfatelado silenciosamente em bocados de jornais das semanas que ali se foram desfazendo. Ali assim, perfeitamente balanceada no dispôr aparentamente caótico destas coisas, outra porção do passado de alguém pendia de um desnível na escadaria da igreja. Era uma carta, num papel amarelecido, só com um bocado de folha. Passando ao redor aparentava tranquilidade na forma como bailava à aragem, e nela o papel deixava entrever riscos certos e seguros de um punho que disse qualquer coisa, a qualquer pessoa. Afinal de contas, o sol já se pôs, e o homem continua a escrever. Quem observa podia fartar-se desta realidade. Mas narrar passa sempre por supôr. Encontrar pequenas concomitâncias na forma como o tempo corre devagar, para depois se lançar na montanha-russa das descrições sem sentido. Não parece ir a nenhum lado esta situação.

Submited by

sábado, dezembro 18, 2010 - 13:39

Prosas :

No votes yet

psicolito

imagem de psicolito
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 34 semanas 15 horas
Membro desde: 06/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 415

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of psicolito

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Fantasia Noite recortada em ti 0 480 05/13/2018 - 14:55 Português
Poesia/Intervenção Que se passa..... 2 419 12/30/2011 - 11:05 Português
Poesia/Meditação Costureirinha 0 780 10/08/2011 - 18:53 Português
Poesia/Meditação Duas cabeças 1 657 07/02/2011 - 15:38 Português
Poesia/Meditação Não 0 572 06/14/2011 - 18:34 Português
Poesia/Intervenção Democracia Verdadeira Já.... 0 593 06/04/2011 - 20:21 Português
Poesia/Dedicado A dormir se é feliz.... 0 1.111 05/22/2011 - 10:30 Português
Poesia/Geral ...sobre coisas 0 468 05/13/2011 - 19:22 Português
Poesia/Meditação Estaminé 1 922 04/19/2011 - 23:37 Português
Poesia/Meditação Indecisa a força maior de todos nós 5 880 02/16/2011 - 11:09 Português
Poesia/Dedicado Mais ou menos assim.... 0 1.043 02/11/2011 - 14:20 Português
Poesia/Meditação Povo somos ninguém 0 520 01/30/2011 - 16:39 Português
Prosas/Fábula Como morri... 8 1.099 01/21/2011 - 11:33 Português
Poesia/Meditação O amor é confuso.... 0 731 01/20/2011 - 11:14 Português
Prosas/Mistério Retalhar 0 1.099 12/18/2010 - 13:39 Português
Fotos/ - 1591 0 927 11/24/2010 - 00:39 Português
Fotos/ - 1590 0 1.024 11/24/2010 - 00:38 Português
Prosas/Romance Sentia-se Maria 0 954 11/19/2010 - 00:08 Português
Prosas/Pensamentos Oferece-me assim ao dia que raia... 0 787 11/19/2010 - 00:02 Português
Prosas/Pensamentos Lamaçal de ideias 0 672 11/18/2010 - 23:48 Português
Prosas/Pensamentos Estou chateado, e provo-o... 0 862 11/18/2010 - 23:48 Português
Prosas/Outros Formato das coisas podres 0 756 11/18/2010 - 23:47 Português
Prosas/Pensamentos Morte enpacotada 0 986 11/18/2010 - 23:47 Português
Prosas/Ficção Cientifica Assexuado 0 785 11/18/2010 - 23:47 Português
Poesia/Desilusão Inspirado em quem se inspirou na morte para homenagear 0 894 11/18/2010 - 16:32 Português