CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Laura

Teu pai te deu a vida, e só
ele vive a perambular
por espaços previamente calculados
pelo conhecido
por paraísos artificiais

Seu pai usou Baudelaire, Nietzsche, Foucault e Schopenhauer
Pra tentar entender a si mesmo e ao que havia ao redor dele
Seu pai dormiu na sarjeta, tomou comprimidos fortes
Pra tentar esquecer que ele existia

Perdoe-o!
A inocência dele foi corrompida por uma vida,
De abusos,
Negligencias,
Fraqueza
E predestinação falha.

Um homem que virou pai sem realmente entender o sentido hermenêutico
Uma criança que cresceu odiando seus pais;
Por favor, não faça isso!
Seja você em eternidade!
O seu pobre e desafortunado pai estará ao seu lado,
Pode ser que continue sendo bobo e infantil,
Mas sempre será teu companheiro e educador.

Laura...
Perdoe o mundo, antes de julgá-lo
A vida não é tão bela quanto é nos filmes
E o sossego é uma razão invertida,
Pois sempre queremos mais.

Filha...
Sempre serei seu pai.
Mesmo que nunca tenha compreendido o significado desse termo
Vou priorizar o teu pranto antes de qualquer desafinado canto meu!
Sou seu,
E desde já, te peço perdão.

Submited by

sábado, abril 10, 2010 - 03:49

Ministério da Poesia :

No votes yet

alamarezi

imagem de alamarezi
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 anos 29 semanas
Membro desde: 04/10/2010
Conteúdos:
Pontos: 114

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of alamarezi

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Perfil 1137 0 350 11/24/2010 - 23:10 Português
Videos/Perfil 1136 0 367 11/24/2010 - 23:10 Português
Fotos/ - 3439 0 539 11/24/2010 - 00:55 Português
Fotos/ - 3440 0 540 11/24/2010 - 00:55 Português
Fotos/ - 3441 0 471 11/24/2010 - 00:55 Português
Fotos/ - 3437 0 513 11/24/2010 - 00:55 Português
Fotos/ - 3438 0 550 11/24/2010 - 00:55 Português
Ministério da Poesia/Fantasia A razão 0 393 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Tristeza O garoto cosmopolita 0 440 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Desilusão A vendinha da esquina cabe no seu bolso 0 497 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Intervenção #2 0 573 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Comédia Obra prima 0 411 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Tristeza Dias assim 0 438 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Meditação Fingindo fé, fedendo fato 0 375 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Sobre o sarcasmo termo eterno e terreno 0 434 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Geral A capital do indiferente 0 494 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Meditação Sem rumo 0 443 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Meditação A certeza de estar no lugar errado 0 462 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Senhora Clemência 0 324 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Meditação Conscritos 0 436 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Meditação Figurante 0 496 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Comédia Laico 0 471 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Paixão Swing romântico 0 355 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Laura 0 482 11/19/2010 - 19:28 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Insolação 0 334 11/19/2010 - 19:28 Português