A Despedida de Solteiro

Américo e Jacinto, além de amigos, iriam ser cunhados, brevemente,
E como era costume, o noivo devia-se despedir da vida de solteiro,
Para que nunca mais, a saudade aperta-se, quando casado eternamente
E, para assim manter um casamento firme, honesto e ordeiro.

Conversa de homem para ali, conversa de homem para acolá,
E, vem ao assunto, irem a Lisboa, a um sitio muito famoso e corriqueiro,
De nome Cabaré Ié-Ié, que ficava no centro da cidade, das bandas de lá,
E que tinham moças a dançar, quase nuas, de camiseiro.

Jacinto, embora envergonhado, acedeu à vontade do futuro cunhado.
Américo, ao ver a sua vontade feita, quis logo nessa noite, ir dar lá uma espreita.

Chegaram já o espectáculo, tinha começado,
O tema era o burlesco, e as moças estavam no palco, em trajes menores,
Jacinto corou, pois ainda era muito verde, nestas andanças, neste fado,
Já, Américo vibrou, até parecia pertencer aqueles arredores.

O futuro cunhado começou a ficar espantado,
Pois, Américo até parecia conhecer toda a gente,
E ninguém se tinha a ele apresentado,
Miudas, graúdas, clientes e gerente.

De repente, na mesa, já estava espumante, amendoins e tremoços,
Logo, as moças, os abordaram e logo subiram para os seus colos,
Colocaram os seus despidos e perfumados braços, rodeando-lhes os pescoços,
E eles já perdidos, com tamanho alarido, pareciam dois tolos.

Começa o espectáculo, da artista principal,
De nome Vera, a tal.

Mal a moça entrou, o público aplaudiu a sua marcada presença,
Ela, cordialmente os cumprimentou e começou a sua erótica dança.

Dançava numa taça de champanhe enorme,
Ainda vazia, ela rodava e rodava lá dentro, como se estivesse num carrossel,
E, ao mesmo tempo, ia tirando a roupa de espectáculo, o seu uniforme,
Para que pudesse ficar mais à vontade, em dossel.

Era uma bela mulher, de traços exóticos e muito sensual,
De tamanha beleza, que nunca haviam visto nada igual.

De repente, saiu do tecto, um jacto de água, que o seu corpo banhou,
Toda ela era, a sensualidade em pessoa, com tal espectáculo fluvial,
Suas linhas e mamilos a água evidenciou,
Todo o conjunto de coisas e loisas, eram de uma mulher fatal.

De repente, e ainda em palco, já a acabar o seu acto,
O olhar dela cruza com o de Jacinto e congela, por momentos escassos,
Inconscientemente, o reconhecimento é familiarmente imediato,
Nem, ela sabe bem o que vê, porque somente reconhece os seus traços.

Fica assustada, porque lhe pareceu ver quem lhe fez mal,
Impossível seria, ainda estar tão bonito e jovial.

Fica apavorada e chora porque afinal de nada valeu, fugir do seu passado,
Maldita sina, havia de a seguir para todo o lado.

 

 

 

 

 

 

Submited by

Domingo, Noviembre 6, 2011 - 03:03

Poesia :

Su voto: Nada (1 vote)

joanadarc

Imagen de joanadarc
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 3 semanas 4 horas
Integró: 07/18/2011
Posts:
Points: 1571

Comentarios

Imagen de apsferreira

E eu também estou na

E eu também estou na espetativa

de as ler - as evoluções - Joana. Sente-se como tu vives

intensamente a tua história, dada o modo

intenso como tu a fazes chegar a nós...

:-)

Imagen de joanadarc

Caro Albano, A tua presença é

Caro Albano,

A tua presença é sempre obrigatória, por estes lados.

Os teus comentários são uma mais valia, para mim e julgo serem para outros, que frequentam e escrevem na WAF.

Um obrigado sincero e especial.

 

Joana

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of joanadarc

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/Pasión ESPERO-TE 6 3.713 03/15/2018 - 11:14 Portuguese
Poesia/Dedicada OS HOMENS TAMBÉM CHORAM... 4 1.298 03/15/2018 - 11:13 Portuguese
Poesia/Pasión O HOMEM COM MEDO 3 1.283 03/15/2018 - 11:12 Portuguese
Poesia/Pensamientos DEMOCRACIA DA EXPRESSÃO 11 3.526 02/27/2018 - 12:13 Portuguese
Poesia/Pasión FICA-TE A MATAR... 1 1.841 04/20/2013 - 01:07 Portuguese
Poesia/Pasión FICA-TE A MATAR... 0 3.054 04/06/2013 - 01:55 Portuguese
Poesia/Pasión FICA-TE A MATAR... 0 1.752 04/06/2013 - 01:50 Portuguese
Poesia/Pasión DEBAIXO DA TUA PELE 1 2.739 03/28/2013 - 19:05 Portuguese
Poesia/Dedicada A SOMBRA DA SOLIDÃO 1 2.128 03/04/2013 - 12:47 Portuguese
Poesia/Pasión DEVIA TER-TE... 2 1.403 03/01/2013 - 18:25 Portuguese
Poesia/Meditación DIZERES MUDOS 2 1.446 03/01/2013 - 18:15 Portuguese
Poesia/Pensamientos DEIXAR O DESTINO TRABALHAR 3 1.418 03/01/2013 - 18:10 Portuguese
Poesia/Erótico SODOMIZO-TE…O Diabo do Corpo 5 1.793 10/04/2012 - 23:55 Portuguese
Poesia/Pasión MORRES 8 1.691 07/03/2012 - 00:57 Portuguese
Videos/Privadas Bruno Mars - It Will Rain 0 2.371 07/01/2012 - 00:12 Portuguese
Videos/Musica Lana Del Rey - Blue Jeans 0 2.148 07/01/2012 - 00:03 Portuguese
Poesia/Pasión TARDO EM TI... 2 1.912 06/30/2012 - 23:59 Portuguese
Poesia/Pasión A BELA E O MONSTRO 2 4.037 06/30/2012 - 23:38 Portuguese
Videos/Musica Alejandro Sanz - y solo se me ocorre amarte 0 2.433 06/30/2012 - 23:31 Portuguese
Videos/Musica Heartbeat City - The Cars 0 2.460 06/30/2012 - 23:11 Portuguese
Poesia/Dedicada ESTE COMBOIO NÃO VAI PARAR 4 1.347 06/24/2012 - 22:20 Portuguese
Videos/Musica Pedro Abrunhosa - Tenho o Diabo no Corpo 0 3.426 06/22/2012 - 23:30 Portuguese
Videos/Musica Susana Félix - Idade do Céu 0 2.751 06/16/2012 - 22:36 Portuguese
Poesia/Pasión CAÍRAM AS PONTES ENTRE NÓS 0 1.671 06/10/2012 - 21:47 Portuguese
Videos/Musica Madonna - JUSTify MY LOVE 0 1.685 06/08/2012 - 22:25 Portuguese