CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Voando para viver

O que pode resultar quando se juntam conflitos familiares, tragédias e questões culturais? No caso de Passarinho, romance escrito por Crystal Chan em 2014, cuja história se desenrola na cidade de Caledonia no Estado norte-americano de Iowa, todos estes fatores resultam numa história deliciosa e comovente cuja protagonista, Joia, busca se fazer compreender ao mesmo tempo em que reflete sobre a grande tragédia que marcou indelevelmente sua família no dia do seu nascimento, doze anos atrás.
No dia em que Joia nasceu, seu irmão mais velho, John, de cinco anos, cujo apelido era Passarinho, saltou de um penhasco, morrendo em consequência da queda. Desde esse dia, seu avô paterno nunca mais falou e uma nuvem de tristeza passou a habitar a casa da família, que se tornou alvo de comentários na cidade devido ao boato de que a morte do menino teria sido causada por um espírito maldoso.
Pelo olhar sincero de Joia, vamos penetrando na rotina da família, cujos membros mal se comunicam: o avô, a quem atribuem a culpa pela morte do menino, vive encerrado no seu quarto e os pais se mantêm distantes de Joia, que sente que eles não a amam como amavam Passarinho.
Devido à solidão, Joia costuma encontrar refúgio subindo no penhasco de onde seu irmão caiu, cavar a terra para descovrir seus segredos e catar pedras. Na natureza, a menina se sente em paz, como se o espírito do irmão a acompanhasse.
Na noite do seu aniversário, Joia sai às escondidas de casa e, ao subir numa árvore, encontra um menino que diz se chamar John. A princípio, isso a assusta, pois John era o nome do seu irmão morto.
Com o tempo, vai se desenvolvendo uma amizade profunda entre os dois jovens, que dividem seus sonhos e problemas. Joia sonha ser geóloga e John, astronauta. Ambos conversam sobre os mistérios da terra e do espaço e também sobre a solidão que sentem no ambiente familiar. Enquanto Joia sente que seus pais não lhe dão atenção por só pensarem no falecido Passarinho, John, que é adotado, sente-se rejeitado.
Aos poucos, Joia vai revelando os segredos de sua família, os quais envolvem crenças da cultura jamaicana. O pai de Joia é filho de imigrantes jamaicanos e, entre as superstições jamaicanas, há a crença na existência do duppy, uma espécie de espírito maligno que atrai desgraças.
O tempo passa e John acaba tomando contato com a família de Joia, o que origina conflitos. O avô da menina que o jovem é um duppy, sendo hostil e fazendo rituais para afastá-lo e o pai dela, Nigel, vê no nome do menino um sinal de mau agouro.
Involuntariamente, John vai contribuindo para que os segredos que vêm atormentando Joia e sua família há anos comecem a ser revelados. Ao mesmo tempo, vai se descobrindo que John não é exatamente quem dissera ser.
Além de elementos da cultura jamaicana, também somos apresentados a superstições mexicanas oriundas da cultura da mãe de Joia, Rose, que é meio mexicana, ao se falar no xolo, pelado mexicano semelhante ao cachorro que, segundo os antigos astecas, guiaria os soberanos no além-túmulo.
A profissão que Joia sonha seguir, Geologia, acaba adquirindo um simbolismo importante na história. Da mesma forma que um geológo vai cavando e penetrando nas camadas da terra, Joia vai escavando e desvendando as circunstâncias da morte do irmão, a maneira como a tragédia afetou sua família, a influência das crenças jamaicanas no comportamento dos seus pais e avô; e tudo isso a faz entrar num processo doloroso de amadurecimento e autodescoberta, que a fará lutar para se afirmar como um indivíduo em busca de compreensão alheia e afirmação de sua própria identidade.

Submited by

segunda-feira, dezembro 28, 2015 - 16:09

Críticas :

No votes yet

Atenéia

imagem de Atenéia
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 anos 9 semanas
Membro desde: 03/21/2011
Conteúdos:
Pontos: 2453

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Atenéia

Tópico Títuloícone de ordenação Respostas Views Last Post Língua
Poesia/Meditação A alma do poeta 0 1.731 08/16/2015 - 19:02 Português
Prosas/Terror A casa perto da estrada 1 1.759 06/16/2014 - 03:08 Português
Poesia/Meditação A coruja 0 1.318 04/25/2013 - 14:49 Português
Poesia/Geral A força em nós 1 934 06/24/2014 - 19:58 Português
Prosas/Pensamentos A ilusão da paixão 0 1.045 08/16/2016 - 13:50 Português
Críticas/Filmes A inevitável comparação 1 1.709 04/10/2011 - 06:29 Português
Poesia/Amizade A little about you 0 2.007 12/21/2012 - 12:55 inglês
Poesia/Amizade A little about you 0 2.877 12/21/2012 - 12:55 inglês
Críticas/Filmes A lógica do medo 0 2.595 10/16/2012 - 14:49 Português
Prosas/Mistério A morte de Sofia 1. ª parte 0 1.115 02/06/2015 - 14:14 Português
Prosas/Tristeza A morte de Sofia 2.ª parte 0 1.609 02/10/2015 - 13:42 Português
Prosas/Tristeza A morte de Sofia 3.ª parte 0 1.052 03/11/2015 - 15:00 Português
Poesia/Fantasia A mulher do quadro 0 1.157 08/17/2014 - 13:19 Português
Poesia/Gótico A musa da tristeza 0 1.076 10/09/2014 - 14:49 Português
Críticas/Filmes A princesa rebelde 0 1.598 08/12/2012 - 10:53 Português
Poesia/Meditação A qualquer momento 0 1.156 08/28/2014 - 14:28 Português
Prosas/Pensamentos A questão da existência 0 1.359 07/22/2013 - 19:45 Português
Críticas/Filmes A reumanização da Fera 0 2.120 01/26/2014 - 19:59 Português
Críticas/Livros A sedução de Carmilla 0 1.396 05/01/2015 - 10:20 Português
Poesia/Gótico A velha do saco de ossos 0 1.988 11/23/2016 - 16:45 Português
Poesia/Meditação A verdade 0 1.364 12/08/2015 - 14:44 Português
Prosas/Pensamentos A vida seria mais fácil? 0 869 06/26/2015 - 14:29 Português
Poesia/Meditação Acabou o tempo 0 1.161 12/02/2015 - 20:36 Português
Poesia/Geral Afasta-te 0 939 10/04/2016 - 14:08 Português
Poesia/Meditação Again 0 1.441 11/24/2013 - 01:30 inglês