CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Amor

Quand la mort est si belle,
Il est doux de mourir.
V. HUGO

Amemos! quero de amor
Viver no teu coração!
Sofrer e amar essa dor
Que desmaia de paixão!
Na tu'alma, em teus encantos
E na tua palidez
E nos teus ardentes prantos
Suspirar de languidez!

Quero em teus lábios beber
Os teus amores do céu!
Quero em teu seio morrer
No enlevo do seio teu!
Quero viver d'esperança!
Quero tremer e sentir!
Na tua cheirosa trança
Quero sonhar e dormir!

Vem, anjo, minha donzela,
Minh'alma, meu coração...
Que noite! que noite bela!
Como é doce a viração!
E entre os suspiros do vento,
Da noite ao mole frescor,
Quero viver um momento,
Morrer contigo de amor!

Submited by

terça-feira, abril 14, 2009 - 01:08

Poesia Consagrada :

No votes yet

AlvaresdeAzevedo

imagem de AlvaresdeAzevedo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 13 anos 32 semanas
Membro desde: 04/14/2009
Conteúdos:
Pontos: 303

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AlvaresdeAzevedo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - Alvares de Azevedo 0 1.502 11/24/2010 - 00:37 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo IV — Gennaro) 0 1.670 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo V — Claudius Hermann) 0 2.086 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo VI — Johann) 0 1.613 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo VII — Último Beijo de Amor) 0 1.303 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Macário - Introdução 0 1.121 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Macário - Primeiro episódio 0 878 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Macário - Segundo episódio 0 997 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Sombra de D. Juan 0 1.067 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Na várzea 0 1.041 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral O editor 0 921 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Oh! Não maldigam! 0 1.343 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Dinheiro 0 1.186 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Adeus, meus sonhos! 0 1.200 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Minha desgraça 0 1.070 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Página rota 0 958 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo I — Uma noite do século) 0 1.241 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo II — Solfieri) 0 1.586 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Conto Noite na Taverna (Capítulo III — Bertram) 0 2.356 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Panteísmo 0 894 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Desânimo 0 1.038 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral O lenço dela 0 1.007 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Relógios e beijos 0 1.063 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Namoro a cavalo 0 1.305 11/19/2010 - 16:52 Português
Poesia Consagrada/Geral Pálida imagem 0 1.062 11/19/2010 - 16:52 Português