CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A ave triste

A ave triste

Ave triste sobrevoa quase sem força, pois viveu
boa parte de sua vida em um cativeiro seu olhar
é de desespero.

A sua liberdade não vale de nada, ela não sabe
como usá-la.

Por falta de opção e sem saber o que fazer até
com seu coração.

Está mesmo acuada foi embora outros tantos e
não tem sua mãe pra enxuga seu pranto, nem
seus irmãos pra se sentir amada.

Com certeza regressará para grilheta. A ave triste
está mesmo cansada, pois cortaram seus sonhos,
podaram-lhe suas asas.

Foi pega ainda no ovo esconderam-lhe de seu
povo.

Agora pulando de galho em galho ela passa o dia,
finge o prazer, finge alegria.

A ave triste não vive, sobrevive. Quase não canta,
pois seu canto é desesperança.

Sua alma quer altos vôos, mas seu corpo velho logo
se cansa.

A ave triste esta em extinção, mas aves de hoje manda
os homens pra prisão.

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA.(W.Marques).

Submited by

sexta-feira, abril 24, 2009 - 22:07

Poesia :

No votes yet

onovopoeta

imagem de onovopoeta
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 49 semanas 3 dias
Membro desde: 04/19/2009
Conteúdos:
Pontos: 1469

Comentários

imagem de mariamateus

Re: A ave triste

Foi pega ainda no ovo esconderam-lhe de seu
povo.

É bem verdade poeta, a falta da liberdade
destroi o que há de melhor em todo o ser vivo.

BJSSSSSSSS

imagem de Poetaminas

Re: A ave triste

Assim é conosco também. Sem a nossa liberdade, perdemos a vontade de viver.
Amigo, temos uma tribo dos poetas brasileiros. Entra lá, tá? Pela minha página, a encontrará. beijos

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of onovopoeta

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Santo do pau oco 0 734 11/03/2018 - 21:51 Português
Poesia/Geral Gemas acabrunhadas 0 444 10/19/2018 - 14:06 Português
Poesia/Geral Receio do remate 1 1.295 10/15/2018 - 16:47 Português
Poesia/Meditação Talvez um anjo 1 783 10/15/2018 - 16:46 Português
Poesia/Meditação Oscilação 1 1.406 10/15/2018 - 16:45 Português
Poesia/Geral Dito-cujo 2 625 10/15/2018 - 16:43 Português
Poesia/Geral Abstrato 2 1.193 03/15/2018 - 09:42 Português
Poesia/Amor Sobejar de paixão 2 444 03/15/2018 - 09:41 Português
Poesia/Geral Beiços de homens 1 531 02/27/2018 - 11:37 Português
Poesia/Meditação Morte e vida 1 1.061 02/27/2018 - 11:36 Português
Poesia/Amor Pétalas do amor 1 601 01/22/2018 - 14:58 Português
Poesia/Meditação 10 graças 1 745 05/29/2016 - 13:03 Português
Poesia/Geral Sinfônica saúde 0 692 04/22/2016 - 15:02 Português
Poesia/Geral Santas descabidas 0 767 02/21/2016 - 20:22 Português
Poesia/Amor Vinho triste 0 939 02/21/2016 - 20:20 Português
Poesia/Amor Lucidez abstrusa 0 1.479 12/24/2015 - 12:19 Português
Poesia/Geral Oportunista 0 726 11/07/2015 - 22:42 Português
Poesia/Geral Fluidos mínimos 0 758 09/23/2015 - 11:55 Português
Poesia/Geral Mortos odoríferos 0 1.179 07/21/2015 - 11:30 Português
Poesia/Amor Princesa do gueto (A morte da princesa). 0 1.123 06/13/2015 - 19:21 Português
Poesia/Meditação Dias encafifados 0 948 04/29/2015 - 12:07 Português
Poesia/Amor Amor de seis rimas 0 1.182 03/27/2015 - 12:29 Português
Poesia/Geral Mortos do vaso 0 994 02/15/2015 - 13:26 Português
Poesia/Amor Memórias de girasol 0 848 01/15/2015 - 11:12 Português
Poesia/Fantasia Luzes dos lampiros 0 987 12/23/2014 - 14:55 Português