CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

CONCEITO DE RAPINA


Estranho costume o daqueles
que fazem do “meu”, “seu”, também.
Sem respeito e sem pudor,
vão aumentando o que é “deles”,
da forma que lhes convém.
Para eles, sem excepções,
esta é a vida melhor
e, nesta luta de bens,
a ambição dos ladrões,
vai de mal a muito pior.

Há três tipos de rapinas
que o rapinador consome:
por cleptomania,
porque já nasceu sovina,
ou por estar cheio de fome.
Por doença, há que curá-la
com um método eficaz;
por ganância, há que vencê-la;
pela fome, há que matá-la,
porque senão..., não há Paz.

À mistura com rapinas,
há mais formas de conduta,
que inmodam muita gente,
que se exalta e se amofina
fazendo-a partir p’rá luta
pois, nesta guerra, infernal,
há que pegar-lhe pela ponta,
começando pelo imbecil
que, indiferente à moral,
alimenta o “faz de conta”.

Com discursos de fachada,
sem nada a ver com o que sentem,
deixam muitos convencidos
que a razão, arquitectada,
está do lado dos que mentem.
Mas há outros, aos milhões,
que querem fazer um cerco
a esta corja de ladrões,
que cresce, dia após dia.
Daí, termos tanto esterco.

Maria Letra
08/08/2009
 

Submited by

segunda-feira, novembro 26, 2012 - 12:36

Poesia :

No votes yet

Maria Letra

imagem de Maria Letra
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 semanas 5 dias
Membro desde: 11/20/2012
Conteúdos:
Pontos: 2223

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Maria Letra

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Poetrix SE TU AMAS A CRIANÇA 0 138 03/10/2019 - 12:34 Português
Poesia/Desilusão BASTA DE GENTE A MORRER 0 164 03/10/2019 - 12:27 Português
Poesia/Poetrix SOU CONTRA! 0 184 03/10/2019 - 12:10 Português
Poesia/Poetrix É TEMPO DE AGIR 0 162 03/08/2019 - 21:13 Português
Poesia/Geral SABER SPERIOR 0 185 03/08/2019 - 20:09 Português
Poesia/Geral MULHR_VOCÊ_É_DIVINA! 0 131 03/08/2019 - 19:32 Português
Poesia/Geral PARA ALÉM DO SUPORTÁVEL 0 170 02/27/2019 - 22:37 Português
Críticas/Outros BAILE DE MÁSCARAS PERMANENTE 0 124 02/26/2019 - 00:35 Português
Poesia/Poetrix PRAGA DE CHACAIS 0 161 02/26/2019 - 00:20 Português
Poesia/Soneto TERMOS ESTRAMBÓTICOS 0 140 02/24/2019 - 11:14 Português
Poesia/Soneto VALES PELO QUE TENS 0 173 02/24/2019 - 11:07 Português
Poesia/Geral VOOS ALTOS 0 190 02/24/2019 - 10:53 Português
Poesia/Meditação SEGUIREI... 0 297 12/31/2018 - 11:46 Português
Poesia/Amor TU VIVI IN ME - (Revizione della traduzione: Carla Ghezzo) 0 272 12/28/2018 - 16:22 Português
Poesia/Poetrix QUE FUTURO? 0 256 12/16/2018 - 06:14 Português
Poesia/Intervenção O QUE QUERO ESTE NATAL 0 331 12/15/2018 - 23:12 Português
Poesia/Intervenção QUERIA O NATAL ASSIM 0 270 12/15/2018 - 08:44 Português
Poesia/Geral CORAGEM DE SER 0 281 12/15/2018 - 08:39 Português
Poesia/Geral EXEMPLO DE UM TAUTOGRAMA 0 471 12/10/2018 - 22:39 Português
Poesia/Meditação O ALÉM E EU 0 216 12/10/2018 - 19:24 Português
Poesia/Geral NATUREZA EU TE VENERO 0 272 12/10/2018 - 17:49 Português
Poesia/Meditação LUTA CONTRA O TEMPO 0 273 12/03/2018 - 23:12 Português
Poesia/Poetrix PUNIÇÃO POR TRAIÇÃO... 0 302 11/30/2018 - 18:13 Português
Poesia/Poetrix UNIÃO PERFEITA 0 371 11/30/2018 - 17:43 Português
Poesia/Soneto DEIXA-ME VIVER, Ó VIDA! 0 242 11/30/2018 - 15:54 Português