CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O álcool e moço

O álcool e moço

Moço novo, sem esperança, há pouco era
uma criança.

Roupa bem suja, quase não é notado por
quem passa.

Seu olhar no vazio é de total e cruel
abandono, um pobre coitado.

Pele queimada do sol, garrafa de cachaça
na mão.

Os ébrios perdidos são a sua Família e
seus irmãos.

Mas eu me lembro dele, moço de bem,
trabalhador...

Agora anda triste carrega em sua face
expressão da dor.

Não é feio, se perdeu no meio de uma
sociedade discriminatória.

Onde o descaso psíquico assola e prejudica
muita gente em sua breve trajetória.

Mas ele sorri quando se embriaga na praça!!!
Quando me vê se esconde, fica meio sem
graça.

De onde vem essa falta de querer ir à luta?

Pra onde vai o moço, um ser como eu que por
um motivo ou outro ninguém mais escuta?

O NOVO POETA. (W.Marques).

O NOVO POETA. (W.Marques).

Submited by

terça-feira, fevereiro 23, 2010 - 21:14

Poesia :

No votes yet

onovopoeta

imagem de onovopoeta
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 4 semanas
Membro desde: 04/19/2009
Conteúdos:
Pontos: 1469

Comentários

imagem de Henrique

Re: O álcool e moço

Uma realidade que toca a muitos!!!

:-)

imagem de MarneDulinski

Re: O álcool e moço

LINDO POEMA, E UM ALERTA PARA AS AUTORIDADES!

Podem ser vitimas depois dos temporais, e que tiveram que abandonar sua vida na agricultura; vítimas do próprio meio, drogas conjugadas com álcool etílico; dramas familiares; separações de pais; problemas psíquicos, etc.
Que caso nossos governos fossem eficientes, e se preocupassem em fazer uma triagem, com médicos e psicólogos,profissionais da área da saúde, muitos seriam recuperáveis.
Meus parabéns pelo Poema e pelo tema,
Marne

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of onovopoeta

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Santo do pau oco 0 783 11/03/2018 - 20:51 Português
Poesia/Geral Gemas acabrunhadas 0 544 10/19/2018 - 13:06 Português
Poesia/Geral Receio do remate 1 1.442 10/15/2018 - 15:47 Português
Poesia/Meditação Talvez um anjo 1 845 10/15/2018 - 15:46 Português
Poesia/Meditação Oscilação 1 1.462 10/15/2018 - 15:45 Português
Poesia/Geral Dito-cujo 2 830 10/15/2018 - 15:43 Português
Poesia/Geral Abstrato 2 1.222 03/15/2018 - 08:42 Português
Poesia/Amor Sobejar de paixão 2 496 03/15/2018 - 08:41 Português
Poesia/Geral Beiços de homens 1 561 02/27/2018 - 10:37 Português
Poesia/Meditação Morte e vida 1 1.356 02/27/2018 - 10:36 Português
Poesia/Amor Pétalas do amor 1 713 01/22/2018 - 13:58 Português
Poesia/Meditação 10 graças 1 788 05/29/2016 - 12:03 Português
Poesia/Geral Sinfônica saúde 0 715 04/22/2016 - 14:02 Português
Poesia/Geral Santas descabidas 0 807 02/21/2016 - 19:22 Português
Poesia/Amor Vinho triste 0 1.013 02/21/2016 - 19:20 Português
Poesia/Amor Lucidez abstrusa 0 1.511 12/24/2015 - 11:19 Português
Poesia/Geral Oportunista 0 785 11/07/2015 - 21:42 Português
Poesia/Geral Fluidos mínimos 0 874 09/23/2015 - 10:55 Português
Poesia/Geral Mortos odoríferos 0 1.197 07/21/2015 - 10:30 Português
Poesia/Amor Princesa do gueto (A morte da princesa). 0 1.170 06/13/2015 - 18:21 Português
Poesia/Meditação Dias encafifados 0 1.087 04/29/2015 - 11:07 Português
Poesia/Amor Amor de seis rimas 0 1.211 03/27/2015 - 11:29 Português
Poesia/Geral Mortos do vaso 0 1.026 02/15/2015 - 12:26 Português
Poesia/Amor Memórias de girasol 0 890 01/15/2015 - 10:12 Português
Poesia/Fantasia Luzes dos lampiros 0 1.012 12/23/2014 - 13:55 Português