CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Oásis


Um lençol de água azul-turquesa ondulava, indiferente ao sol escaldante do deserto.
Cristalino, o riso da água em copos de cristal com perfume a chá de menta.
Largou o vestido nos arbustos, mergulhou, e o vento dançou nas palmeiras.
O cavalo descansava.
A menina nadava, sem se importar, porque amanhã não existe, e hoje, o tempo parou.
Foram dias e noites, semanas incandescentes, marcando passos lentos nas dunas onde o sol ardia mais.
Mergulhava agora, e renascia.
Lavava a alma, para todo o sempre, que é quanto dura um instante inquebrável de eternidade.
E a água levou a exaustão, o vento em pedra nos pulmões. Arritmias e quebras de tensão, no limiar da perda de consciência.
Areias lisas, moldadas pelo absoluto.
Nunca entendeu o fascínio desesperado que exercia sobre si o solo estéril, inanimado.
Os raios de sol em fogo. O ar filtrado a custo.
Tinha o deserto na pele. Inevitável. Permanente. Tatuagem ancestral.
Vibrava em todo o seu ser errante.

Havia um palácio das mil e uma noites, com jardins maravilhosos e flores encantadas que perfumam as estrelas.
Memorias de um tempo por viver. Imagens passageiras e difusas que acordavam a noite nos seus gritos.
Tudo o que deixaria para trás rumo à ilusão desconhecida de um oásis inventado.
Certo dia, um génio azul, soltou-se em nuvem numa caverna, e iluminou a escuridão, no fundo dos seus olhos.
Um desejo? Fugir de tudo o que conhecia.
Pediu-lhe um cavalo. Um cavalo árabe, todo branco, enfeitado com as moedas de ouro que as odaliscas fazem tintilar nos seus véus.
Um cavalo manso, que não a fizesse cair, mas valente e corajoso, que não temesse serpentes ou escorpiões, nem recuasse frente às fileiras de aço dos clãs rivais.
No dorso do seu desejo, conheceu o mundo desaparecido.
A esfinge e as pirâmides.
As galerias de escaravelhos preciosos.
O tesouro para sempre encerrado no mistério das areias.

As mulheres de negro desvendavam-se nas festas da princesa, filha do Sultão.
Eram belas como fadas em longos vestidos etéreos que as faziam flutuar.
Ouviu a música ao longe, já quase ao amanhecer.
O sol ardia no horizonte, devagarinho, desvendando sombras.
Desmontou.
No poço real o cavalo bebeu o seu reflexo.
Viu os convidados partir.
Homens de branco e mulheres de negro regressavam de camelo ao mundo das sombras que ditava os seus dias.
O palácio adormeceu… e a vida resplandecia no brilho novo da manhã.
Encheu os olhos daquela luz e contemplou a beleza do silêncio.
Clandestina, do seu porto seguro.
O Oásis onde seria feliz.
Largou os farrapos do vestido em pó sobre um arbusto e mergulhou num lago brilhante de turquesas.
O horizonte do seu deserto.
O génio sorriu de uma nuvem.
Ela ainda não sabia, mas tinha chegado a casa.
 

Submited by

sábado, julho 9, 2011 - 02:08

Prosas :

No votes yet

JillyFall

imagem de JillyFall
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 6 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 880

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of JillyFall

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor miragem 8 673 12/10/2011 - 16:27 Português
Prosas/Contos Oásis 0 686 07/09/2011 - 02:08 Português
Prosas/Contos Madrugada 2 790 07/08/2011 - 01:31 Português
Prosas/Contos Estrela da Manhã 2 1.416 04/19/2011 - 22:21 Português
Prosas/Contos Estrela da Manhã 0 1.450 04/15/2011 - 04:16 Português
Fotos/ - 3426 0 1.443 11/24/2010 - 00:55 Português
Fotos/ - 3322 0 1.412 11/24/2010 - 00:54 Português
Fotos/ - 2063 0 1.389 11/24/2010 - 00:45 Português
Fotos/ - 942 0 1.724 11/24/2010 - 00:37 Português
Anúncios/Outros - Precisa-se angariador de publicidade à comissão 0 1.648 11/19/2010 - 15:38 Português
Poesia/Aforismo fuga 0 846 11/17/2010 - 18:31 Português
Poesia/Fantasia saudade 0 1.832 11/17/2010 - 18:31 Português
Poesia/Geral fuga 0 1.548 11/17/2010 - 18:31 Português
Poesia/Amor era uma vez... 7 803 03/28/2010 - 17:44 Português
Prosas/Contos A Borboleta 1 731 03/28/2010 - 11:47 Português
Poesia/Amor viagem 2 827 03/27/2010 - 04:04 Português
Poesia/Amor diz-me.. 3 872 03/27/2010 - 03:58 Português
Poesia/Meditação think pink! 2 827 03/04/2010 - 16:11 Português
Poesia/Geral reflexo 3 683 03/04/2010 - 13:49 Português
Poesia/Amor disseste 6 661 03/04/2010 - 13:28 Português
Poesia/Amor papagaio de papel 3 780 03/03/2010 - 16:47 Português
Poesia/Tristeza melodrama 3 792 03/03/2010 - 16:36 Português
Poesia/Dedicado hoje morri 5 849 03/03/2010 - 16:07 Português
Poesia/Dedicado dia de rosas vermelhas 6 677 03/03/2010 - 16:03 Português
Poesia/Dedicado manhã 7 653 03/03/2010 - 15:14 Português