CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A Viagem

O texto abaixo, é uma adaptação de um e-mail, que eu enviei a uma amiga, a propósito de “esta nossa vida”. Ela deu-lhe o formato de crónica, o título de "A Viagem", e sugeriu-me, que o publicasse, aqui.
Eu agradeço-lhe a consideração, e o carinho, fazendo-lhe a vontade.

Gostaria muito, que ela assumisse, com clareza, a sua quota-parte de responsabilidade, que tem neste texto, e na sua publicação, assumindo a essa sua responsabilidade, estando certo, de que ela saberá, como o fazer. Porém, eu tenho que dar, a ela, a liberdade de optar por fazê-lo, ou não.

Espero, sinceramente, que ela entenda fazê-lo.

A viagem

Não deixes que a cabeça comande o teu coração, com a frieza que lhe é atribuída, como sendo uma qualidade, que não o é, necessariamente.
Apenas, o racional é tido como sendo o certo, quando, tantas vezes, nada há de errado, realmente, no que nos pede o coração.
Nada há de errado, senão nas vivências presentes, que geram mal-estar, porém, este medo de mudar (que acaba por ser, apenas, um receio de um sofrimento), pois se estamos já submetidos a ele, temos horror a que aumente, o que gera uma tremenda insegurança.
Repara, quanto de absurdo há nisto!
Estas atitudes, que tendemos a classificá-las como coerentes, nada têm de coerência, porquanto, o objectivo primeiro do indivíduo, na vida, é a felicidade, através da realização pessoal, e ninguém pode atingir a felicidade espartilhando os seus sentimentos, reprimindo as suas vontades, primeiras!
Este receio gera uma atitude, que vai prendendo as pessoas em situações de dor, de sufoco, de angústia, por ver a sua vida indo-se; esfumando, e que por causa deste medo, muitas vezes estas situações acabam por se arrastar a sua vida inteira.
Se não deixarmos, que isto aconteça, certamente, teremos enormes possibilidades de regressar a uma linha de vivência leve, alegre, sadia.
Há uma série de factores na vida de cada pessoa, que precisam ser, sempre, muito bem pensados, pois ninguém existe isolado no mundo, e a interligação, com as outras pessoas é imensa e carece ser responsável. Mas não podemos fazer, disto, uma âncora para o "navio". Esta vertente de nossa vida, que são as responsabilidades adquiridas, são a carga, e não a âncora. A carga, que temos à nossa responsabilidade, e temos que a levar a bom porto.
Assim, por vezes, para continuar a nossa viagem precisamos olhar a bagagem, que se acumulou, e seleccioná-la, pois muita já não tem serventia alguma (bem pelo contrário), deitar essa pela borda fora, tratar, e acondicionar melhor a que tem realmente de valor, mesmo, para a salvaguardarmos melhor e garantir, que a levaremos aos portos certos, nas melhores condições, possíveis, e, de igual modo, para nos facultar maior liberdade de movimento, para estarmos e "sermos" algo, no mundo. Também, para criar espaço, para que a carga a entrar no próximo porto (que pode ser de natureza diversa), sem estarmo-nos a preocupar demasiado, com a carga, que o navio vizinho carregou, ou descarregou.
Isto, por vezes, torna-se difícil e gera a insegurança!
Há que ter presente, também, que a cada escala, que se faz na vida, mais difícil se vai tornando escolher o que se carregar, porque vamo-nos tornando mais selectivos, com o passar do tempo.
Ter medo de arriscar ser feliz, é quase como assinar um contracto de permanência, numa situação de infelicidade gerada, pois cria uma inibição a evoluir.
O tempo passa e, às tantas, olha-se para trás, e vê-se uma vida vivida, numa frustração permanente, que aumenta a cada dia.
Nesta viagem, que é a vida, há que ter a sapiência de levar a carga certa, ao porto certo. Porém, há que ter o cuidado de fazer embarcar outra, que nos será preciosa, pois, senão, às tantas, acabamos por nos dar conta que deixamos o nosso navio esvaziar-se irremediavelmente, e, então começamos a nos questionar, sobre o interesse de continuar nossa viagem, por este mundo, pois esta parece perder, a cada dia, a sua razão de ser.
Nós temos obrigação de dar do nosso melhor aos outros, mas se nos descuidamos de nós, acabamos por perder a capacidade, de vivermos a nossa vida, e a de facilitar aos nossos entes, mais queridos, a nossa contribuição, na maioria das vezes, realmente, indispensável, para que sejam felizes.

Submited by

domingo, maio 9, 2010 - 19:27

Prosas :

No votes yet

apsferreira

imagem de apsferreira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 44 semanas
Membro desde: 09/21/2009
Conteúdos:
Pontos: 3457

Comentários

imagem de ÔNIX

Re: A Viagem

Nesta viagem, que é a vida, há que ter a sapiência de levar a carga certa, ao porto certo. Porém, há que ter o cuidado de fazer embarcar outra, que nos será preciosa, pois, senão, às tantas, acabamos por nos dar conta que deixamos o nosso navio esvaziar-se irremediavelmente, e, então começamos a nos questionar, sobre o interesse de continuar nossa viagem

Gostei de o ler neste texto. São assim estes encontros de palavras que nos levam por viagens, onde os encontros são calorosos

beijo

Matilde D'ônix

imagem de mariacarla

Re: A Viagem

Palavras sábias Amigo! Por onde andaste)? ;-)

beijinho aos dois

Carla

imagem de Fatima-Rodrigues

Re: A Viagem

Albano, é evidente que me declaro 'culpada' neste caso! :-D

Essas palavras mereciam ser lidas por todos, são preciosas, ainda bem que assim também o entendeste

Beijos cheios de carinho e admiração

até sempre meu amigo

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of apsferreira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral E eu escrevo... 6 2.230 02/25/2018 - 21:03 Português
Poesia/Amor Incúria 8 1.317 11/20/2013 - 17:49 Português
Poesia/Dedicado Saudade 2 1.230 01/30/2013 - 23:43 Português
Poesia/Aforismo As Pessoas, Que São Boas 0 1.102 01/28/2013 - 03:20 Português
Poesia/Aforismo Brumas, no Olhar 2 1.442 01/21/2013 - 02:54 Português
Poesia/Aforismo Ah, Catraia Tonta... 0 1.779 01/20/2013 - 20:54 Português
Poesia/Amor A Irracionalidade do Amor 2 1.250 01/20/2013 - 20:34 Português
Poesia/Amizade O Teu Sorriso 2 926 01/18/2013 - 23:29 Português
Poesia/Amor Pedido, à Minha Estrelinha 2 1.293 10/19/2012 - 13:41 Português
Poesia/Amor Será, Que Tu Já Te Apercebeste, Meu Amor? 0 1.143 10/18/2012 - 05:55 Português
Poesia/Dedicado A Cor da Vida 0 1.465 10/11/2012 - 22:19 Português
Poesia/Fantasia Eu Sonho O Teu Despertar 0 1.772 10/09/2012 - 12:14 Português
Poesia/Dedicado Quer Quer Viver Para Sempre? 0 1.076 10/05/2012 - 07:53 Português
Poesia/Amor Ouve, Meu Amor... 0 1.315 10/04/2012 - 08:01 Português
Poesia/Paixão Apenas, Imaginação... 0 1.187 09/30/2012 - 11:13 Português
Poesia/Amor Eu quero-te, porque te quero 0 1.545 09/26/2012 - 03:53 Português
Poesia/Dedicado Desejos de Amor 0 1.392 09/24/2012 - 05:38 Português
Poesia/Meditação Porquê? 0 981 09/22/2012 - 04:03 Português
Poesia/Meditação Senhor... 0 1.665 09/19/2012 - 04:28 Português
Poesia/Dedicado Eu Viajo com o Teu Sorriso 0 1.029 09/17/2012 - 11:49 Português
Poesia/Soneto Alma de Mulher 0 1.731 09/09/2012 - 20:48 Português
Poesia/Aforismo Quando Muda O Mês 0 1.148 09/01/2012 - 19:41 Português
Poesia/Meditação Por "Trinta Dinheiros" 2 1.967 08/28/2012 - 17:51 Português
Poesia/Amor Incursão 0 1.408 08/21/2012 - 19:55 Português
Poesia/Aforismo Este Meu Fado 1 1.807 08/08/2012 - 02:48 Português