CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

As loucuras na senda da luz

Apenas deixo o meu olhar vogar
e perder-se num horizonte
incandescente e rubro
e consumir-se em desejos de loucura
e prazer.

Recordo os abraços que não tive...
vivo os mergulhos de loucura inventados
e pernoito
nos brilhos ofuscantes e desenhados
pela luz.

Descanso meus passos já cansados
nas pedras gastas da calçada
que pisámos
tanta vez sem amarguras
nas tardes e nas noites
de ternura.

E quando penso agora perder-me
por outra vez
em loucuras e em desejos repetidos,
apoio a vontade reprimida
nas linhas rectas
duras
e precavidas
da sensatez.

Mas esta ânsia de perder-me
(que é quase um vício)
são mil abraços...

...que me acorrentam
me apertam
me empurram para o desejo
das noites de loucura
sem cansaços.
__________
Alvaro Giesta (Pedras em vez de rosas e núvens)

Submited by

segunda-feira, setembro 12, 2011 - 06:24

Poesia :

No votes yet

AlvaroGiesta

imagem de AlvaroGiesta
Offline
Título: Moderador Consagrados
Última vez online: há 8 anos 3 semanas
Membro desde: 12/28/2009
Conteúdos:
Pontos: 305

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AlvaroGiesta

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Tantas frases por dizer... 1 1.387 09/12/2011 - 20:41 Português
Poesia/Geral As loucuras na senda da luz 0 752 09/12/2011 - 06:24 Português
Poesia/Intervenção É preciso mudar 0 759 07/24/2011 - 21:03 Português
Poesia/Meditação FENDE A NOITE O VASTO LUAR 0 758 06/06/2011 - 12:24 Português
Poesia/Meditação o céu é longe, aqui (1) 0 1.072 06/03/2011 - 11:37 Português
Ministério da Poesia/Meditação 30. No fundo do tempo a minha alma vazia… 0 794 05/13/2011 - 12:31 Português
Ministério da Poesia/Meditação 29. Depois que a névoa cai sobre a terra… 0 883 05/13/2011 - 12:30 Português
Ministério da Poesia/Meditação 28. Sóis oblíquos 0 814 05/13/2011 - 12:28 Português
Ministério da Poesia/Meditação 27. Paredes meias habito com o sonho que cresce… 0 764 05/13/2011 - 12:27 Português
Ministério da Poesia/Meditação 26. Ficaram apenas as memórias 0 1.119 05/13/2011 - 12:26 Português
Ministério da Poesia/Meditação 25. Últimos resíduos da memória 0 1.003 05/13/2011 - 12:23 Português
Ministério da Poesia/Meditação 24. Nos umbrais da noite, o homem… 0 817 05/13/2011 - 12:22 Português
Ministério da Poesia/Meditação 23. Nos umbrais da noite, o sonho 0 1.029 05/13/2011 - 12:20 Português
Poesia/Meditação Há dias assim 0 663 05/12/2011 - 10:38 Português
Ministério da Poesia/Meditação 22. Ah! “se um dia a juventude voltasse…” 0 596 05/12/2011 - 10:03 Português
Ministério da Poesia/Meditação 21. Atropela-se o amanhecer… 0 669 05/12/2011 - 10:00 Português
Ministério da Poesia/Meditação 20. Deito-me nesta cama de espinhos... 0 711 05/12/2011 - 09:58 Português
Ministério da Poesia/Meditação 19. Multiplicam-se os suplícios… 0 670 05/12/2011 - 09:55 Português
Ministério da Poesia/Meditação 18. Onde o mar ladra furiosamente, a vida 0 697 05/12/2011 - 09:25 Português
Ministério da Poesia/Meditação 17. Onde as areias da praia se esquecem do mar… 0 1.046 05/10/2011 - 08:57 Português
Ministério da Poesia/Meditação 16. O absurdo “nada” 0 656 05/10/2011 - 08:56 Português
Ministério da Poesia/Meditação 15. As silhuetas diluem-se… 0 860 05/10/2011 - 08:56 Português
Ministério da Poesia/Meditação 14. Irados os sentidos… 0 800 05/10/2011 - 08:54 Português
Ministério da Poesia/Meditação 13. O dia em que a noite ficou mais escura ainda… 0 1.030 05/10/2011 - 08:53 Português
Ministério da Poesia/Meditação 12. Um lugar de luz e espuma 0 791 05/08/2011 - 22:16 Português