CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

NO CUME DO TEMPO

Tudo o que vejo
em ti nasce,
em ti começa a viver.

Terna a visão
deste prado com marcas
dos teus passos.

Douradas marcas
que esbateram o sol alto
no cume do tempo.

Quantas vezes
a dúvida assombra
a fluidez do sangue
neste corpo.

Pode um amor
tão alongado
caber em limites
por tracejar!

Submited by

domingo, novembro 1, 2009 - 03:02

Poesia :

No votes yet

mariamateus

imagem de mariamateus
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 29 semanas 4 dias
Membro desde: 02/24/2009
Conteúdos:
Pontos: 2987

Comentários

imagem de Mefistus

Re: NO CUME DO TEMPO

mariamateus ;
Muito lindo seu poetar, Muito intenso o modo como constrois, qual arquitecta da palavra, a forma e conteudo do poema.

Gostei bastante

um beijo

imagem de jopeman

Re: NO CUME DO TEMPO

Pode um verdadeiro amor estar limitado às eventualidades da vida? Em mim nunca o tempo apagará tais marcas, que um dia foram cravadas na tez da minha própria eternidade
Gostei imenso
Bjos

imagem de Anonymous

Re: NO CUME DO TEMPO

Maria
que belo e tocante poema!
Gostei muito.
Um abraço amigo
Vóny Ferreira

imagem de MarneDulinski

Re: NO CUME DO TEMPO

mariamateus!
NO CUME DO TEMPO

LINDO, GOSTEI!
MarneDulinski

imagem de AnaCoelho

Re: NO CUME DO TEMPO

Quando o amor nasce cabe nas linhas com os limites de tudo o que o coração consegue guardar...

Beijos

imagem de sondelamer

Re: NO CUME DO TEMPO

Muito doce e muito lindo o seu poema. A sombra da dúvida anda sempre a par com o sol alto.
Gostei de a ler e vou voltar!
Bj

imagem de RobertoEstevesdaFonseca

Re: NO CUME DO TEMPO

"Pode um coração
tão alongado
caber em limtes
por tracejar!"

Que lindo!

Parabéns,
Um abraço,
REF

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of mariamateus

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor MORRO ENTRE PALAVRAS QUE NADA TE DIZEM 1 1.169 02/26/2018 - 13:29 Português
Poesia/Dedicado RECORDAR-TE É UMA CONSTANTE 2 1.592 07/01/2013 - 21:10 Português
Poesia/Tristeza OLHO-ME 1 1.475 04/01/2013 - 09:37 Português
Poesia/Desilusão RODOPIAM COMO PEÕES 0 1.680 03/30/2013 - 20:55 Português
Poesia/Tristeza LÁGRIMAS 1 1.099 03/25/2013 - 18:15 Português
Poesia/Tristeza EM SAUDADE ME DERRAMO PELO TEMPO 1 1.218 03/16/2013 - 22:59 Português
Poesia/Desilusão QUEBRADA 1 1.481 03/08/2013 - 21:35 Português
Poesia/Tristeza PERDIDA 0 901 03/08/2013 - 02:12 Português
Poesia/Tristeza NOITE ADENTRO 4 1.744 03/05/2013 - 22:05 Português
Poesia/Tristeza NADA ME CONFORTA 1 1.354 03/05/2013 - 22:02 Português
Poesia/Tristeza LUAR QUE ABRAÇA MEUS OMBROS 0 1.130 03/02/2013 - 01:09 Português
Poesia/Tristeza CONTADAS DORES … 0 909 02/11/2013 - 13:26 Português
Poesia/Amor TEU BEIJO EM MIM 0 1.361 02/07/2013 - 15:34 Português
Poesia/Tristeza SAUDADES QUE ME CERRAM OS OLHOS 2 1.683 01/14/2013 - 22:11 Português
Poesia/Amor OLHOS PARADOS 0 1.779 12/09/2012 - 18:03 Português
Poesia/Paixão LUA MINHA 1 1.526 12/09/2012 - 00:35 Português
Poesia/Amor OLHA-ME NOS OLHOS 0 1.212 12/07/2012 - 16:59 Português
Poesia/Amor MAIS DO QUE O SOL ESCONDE A NOITE 0 1.831 12/06/2012 - 20:35 Português
Poesia/Meditação SILENCIOSA NOITE 2 1.467 12/06/2012 - 19:30 Português
Poesia/Tristeza ENTRE AS PAREDES DO MEU QUARTO 0 1.480 12/04/2012 - 19:11 Português
Poesia/Meditação AO SABOR DO TEMPO 0 1.909 11/29/2012 - 20:41 Português
Poesia/Amor BEIJO RECHEADO DE DESEJO 1 1.292 11/26/2012 - 19:50 Português
Poesia/Tristeza DESSE MAR DE SAUDADE 1 1.998 09/30/2012 - 22:33 Português
Poesia/Meditação ESSA QUE DORME AO COLO DA NOITE 1 1.931 09/25/2012 - 02:47 Português
Poesia/Meditação FRÁGEIS DEDOS 1 1.599 09/18/2012 - 22:32 Português