CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Rainha de copas

A todos aqueles que lêem livros rasos, contudo a duas moças em especial...

Temo, superficial supérflua superfície:
Haverá o que de mim em ti eu confidencie?
Tenho-te às mãos e julgo a tua imagem bonita:
Sou superficialista? O teu naipe e a tua cor
Vejo, e temo a pensar no valor do teu amor
Por palavras tão superficialmente escritas:

Rainha de copas és em meio aos hindu-arábicos,
Representação destes meus metros silábicos;
És em minhas mãos, a pose de austeridade
Mais bonita e inda assim se ponho-te virada...
Desminta-me: se não podes me ver tu nada
Vês além de tanta superficialidade!

Ó! supérflua superfície superficial,
Eu já sinto um pesar! Sinto que me leias mal
Por eu melhor, quase tão bem, ‘star escrevendo!
E por bagunçar o plano que eu tenho em mãos
Quereres temo, e grande alguma confusão
Até parece que aqui escrita já estou vendo!

Confusão uma em meio ao meu bem marcado jogo...
Podes ser rainha, mas eu sozinho não jogo.
Mesmo rainha num baralho somente há duas
Cartas posando assim, igualmente dignas.
E saiba, se isto ainda tanto não te indigna:
Rainhas, entretanto em nossas QUATRO mãos nuas!

E és de cores tão vivas e inda assim tão fria...
Contudo como é que a si mesmo tu lerias?
O teu coração reside na superfície,
És de copas e o teu amor se resume a uma imagem,
Raro pareceste ir muito além destas margens:
Eis o temor que aqui a princípio eu te disse!

Das palavras desejas se manter viva
Contudo como, se em ti o que cada uma aviva
É incapaz de dar vida às seguintes palavras?
Como apreciar se contudo cheios destes contudos
Os escritos que mais dizem então se verem mudos,
Frustrados, sem valor apesar da escrita cara?

Pense então na mão que a tua realeza desenha
E pense na tua boa mão de engendrar resenhas:
Tens um cetro e tu o moves com toda a destreza
Contudo o teu meneio logo será esquecido:
Os teus melhores livros terão merecido
Isto? Que isto faz da tua suposta realeza?

Banal, mas é profundo e imenso: reconheço.
Contudo se somente algo tem sido impresso
É o tratar supérfluo dado às obras de arte.
E a reconhecer não sou o único, e não me livro
Disto que há de ser tal a leitura dos teus livros:
Mesmo rainha ao fim de jogo serás descarte...
25 de fevereiro de 2013 – 01h 32min
João Pessoa  -  Paraíba  -  Brasil

Adolfo J. de Lima

Submited by

terça-feira, fevereiro 26, 2013 - 20:50

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Adolfo

imagem de Adolfo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 17 semanas 1 dia
Membro desde: 05/12/2011
Conteúdos:
Pontos: 3543

Comentários

imagem de Henricabilio

O que Alice sofreu às mãos da

O que Alice sofreu às mãos da Rainha de Copas...
ou não é dessa rainha que falas?!... rss.

Bom, rainha de copas, talvez e principalMente por as copas terem coração,
como coração têm os românticos e apaixonadas - mais que o costume.

E sigam céleres as boas leituras desta vida!

1 abraç0o!

_Abilio

imagem de Adolfo

Quem mais tem d'Alice nesta história sou eu. Eis minha angústia:

Pior que não, não é sobre esta rainha. Contudo eu não vou te negar, ao término do poema, que eu pensei nela e quase me arrependi como poeta, como artista, de não ter usado-a como referência nalguma destas metáforas... rss

A rainha de copas me veio a mente em devaneios, quando eu deveria ir dormir: já estava caindo no sono, mas junto à inspiração me veio a ideia de escrever naquele momento: são sobre duas amigas que muito lêem e escrevem sobre o que lêem, contudo o que eleas lêem não somente eu julgo como sendo tão escasso de profundidade: elas têm amor pelo o que fazem, de fato têm, contudo é como uma carta da rainha de copas: é bonito, mas é um tanto superficial o que elas fazem... "Banal, mas é profundo e imenso: reconheço.", E escrevendo elas duas sempre muito bens, ótimas escritoras cada uma em seu estilo eu acompanho o seu crescimento, e elogio e critico e incentivo, contudo me é em boa parte das vezes tão raso... E não é exclusicva minha a "impressão". Por isso as "QUATRO mãos". Por exemplo: elas duas nem mesmo para se "defender" quanto a este poema, quanto a esta "declaração de guerra" feito eu descrevi para elas.

Célebres a sua leitura, contudo elas poderiam as tornar ainda mais: muito torço o meu juízo a fim de não de mais torce o delas a fim disto: de celebrarmos a nossas escritas e leituras!

E sê bem vindo de novo: mania a tua de sumir, não é mesmo? =D

Um grande abraço, caro Abílio!

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Adolfo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza Cicatriz 3 183 03/21/2018 - 23:49 Português
Poesia/Soneto "Deus está morto!" 2 1.151 03/18/2018 - 20:30 Português
Poesia/Fantasia Meu pequeno mito da criação 5 471 03/18/2018 - 20:29 Português
Poesia/Desilusão 18 - Uísque 2 926 03/18/2018 - 20:28 Português
Poesia/Desilusão Uma nau sem rumo 2 461 03/18/2018 - 20:25 Português
Poesia/Soneto Ocaso 2 294 03/18/2018 - 20:24 Português
Poesia/Soneto Pontius Pilatus 1 903 02/28/2018 - 17:24 Português
Poesia/Soneto Boemia 1 402 02/27/2018 - 19:05 Português
Poesia/Paixão Konijntje 2 333 04/20/2017 - 17:11 Português
Poesia/Erótico Austeridade 2 388 04/14/2017 - 15:48 Português
Poesia/Soneto Última lua juntos 1 316 01/20/2017 - 10:50 Português
Poesia/Amor Leviatã 0 479 02/23/2016 - 00:36 Português
Poesia/Paixão A sós em Cabo Branco 2 830 08/27/2014 - 22:21 Português
Poesia/Haikai Hai-kai da lua 1 2.321 06/14/2014 - 00:07 Português
Poesia/Poetrix Do quarto-minguante 2 570 06/13/2014 - 23:35 Português
Poesia/Intervenção Choque! 0 926 06/21/2013 - 20:30 Português
Poesia/Soneto Eu quero ver a grande confusão! 0 811 06/19/2013 - 22:31 Português
Poesia/Soneto Revisão De Princípios - Fim Dos Princípios 0 1.152 04/12/2013 - 01:31 Português
Poesia/Meditação Aranhas 0 1.136 04/05/2013 - 01:49 Português
Poesia/Soneto Cochilo do ímpeto 1 898 04/04/2013 - 10:43 Português
Poesia/Soneto O bem (que) teria ficado para trás 2 531 03/26/2013 - 18:24 Português
Poesia/Soneto Tão mal, feito raro, querendo esquecer 2 909 03/26/2013 - 00:39 Português
Poesia/Soneto Revisão de princípios – A esmo nada além de si mesmo 4 628 03/19/2013 - 20:58 Português
Poesia/Pensamentos Rainha de copas 2 858 02/26/2013 - 21:55 Português
Poesia/Soneto Bárbara Barbara 0 907 02/14/2013 - 20:44 Português