CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Aquele homem que me impressionou...

Aquele homem, de estatura baixa, que cumprimentava com um aceno de cabeça ou um abano de mãos aos adultos e crianças.
Com os estudantes era sempre delicado, ao cruzar por eles na rua dava um sorriso, muitos não sabiam que ele era.
E ele nem sabia quem éramos, pois a multidão era muito grande, moças e rapazes, uniformes escolares diferentes, jalecos coloridos.
Seguia quase sempre o mesmo trajeto e visitava os mesmos cafés, conversava e pouco gesticulava.
Por vezes o vi passa cabisbaixo, pensativo sem olhar ou cumprimentar alguém, parecia preocupado ou talvez estivesse pensando e ou inspirado
Sempre de terno e gravata impecável cruzava a Rua da Praia elegante em busca dos cafés dos amigos e do bate papo, sempre à tardinha.
Os anos foram se passando e a velhice chegando, pouco o via, mas sempre olhava para ele em busca daquele comprimento alegre que agora não mais existia.
Ele não sabia quem eu era e nunca soube, mas eu o conhecia bem sabia, quem ele era, sabia de sua solidão de poeta e escritor.
Conhecia sua história e por vezes lendo seus poemas parecia conhecer-lhe a alma.
A última vez que o vi ele estava à janela de seu que quarto de hotel e eu na sacada do apartamento de parentes.
Olhei para ele e este não me olhou, estava atento ao movimento da rua, já lento estava sempre com um acompanhante.
Não me lembro bem mas ele morreria uns cinco anos depois, deste último dia em que o vi.
Nunca nos falamos, mas ele para mim em minha vida de estudante era um gênio.
São lembranças de uma estudante de Porto Alegre, do século passado.
Estas linhas que escrevo agora são recordações do passado de estudante e uma homenagem a Mario Quintana.
O maior poeta gaúcho que nunca foi agraciado com a Imortalidade da Academia Brasileira de Letras.
Quem ler há de pensar que foi uma injustiça, mas não foi, Mario Quintana, não precisava de títulos para ser Imortal.
Ele já era Imortal pela sua Obra sua sobriedade e dignidade.

Submited by

segunda-feira, agosto 3, 2009 - 05:00

Prosas :

No votes yet

marialds

imagem de marialds
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 anos 4 semanas
Membro desde: 03/31/2009
Conteúdos:
Pontos: 2887

Comentários

imagem de analyra

Re: Aquele homem que me impressionou...

lindo amiga, também acho uma injustiça com nosso gênio poeta, sou fã dele.
beijos.
O primeiro livro que li foi o "urso com música na barriga".
Grande abraço, boa de verso e boa de prosa.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of marialds

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza Separação 0 955 07/22/2015 - 20:11 Português
Poesia/Geral Veja 0 1.325 07/19/2014 - 03:55 Português
Prosas/Pensamentos Pensamentos 0 985 03/02/2014 - 02:55 Português
Prosas/Pensamentos Pensamentos 0 1.285 03/02/2014 - 02:47 Português
Prosas/Pensamentos Pensamentos 0 917 03/02/2014 - 02:41 Português
Prosas/Pensamentos Pensamentos 1 1.592 12/20/2013 - 21:17 Português
Prosas/Outros Frase 0 1.124 11/28/2013 - 00:50 Português
Fotos/Natureza Flores popularmente chamadas de "Damas da Noite" 0 1.860 11/28/2013 - 00:44 Português
Poesia/Geral Noite de Solidão 0 1.438 11/27/2013 - 23:23 Português
Poesia/Geral Fria Madrugada 2 1.702 11/27/2013 - 22:34 Português
Poesia/Geral Cotidiano 2 1.283 11/18/2013 - 00:57 Português
Poesia/Fantasia Ser em Sombras 0 1.005 05/12/2013 - 00:30 Português
Poesia/Geral A Flor da Pele 2 1.352 06/24/2012 - 21:48 Português
Poesia/Geral Solidão de nos Dois. 2 1.228 06/17/2012 - 20:39 Português
Poesia/Geral Passagem 0 952 06/17/2012 - 02:57 Português
Poesia/Geral Momentos 1 1.570 03/30/2012 - 10:04 Português
Poesia/Geral Teu Perfume 0 1.539 03/30/2012 - 05:04 Português
Poesia/Geral Espectro 0 1.284 03/30/2012 - 04:56 Português
Poesia/Geral Na Face do Menino 2 1.388 01/22/2012 - 03:59 Português
Poesia/Geral Tombados 0 1.007 01/21/2012 - 03:32 Português
Fotos/Paisagens Estrada de nuvens. 0 2.968 01/15/2012 - 22:38 Português
Poesia/Haikai Sem Titulo 0 1.344 01/15/2012 - 22:00 Português
Poesia/Haikai Sem Título 0 1.115 01/15/2012 - 21:59 Português
Poesia/Tristeza Apenas Lembranças 0 1.209 01/15/2012 - 21:56 Português
Poesia/Soneto Livro de bolso 0 2.376 09/17/2011 - 05:15 Português