CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Espiral

Espiral

Não chamo por ti, mas tenho-te esperado, confesso. Histórias passaram-se desde que tocámos o fim em placidez e o mundo nunca mais teve a mesma voz. Os meus ossos rangem no vácuo, inertes, mais frágeis e descrentes a cada instante em que não me sussurras ao ouvido. Distantes vão aqueles singulares segundos de tirar o fôlego que trocaria por anos de sonhos e ilusões. Em vez disso, conto dias sem cor que duram uma eternidade e uma eternidade de arcos-íris que, em busca da cor certa, para ela deixei fugir... Cometido tal erro, não há no cosmos um deus indulgente que perdoe a um beijo um abrir de olhos. Eu devia ter sido levado pela corrente, cego, deixando que os sentidos remassem por mim.

Agora é impossível viver sem te abraçar uma última vez, após o fazer por uma só vez. É ridículo pensar que uma só última vez seria o suficiente! O tacto que não sofro grita e propaga decepção no meu corpo e é por aí que me presumo morto. Sou um fantasma funambulista, conquanto mais perto de um remoto céu, ainda a um passo em falso de um inferno mais fundo…

Já em suspenso na escuridão, mergulho na parte oculta do icebergue e inclusive lá se revela inútil estar em todas as cabines telefónicas do universo. Amiúde perco sono por uma chamada que nunca recebo, por um toque a que não suplico mais que som. Mas nem aí, nem na liberdade nocturna, contemplo uma estrela disfuncional num milhão. Até de noite és a imagem da saudade que eu mais quero (e de novo) sentir bem longe e até de dia, à superfície, daria a visão por uma nova memória de luz.

A verdade é que necessito de voltar a conjugar o drama e a emoção como de ar nos pulmões, a realidade é que me limito a escrever uma ode aos raros e eternos momentos mortos que para sempre viverão. Sóbrio de tanto vazio, permaneço, em desvanecimento, na expectativa de perder a cabeça ao mesmo tempo que encontro o coração de tudo, quando nem em palavras te posso definir.

(02-12-2011)

Submited by

sexta-feira, agosto 16, 2013 - 01:44

Prosas :

No votes yet

Fran Silveira

imagem de Fran Silveira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 semanas 3 dias
Membro desde: 09/29/2012
Conteúdos:
Pontos: 147

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Fran Silveira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Horror Ao Vazio 0 82 05/08/2018 - 05:18 Português
Poesia/Comédia Super-Pouco (Dêem-me Um Pouco De Atenção, Por Favor, Se Faz Favor) 0 195 03/14/2017 - 23:07 Português
Poesia/Paixão Adoração 0 171 02/25/2017 - 12:48 Português
Poesia/Pensamentos (Turquesa '98) 0 206 12/29/2016 - 07:09 Português
Poesia/Fantasia Avelãs & Libélulas 1 128 12/08/2016 - 13:53 Português
Poesia/Amor Ganchos 0 190 10/26/2015 - 03:13 Português
Poesia/Fantasia (En)Canto Do Cisne Laranja 0 340 11/23/2013 - 02:57 Português
Poesia/Paixão 14 0 310 11/11/2013 - 01:12 Português
Poesia/Paixão Quimono Circunflexo 0 360 11/01/2013 - 03:28 Português
Prosas/Pensamentos Espiral 0 278 08/16/2013 - 01:44 Português
Prosas/Pensamentos Ecrã 0 384 08/15/2013 - 20:42 Português
Poesia/Fantasia Alba Atroz / Panda Crónico 0 355 07/31/2013 - 23:50 Português
Prosas/Pensamentos Transcorrer 0 278 02/11/2013 - 00:31 Português
Prosas/Outros Manifesto Depurista 0 255 02/09/2013 - 17:29 Português
Poesia/Pensamentos Memento Mori 0 340 11/29/2012 - 04:25 Português
Poesia/Pensamentos Rosa Em Azul 0 300 10/28/2012 - 20:22 Português
Poesia/Pensamentos Lanterna De Papel 3 442 10/15/2012 - 22:41 Português
Poesia/Pensamentos Anos De Chocolate 1 302 10/06/2012 - 16:17 Português
Poesia/Pensamentos Palavra Puxa Silêncio 0 238 10/06/2012 - 15:13 Português
Poesia/Fantasia Última Noite Na Ponte Dos Sonhos 0 320 10/04/2012 - 14:57 Português
Poesia/Paixão Reacção À Química 0 305 10/04/2012 - 14:54 Português
Poesia/Desilusão Enfado-me Deste Fado / Epopeia Do Fracasso 0 488 10/04/2012 - 14:44 Português
Poesia/Tristeza Catalisa Dor 0 251 10/01/2012 - 01:52 Português
Poesia/Pensamentos 1993-2008; 2011-? 0 266 10/01/2012 - 01:50 Português
Poesia/Pensamentos Ruptura Adolescente 0 282 10/01/2012 - 01:48 Português