CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

MAR DA VIDA

Nada – se no mar da vida, envoltos em bonanças e tempestades e sobreviverão sempre os mais resistentes, que lutam, para obter da vida, o que se pretende; estas vitórias são sempre as mais gloriosas; nas bonanças do mar da vida não custa nada nadar para a terra desde que se saiba nadar, porque para fazê – lo no mar da vida é preciso aprender a saber nadar para não irmos ao fundo e morrermos afogados mesmo em pouca água.

Mesmo sabendo nadar, às vezes pelo cansaço de lutar para sobreviver, temos a tendência para abandonar a vitória da vida; é  nestas circunstâncias que se destacam os mais lutadores e corajosos e amantes da vida, portanto, em circunstância alguma devemos deixar de nadar para a terra; desistir, só os fracos o fazem.

Nada pior do que deixar de nadar, ao mínimo cansaço ou contrariedade, porque a vida tem um valor inestimável e só existe uma em cada ser humano, sempre com um futuro pela frente; por ela devemos lutar até à exaustão, porque só com ela alcançaremos, a maior vitória do mundo- viver.

O homem cada vez despreza mais a sua vida, por tudo e por nada, matando – se uns aos outros, como se ela não valesse nada e como se tivessem a possibilidade de terem outras.

Nadar num mar de amor mas, lutando honestamente, para alcançarmos a felicidade, nada mais vitorioso existe mas, infelizmente, para alguns, a sua vitória, não é vencer na vida por mérito próprio, mas sim derrotar ou matar o próximo, para poderem viver com glória, com os seus argumentos da força, à sua maneira, e quanto mais derrotarem ou matarem mais heróis serão, perante a sociedade em que estão inseridos.

É este o conceito que tenho da sociedade humana e ela esquece – se que um dia, o mar da vida pode secar ou transformar – se num pântano, onde todos se podem atolar para sempre, nesse mar que ela própria criou; o homem não aprende, as lições que a vida lhe dá, tendo apenas como objectivo, a guerra, o poder e o dinheiro, esquecendo – se também que, a sua travessia neste mar é passageira e curta e que mais vale viver com amor do que com ódio que o corrompe e atropela – lhe a mente; com a bonança a possibilidade de salvar é muito maior e que não vale a pena chamar a morte precocemente, porque um dia, ela se encarregará de o fazer.

e para isso é preciso lutar muito para a vida nos dar aquilo que quisermos alcançar mas, sem impedir que os outros voltem do mar.

O homem é um animal que nunca se contenta com o que tem, quer sempre mais e mais, nem que tenha que matar o seu semelhante, vivendo num mar de inveja, se outros semelhantes têm mais do que ele, esquecendo – se que, a inveja é como uma serpente que rói o cérebro e corrompe o coração; nada disto preocupa o homem, o que ele quer é poder e dinheiro para dominar, pisando ou matando quem se atravessar na sua frente que pretenda impedi – lo de atingir o seu objectivo maligno, o dinheiro, como se fosse o ar que respira.

Nunca se deve invejar o que os outros têm mas, trabalhar honestamente que a sua sorte também há – de chegar.

Cada tem aquilo que para si deseja e por isso nunca se deve desejar aquilo que os outros alcançam como seu esforço, nem tirar o pão da boca de quem o tem; deve lutar sim para ter igual ou melhor, sem melindrar o seu semelhante, para que a consciência tenha paz.

Podem dizer que sou um poeta ou um visionário que apenas vive da ilusão mas, penso que esta ilusão de ter amor e paz para toda a humanidade, se tornasse realidade, faríamos a travessia do mar da vida muito mais felizes, pois não se deve fazer aos outros, o que não queremos que nos façam a nós.

É muito melhor fazer a travessia de consciência tranquila mesmo que seja num mar encrespado.

 

 

 

Submited by

terça-feira, dezembro 2, 2014 - 13:13

Prosas :

No votes yet

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 semanas 4 dias
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7732

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral AS ONDS DO MAR 2 379 02/24/2019 - 17:15 Português
Poesia/Fantasia O MEU NOME 0 296 12/14/2018 - 11:36 Português
Poesia/Meditação O TEMPO LEVA TUDO 0 250 09/28/2018 - 15:56 Português
Prosas/Pensamentos 34- O HOMEM 6 703 03/21/2018 - 16:04 Português
Poesia/Amor VERMELHO 0 940 09/04/2017 - 10:13 Português
Poesia/Amor UMA ORQUÍDEA PARA TI 0 924 07/17/2017 - 10:50 Português
Poesia/Meditação AS PEDRAS DOS RIOS 0 752 06/07/2017 - 09:54 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 34 0 1.042 05/24/2017 - 11:09 Português
Poesia/Amor AMO-TE COMO ÉS 0 1.129 05/24/2017 - 10:59 Português
Poesia/Meditação SABER SER FRELIZ 0 533 05/09/2017 - 16:51 Português
Poesia/Amizade TU 0 641 04/21/2017 - 11:52 Português
Poesia/Meditação PARA DE TE QUEIXAR 2 730 03/26/2017 - 20:34 Português
Poesia/Meditação PARA QUÊ MATAR? 5 685 03/24/2017 - 12:31 Português
Poesia/Meditação CHEGAR, VER E VENCER 0 721 03/13/2017 - 15:57 Português
Poesia/Amor BEIJOS TEUS 0 826 02/22/2017 - 11:12 Português
Poesia/Amor OLHANDO O MAR 0 639 02/08/2017 - 11:26 Português
Poesia/Amor SAUDADE 0 738 02/01/2017 - 11:29 Português
Poesia/Geral FRIO 0 586 01/26/2017 - 11:27 Português
Poesia/Geral FRIO 0 654 01/26/2017 - 11:23 Português
Poesia/Fantasia AS ONDAS DO MAR 0 699 01/11/2017 - 10:49 Português
Poesia/Meditação AMANHECEU OUTRA VEZ 0 735 01/04/2017 - 12:22 Português
Poesia/Alegria RIR 0 1.476 12/21/2016 - 10:58 Português
Poesia/Amor O BARCO DOS NOSSOS SONHOS 1 1.283 12/15/2016 - 14:05 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 0 749 12/07/2016 - 12:16 Português
Poesia/Amor RECORDANDO 0 649 12/07/2016 - 12:01 Português