CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO

As minhas sedes são secos leitos,
rios de rir como rugas pela cara abaixo.

Verdes palmas que as mãos agitam,
sonhos por amadurecer.

Futuros passados da cabeça,
para lá de lás que as vistas gritam.

Chorrilho de um mundo de afectos
que engrossam as ocas tintas do sentir.

Golfadas de ar fresco,

pomadas alucinogénias sobre a pele do pensar,
fogueiras de corpos sobre a pele do corpo.

Chãos que deslizam,

desistências,

que na alma avisam os músculos
das tempestades que rodeiam o olhar,
lágrimas cintilantes na escuridão da poesia.

Esperas ao relento de silenciosa saudade.

Fés como feras na mendicidade
de insanas procuras.

Encontro de incoerências,

fantasmas que os medos apalpam,
ventos que a voz diz e cala,

âncoras num deserto
onde a voz do tempo já não fala.

Areais de penitência
onde o amor semeia e colhe a solidão.
.
.
Henrique Fernandes

Submited by

quarta-feira, janeiro 21, 2015 - 17:00

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 3 dias
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.780 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.535 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.151 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.073 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.934 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 3.933 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.607 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.648 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.271 01/30/2015 - 22:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.796 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.139 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.309 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.592 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.746 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.005 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.827 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.651 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.632 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.826 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.521 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.407 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.347 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.394 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.708 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.590 01/16/2015 - 19:47 Português