CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Prato das tardes de Bordô

Acordei sentei-me à mesa
E instei ao ar
A janela
Para tomar o café de imagens imersas
Do outro lado da rua...

Vê lá, oh dona formosa com garças de seda
Espalhadas pelas lisas estrelas de pele nos seios
A salvar todos os grandes astros namorados
Vizinhos da lua e da serra dos Ciúmes
Com tormentas bravias pelas constelações

Sabores beges soltos nos eixos da beleza
Sob gotas que levam anos para encontrar chãos
Sob céus já esgotados de tão copulados,
Desde as inocentes jangadas da visagem.

Vê lá, oh dona formosa com preguiças brejeiras,
Acolhe este lugar,
Cor de
Planícies vítreas porões de céus alados,
Os pássaros cantam a nossa língua
E a montanha hospeda
De braços feitos de aconchego e deleite outonal,
Nos pensamentos que não morrem,
Nos sérios faz-de-conta soletrados,
Nos portões que se abrem sozinhos,
Na beleza das flores do mar.

O alimento é servido em pratos bordôs,
Todos são santos deuses & silêncio,
São músicas danças verões invernos,
São pombos flanando à captura dos astros do cosmo,
São varandas e eternas belas visões,
São amorosos beijos para sempre,
Para sempre.,

Submited by

terça-feira, junho 19, 2012 - 17:00

Poesia :

No votes yet

Alcantra

imagem de Alcantra
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 36 semanas
Membro desde: 04/14/2009
Conteúdos:
Pontos: 1563

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Alcantra

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor Soma de poemas 5 653 02/27/2018 - 12:09 Português
Poesia/Geral Abismo em seu libré 0 615 12/04/2012 - 00:35 Português
Poesia/Geral Condado vermelho 0 838 11/30/2012 - 22:57 Português
Poesia/Geral Ois nos beijos 1 701 11/23/2012 - 11:08 Português
Poesia/Geral Dores ao relento 0 959 11/13/2012 - 21:05 Português
Poesia/Geral Memórias do norte 1 448 11/10/2012 - 19:03 Português
Poesia/Geral De vez tez cromo que espeta 0 1.004 11/05/2012 - 15:01 Português
Poesia/Geral Cacos de teus átomos 0 669 10/29/2012 - 10:47 Português
Poesia/Geral Corcovas nas ruas 0 635 10/22/2012 - 11:58 Português
Poesia/Geral Mademouselle 0 617 10/08/2012 - 15:56 Português
Poesia/Geral Semblantes do ontem 0 447 10/04/2012 - 02:29 Português
Poesia/Geral Extravio de si 0 638 09/25/2012 - 16:10 Português
Poesia/Geral Soprosos Mitos 0 1.093 09/17/2012 - 22:54 Português
Poesia/Geral La boheme 0 876 09/10/2012 - 15:51 Português
Poesia/Geral Mar da virgindade 2 524 08/27/2012 - 16:26 Português
Poesia/Geral Gatos-de-algália 0 954 07/30/2012 - 16:16 Português
Poesia/Geral Vidas de vidro num sutil beijo sem lábios 2 651 07/23/2012 - 01:48 Português
Poesia/Geral Vales do céu 0 570 07/10/2012 - 11:48 Português
Poesia/Geral Ana acorda 1 738 06/28/2012 - 17:05 Português
Poesia/Geral Prato das tardes de Bordô 0 605 06/19/2012 - 17:00 Português
Poesia/Geral Um sonho que se despe pela noite 0 590 06/11/2012 - 14:11 Português
Poesia/Geral Ave César! 0 848 05/29/2012 - 18:54 Português
Poesia/Geral Rodapés de Basiléia 1 636 05/24/2012 - 03:29 Português
Poesia/Geral As luzes falsas da noite 0 1.351 05/14/2012 - 02:08 Português
Poesia/Geral Noites com Caína 0 829 04/24/2012 - 16:19 Português