CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

REMANDO CONTRA A MARÉ - Um texto que me identifica como cidadã

Gostaria de acreditar que este caos em que vivem as nações, mesmo as que se pensa mais estáveis, permanecerá apenas durante algum tempo, mas não consigo. A inoperância de certos programas, a indiferença e o egoísmo de certos governantes, a inflexibilidade de certos sistemas políticos, totalitaristas e mais do que ultrapassados, levam-me a admitir que o mundo está a seguir uma rota capaz de conduzir-nos a um fim indesejável. Não fosse a força dos países democráticos em levar importantes temas a discussão em inúmeras reuniões internacionais e estou convencida já teríamos tido uma Terceira Guerra Mundial. Constitui uma constante ameaça à Paz Mundial o ódio gerado entre algumas nações, seja porque seguem ideologias políticas antagónicas, onde não há espaço para atitudes democráticas de tolerância e aceitação do respeito que cada um merece, seja porque o facto de serem países ricos em petróleo os torna gananciosos, ou - talvez mais grave ainda - porque esse ódio é resultante de diferentes convicções religiosas. Entretanto, há nações muçulmanas, fundamentalistas, tais como o Irão, a Líbia e a Síria, que constituem uma ameaça pela sua cada vez mais crescente aquisição de tecnologias modernas para o fabrico de armas nucleares e, portanto, porque de fundamentalistas se trata, não podemos deixar de vê-los, também, como uma ameaça à Paz, devido às suas fanáticas crenças e ambição de aumentar o seu poder através da aquisição de armas nucleares sofisticadíssimas. Tal é ocaso da Índia, Israel e Paquistão.

Paralelamente à crise mundial, que é um facto indubitável, como se sabe, assiste-se ao crescimento de potências como a China Comunista, que está a fazer tremer os alicerces económicos de certos países da Europa. Não sei até que ponto a abertura que lhe foi concedida para comercialização dos seus produtos a nível internacional e, consequentemente, o seu enriquecimento devido ao considerável aumento das suas exportações, não venha a ser irreversivelmente lamentada, sobretudo pelo ocidente. Com a entrada no mercado de produtos chineses a um baixíssimo preço, o que temos de considerar ser bastante bem aceite por quem vê as suas possibilidades financeiras cada vez mais afectadas pela crise, vimos muitas empresas acabarem na falência. Isto é um facto indiscutível e não se vê forma de isso ser evitado porque a moral da maior parte dos fabricantes só lhes permite lutar por um objectivo: atingir elevado número de vendas, com lucros exagerados. Sabemos que o preço pago pela mão-de-obra é elevado, mas também sabemos que, dificultando a importação de produtos da China e de outros países que praticam o abuso de pagarem baixíssimos valores aos operários, que vivem miseravelmente, iria pôr termo a este tipo de exploração. Esta medida, aliada à de contenção nos lucros dos fabricantes iria certamente contornar, também, o problema. Não sendo assim, gera-se um ciclo vicioso que só beneficia e fortalece esses países, capazes de recorrerem à mão-de-obra barata, pois enquanto os outros enfraquecem, eles tornam-se fortes potências mundiais, as quais passam a constituir, igualmente, uma outra ameaça quando, a par deste crescimento, sobretudo em países de governos totalitaristas, surge a sua corrida ao armamento nuclear.

Eu não acredito, portanto, que o mundo esteja a seguir o rumo que convém à construção duma política de actuação correcta por parte dos governos a qual, se correctamente pensada e estruturados os seus fundamentos, iria permitir vivemos num mundo, senão perfeito, que pudesse ...

- acabar com o espírito do lucro excessivo,
- dar dignidade a quem está a passar por grandes dificuldades económicas no seio das suas famílias, onde a fome e o desespero se instalaram,
- dar à Natureza o seu direito de não ser agredida por constantes gestos dum menefreguismo que revolta,
- dar à criança o seu direito a um crescimento são e tranquilo, não diferente do das crianças que tiveram melhor sorte,
- dar a cada um a tranquilidade de saber que não precisará de ser rico para ter saúde,
- dar a cada criança uma educação digna de orgulhar-se quem dela irá beneficiar , i.e., ela própria, em todos os sentidos, quando adulta.

Para quando podermos acreditar que tudo isto possa ser possível, se continuamos a assistir à defesa de estratégias materialistas onde a avaliação de valores tende a favorecer o tacho de grandes egoístas, em vez de respeitar o bem-estar de quem sofre? Luto por uma resposta traduzida em actos, não em discursos que há muito saturaram muita gente, gente essa que se tornou indiferente à luta de que carecemos. Não necessitamos de discursos cheios de laços e rendas para satisfazer a sede de protagonismo de muitos, nem de vendedores de pomada Santa Banha de Gibóia que não cura absolutamente NADA. Precisamos, URGENTEMENTE,  isso sim, de Homens de Boa-Vontade para os quais o seu bem pessoal está intrinsecamente ligado ao bem estar do seu próximo.

Maria Letra

Submited by

terça-feira, novembro 20, 2012 - 16:58

Prosas :

Average: 3 (1 vote)

Maria Letra

imagem de Maria Letra
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 7 semanas 5 dias
Membro desde: 11/20/2012
Conteúdos:
Pontos: 2223

Comentários

imagem de Henricabilio

a vitória do ego

Cada vez mais remamos contra a maré e a humanidade está num ciclo vicioso
para o qual não se vê saída sem que haja sangue, suor e lágrimas.

Parece que ciclicamente a humanidade se deixa enlear em duras teias
de dramatismo, a maioria das vezes sob o patrocinio do malvado ego,
que não consegue perceber que o que é bom para uns pode ser dramático
para outros.

Um tema cada vez mais atual e ao qual a literatura não pode ficar indiferente.

1 abraç0o de Boas Vindas à colega do Recanto das Letras!

Abilio Henriques

imagem de Maria Letra

REMANDO CONTRA A MARÉ

Muito obrigada, colega do Recanto das Letras! Estarei lá já por muito pouco tempo. Não estava satisfeita.
Irei visitá-lo agora mesmo à sua página para deixar o meu comentário. Um abraço reconhecido.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Maria Letra

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Poetrix SE TU AMAS A CRIANÇA 0 171 03/10/2019 - 12:34 Português
Poesia/Desilusão BASTA DE GENTE A MORRER 0 203 03/10/2019 - 12:27 Português
Poesia/Poetrix SOU CONTRA! 0 209 03/10/2019 - 12:10 Português
Poesia/Poetrix É TEMPO DE AGIR 0 178 03/08/2019 - 21:13 Português
Poesia/Geral SABER SPERIOR 0 227 03/08/2019 - 20:09 Português
Poesia/Geral MULHR_VOCÊ_É_DIVINA! 0 150 03/08/2019 - 19:32 Português
Poesia/Geral PARA ALÉM DO SUPORTÁVEL 0 200 02/27/2019 - 22:37 Português
Críticas/Outros BAILE DE MÁSCARAS PERMANENTE 0 163 02/26/2019 - 00:35 Português
Poesia/Poetrix PRAGA DE CHACAIS 0 188 02/26/2019 - 00:20 Português
Poesia/Soneto TERMOS ESTRAMBÓTICOS 0 165 02/24/2019 - 11:14 Português
Poesia/Soneto VALES PELO QUE TENS 0 196 02/24/2019 - 11:07 Português
Poesia/Geral VOOS ALTOS 0 231 02/24/2019 - 10:53 Português
Poesia/Meditação SEGUIREI... 0 325 12/31/2018 - 11:46 Português
Poesia/Amor TU VIVI IN ME - (Revizione della traduzione: Carla Ghezzo) 0 296 12/28/2018 - 16:22 Português
Poesia/Poetrix QUE FUTURO? 0 293 12/16/2018 - 06:14 Português
Poesia/Intervenção O QUE QUERO ESTE NATAL 0 357 12/15/2018 - 23:12 Português
Poesia/Intervenção QUERIA O NATAL ASSIM 0 293 12/15/2018 - 08:44 Português
Poesia/Geral CORAGEM DE SER 0 301 12/15/2018 - 08:39 Português
Poesia/Geral EXEMPLO DE UM TAUTOGRAMA 0 523 12/10/2018 - 22:39 Português
Poesia/Meditação O ALÉM E EU 0 234 12/10/2018 - 19:24 Português
Poesia/Geral NATUREZA EU TE VENERO 0 309 12/10/2018 - 17:49 Português
Poesia/Meditação LUTA CONTRA O TEMPO 0 300 12/03/2018 - 23:12 Português
Poesia/Poetrix PUNIÇÃO POR TRAIÇÃO... 0 332 11/30/2018 - 18:13 Português
Poesia/Poetrix UNIÃO PERFEITA 0 425 11/30/2018 - 17:43 Português
Poesia/Soneto DEIXA-ME VIVER, Ó VIDA! 0 257 11/30/2018 - 15:54 Português