A inevitável comparação

Quem assistiu à primeira versão de Bravura Indômita, protagonizada pelo inesquecível John Wayne, não resistirá à tentação de compará-la à versão atual, com Jeff Bridges, Hailee Steinfield e Matt Damon. No filme, Mattie Ross, menina de apenas 14 anos, mas com muito senso prático e uma visão já bastante amadurecida das agruras da vida, pede ajuda a Rooster Cogburn para caçar o assassino de seu pai. Enquanto ela negocia os termos do acordo, junta-se a eles um Texas Ranger, Mr. Laboeuf. No início, os três não se dão bem. São três pessoas de temperamento forte e divergem quanto ao que farão com o bandido quando o pegarem mas, no decorrer dessa jornada, vão aprendendo a se conhecer e desenvolvem uma relação de amizade. 

O novo Bravura Indômita tem um bom elenco, que convence na construção dos personagens. Hailee defende seu papel com dignidade e nos dá uma ideia clara da personalidade de Mattie: uma menina ainda muito jovem mas com uma compreensão precoce de que  o Velho Oeste não é lugar para os fracos e ser forte é uma obrigação, se se quiser sobreviver e fazer valer seus direitos. Mattie não passa exatamente por uma jornada de amadurecimento. Desde o começo da história, ela já tem um comportamento adulto e sem sutilezas. Ajudava o pai a cuidar dos negócios, revendeu os cavalos que ele havia comprado, cuidou do seu funeral e parte em busca do assassino numa viagem cheia de perigos, lidando com homens moldados por uma vida sem confortos e um ambiente áspero.Matt Damon está perfeito como o arrogante texano que deseja pegar o bandido e ganhar uma recompensa.

Obviamente, não se pode esperar que o Rooster Cogburn de Jeff Bridges seja igual ao de John Wayne. Jeff Bridges é um excelente ator e interpreta com esmero um personagem valente, grosseiro, calejado por uma vida que não tem piedade para com os fracos mas o seu Rooster Cogburn não tem o vigor do de John Wayne. Enquanto o Cogburn da primeira versão exalava uma energia magnética, o de Bridges passa uma impressão de decadência. A cena em que Cogburn e Laboeuf disputam para ver quem atira melhor chega a ser patética. Temos a impressão que Cogburn está tentando provar não ao texano, mas a si mesmo, que ainda é capaz das proezas que outrora realizava sem dificuldade.

A versão dos irmãos Coen também é mais sombria. O cenário é escuro, sem as paisagens exuberantes que caracterizavam o filme de 1969. Além disso, o filme nos passa uma imagem amarga do que deveria ser a existência naquele lugar e época. O filme Bravura Indômita nos faz pensar na antiga afirmação de que o homem é produto do meio: quem vivia em um ambiente inóspito e brutal, deveria ser também áspero e brutal, ou não sobreviveria. Não havia espaço para suavidade ou fraqueza.Cogburn, Mattie e Laboeuf são a prova viva de que quem queiser sobreviver deve se tornar igual ao lugar que o cerca.

Submited by

Sunday, March 27, 2011 - 02:07

Críticas :

No votes yet

Atenéia

Atenéia's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 3 years 9 weeks ago
Joined: 03/21/2011
Posts:
Points: 2453

Comments

FernandoM's picture

Obrigado

Tava precisando de uma opnião sobre os dois filmes.

Add comment

Login to post comments

other contents of Atenéia

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Poesia/Disillusion Don't call me anymore 1 1.822 03/14/2018 - 13:22 English
Poesia/General Now, we are together 1 2.159 03/13/2018 - 21:29 English
Poesia/Fantasy Give me wings 1 1.778 03/13/2018 - 21:29 English
Poesia/Love How can I show you 1 2.110 03/13/2018 - 16:48 English
Poesia/Sadness You'll never be forgotten 2 2.263 03/10/2018 - 13:37 English
Poesia/General Não haverá mais segredos 1 1.094 02/09/2018 - 10:39 Portuguese
Poesia/Sadness We're never ready to say goodbye 0 2.226 03/12/2017 - 11:42 English
Poesia/Love Sentimentos 0 1.235 01/19/2017 - 23:46 Portuguese
Poesia/General Irmão 0 1.289 01/07/2017 - 21:42 Portuguese
Poesia/Disillusion I'll never see you again 0 2.051 01/03/2017 - 15:02 English
Poesia/Disillusion O seu melhor 0 2.035 01/03/2017 - 14:58 Portuguese
Poesia/Disillusion O último adeus 0 1.305 12/28/2016 - 16:36 Portuguese
Poesia/Meditation Aonde pensamos 0 1.400 12/28/2016 - 16:32 Portuguese
Poesia/Gothic A velha do saco de ossos 0 1.985 11/23/2016 - 16:45 Portuguese
Poesia/Gothic Presenças espectrais 0 1.496 11/23/2016 - 16:36 Portuguese
Poesia/Disillusion Don't come back to me 0 1.814 11/17/2016 - 16:11 English
Poesia/General Teu grito 0 1.630 11/17/2016 - 16:08 Portuguese
Poesia/Gothic Peso morto 0 1.930 11/16/2016 - 23:36 Portuguese
Poesia/Disillusion Learn to live alone 0 3.403 11/12/2016 - 11:23 English
Poesia/Meditation Torta 0 1.513 11/10/2016 - 16:23 Portuguese
Poesia/Gothic O coração dilacerado 0 2.052 11/07/2016 - 15:48 Portuguese
Poesia/Fantasy O presente 0 1.645 11/07/2016 - 15:45 Portuguese
Poesia/Love Ready to love 0 2.430 10/27/2016 - 21:42 English
Poesia/Love Laços 0 1.920 10/27/2016 - 21:38 Portuguese
Poesia/Fantasy Esta loucura 0 2.805 10/26/2016 - 16:18 Portuguese