LÁPIS DE SER

Que bofetada é este vento de navalhas
com que cada conjuntura barbeia
as rijas barbas do tempo?

Encarquilhada cara dos pensamentos
onde o pulsar do coração semeia
robustas lágrimas no olhar.

Que sopro é este entoar
de uma multidão de insanas vozes
que despenteiam as árvores dos sentimentos?

Pecantes maçãs pelo chão dos pomares do corpo.
Que quedas são estes anoiteceres em solidão?

Que bagaço entreva em nós a sombra
que nos tece a sede que a arde submersa
nos confins de uma espera que nada espera?

Que sóis as manhãs beijam sem sono
para adormecer os luares sem dono
sobre os horizontes da tristeza?

Com que mares a alma se eclipsa
entre saudade e dor?

Por que anseios as mãos se bronzeiam de amar?
Que palavras sente a boca neste silêncio?

Por que explosões
os lábios gritam aquele beijo
que o amor em desespero jorra e chora?

Que invisível será a cor o adeus?
Que veneno envenena a fome de crer?

Que curvas a escuridão esconde
nas rectas que o medo acende em tanto vazio?

Em que poço de águas turvas
a poesia se apinha de louca serpentinas
que se enroscam e se dissimulam no lápis de ser?
.
.
Henrique Fernandes

Submited by

Viernes, Enero 16, 2015 - 20:47

Poesia :

Sin votos aún

Henrique

Imagen de Henrique
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 5 años 6 semanas
Integró: 03/07/2008
Posts:
Points: 34817

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Henrique

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Videos/Otros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.997 06/11/2019 - 09:39 Portuguese
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.616 03/06/2018 - 21:51 Portuguese
Poesia/Pensamientos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.220 02/28/2018 - 17:42 Portuguese
Poesia/Pensamientos APALPOS INTERMITENTES 0 2.142 02/10/2015 - 22:50 Portuguese
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.990 02/03/2015 - 20:08 Portuguese
Poesia/Pensamientos ISENTO DE AMAR 0 4.009 02/02/2015 - 21:08 Portuguese
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.686 02/01/2015 - 22:51 Portuguese
Poesia/Pensamientos PELO TEMPO 0 1.687 01/31/2015 - 21:34 Portuguese
Poesia/Pensamientos DA POESIA 0 5.423 01/30/2015 - 23:06 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO AMOR 0 1.830 01/30/2015 - 21:48 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO SENTIMENTO 0 2.261 01/29/2015 - 22:55 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO PENSAMENTO 0 2.363 01/29/2015 - 19:53 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO SONHO 0 1.631 01/29/2015 - 01:04 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO SILÊNCIO 0 2.826 01/29/2015 - 00:36 Portuguese
Poesia/Pensamientos DA CALMA 0 2.174 01/28/2015 - 21:27 Portuguese
Poesia/Pensamientos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.872 01/27/2015 - 22:48 Portuguese
Poesia/Pensamientos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.750 01/27/2015 - 16:59 Portuguese
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.754 01/26/2015 - 20:44 Portuguese
Poesia/Pensamientos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.918 01/25/2015 - 22:36 Portuguese
Poesia/Pensamientos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.560 01/22/2015 - 22:32 Portuguese
Poesia/Pensamientos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.465 01/21/2015 - 18:00 Portuguese
Poesia/Pensamientos PALAVRAS À LUPA 0 2.389 01/20/2015 - 19:38 Portuguese
Poesia/Pensamientos MADRESSILVA 0 1.426 01/19/2015 - 21:07 Portuguese
Poesia/Pensamientos NA SOLIDÃO 0 1.753 01/17/2015 - 23:32 Portuguese
Poesia/Pensamientos LÁPIS DE SER 0 1.662 01/16/2015 - 20:47 Portuguese