CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

AZEDAS TETAS DA REALIDADE …

Grito palavras que me dizem,
que me ecoam e me contradizem,
que trucidam e amordaçam o silêncio do meu ser.

Esbofeteio as ventas do tempo
com másculos gestos que maniatam
os irrequietos suspiros da minha solidão.

Despisto os suores do corpo
por entre os troncos de uma insónia
suspensa nos barulhos da madrugada.

Lágrimas de dores vivas e frias.

Jorros de vazias horas
e choros sem rosto sobre altares de nada
onde morrem os meus melancólicos olhares.

Excêntricos caos como boémias peugadas
dos meus andares.

Inundações de gatafunhos,
rascunhos de sombras da cor da sombra.

Indizíveis beijos
em que desmaio louco sem insanidades.

Inexatidões que me elevam a alma.

Desejos sem calma como para-raios de trovões

que a tempestade do meu pensar cospe
sobre as línguas insípidas e mudas do meu amar.

Panorâmicas indominadas,
ignorações como fachadas de cornos e lumes brandos.

Pontes para nenhures arqueadas,
fontes bizarramente pontapeadas por sedes
que jazem na claustrofobia de caixões de betão urbano.

Sonhos deslocados para jusantes desmamados
de azedas tetas da realidade.

.
.
.
.

Submited by

sábado, junho 22, 2013 - 20:36

Poesia :

Your rating: None (4 votes)

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 6 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.996 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.613 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.219 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.140 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.988 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.009 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.685 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.685 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.422 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.830 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.255 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.363 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.630 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.826 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.169 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.872 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.749 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.751 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.918 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.560 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.464 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.389 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.426 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.753 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.662 01/16/2015 - 20:47 Português