CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

CÁRCERE LÂNGUIDO

Exorto ao socorro
destrancado na primazia nocturna
que persegue as galáxias do meu estar.

Esquecida vida
me apoquenta soturna
no antro dos medos flácidos.

Desarrumo dor em queda
que fere a clonagem das estrelas
no pólo íntimo dos meus frios ácidos.

Convencido de nada
inverto a agonia grosseira
no escombro iminente que povoa
a eira da minha alma viciada em tudo.

Derroco o fogo num cenário vadio, mudo.

Turva água adubada
em leito de desejo incumprido
na sola dos meus ecos falhados.

Saque de fé
das rezas incontinentes,
que gritam as grutas do fim ignoto
na maré da raiva que lasca o ego da barba.

Soterro a voz
nos mosaicos do tempo
ancorado nas correntes do saber
assinado de rugas por alhadas semblantes.

Difuso resgate
das mãos do cárcere lânguido
das genicas da mente desmaiada
no esmeril dos ontem castrados da fama.

Seca luz bisturi
que me escreve nos olhos
a catástrofe da ordem da morte.

Sorte de quem ama.

Disciplinado caos
na estrofe do vento papa-léguas.

Antígono castigo
me afunila reincidente.

Amante.

Néscias tréguas
esfumadas em teses de lixo
me fraseiam no abuso das palavras,
sepultadas no pó dos livros por escrever.

Forjada forra me desforra
leitura forreta das vísceras do Eu.

Submited by

terça-feira, abril 13, 2010 - 14:30

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 7 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de nunomarques

Re: CÁRCERE LÂNGUIDO

Uma complexa viagem interior às ansiedades do ser, a tentação de viver tudo, a consciência do tempo e o medo inerente ao não ter tempo.

Muito bom.

Abraço
Nuno

imagem de vitor

Re: CÁRCERE LÂNGUIDO

Creio sem certezas, que você pede auxílio para combater seus medos, pisando e abusando caminhos como um fora-da-lei, amando e escapando à disciplina do amor como um reincidente... o antro de seus vícios.

Abraço.
Vitor.

imagem de danyfilipa

Re: CÁRCERE LÂNGUIDO

"Turva água adubada
em leito de desejo incumprido
na sola dos meus ecos falhados. " - os fracassos da vida...
gostei particularmente destas palavraas...
(nao desfazendo todo o resto do poema ;-))

beijo

imagem de Librisscriptaest

Re: CÁRCERE LÂNGUIDO

"Esquecida vida
me apoquenta soturna
no antro dos medos flácidos."

A vida q se esmifra ma inquietação da emeferidade e da perda consequente, numa cadencia gradual, de tudo aquilo q nos compõe...
Ja tinha saudades de te ler, tenho andado desncontrada da tua escrita!!
Beijinho em ti!
Inês

imagem de Henrique

Re: CÁRCERE LÂNGUIDO

Alcantra:

"Ter vício é querer extrair o máximo de algo".

Descodificaste 70% do poema!!! Foste genial!!!

Abraço

imagem de Alcantra

Re: CÁRCERE LÂNGUIDO

Bem construido no altar paradoxal do medo e a sede de viver (vício pelas coisas). Ter vicío é querer extrair o máximo de algo.

Alcantra

imagem de Henrique

Re: CÁRCERE LÂNGUIDO

A idade avança e o medo, o medo basta respirar!!!

:-)

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.063 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.635 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.249 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.154 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 2.008 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.021 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.714 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.702 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.468 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.849 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.302 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.380 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.649 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.865 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.206 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.881 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.776 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.783 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.946 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.566 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.481 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.400 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.438 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.772 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.685 01/16/2015 - 20:47 Português