CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

INTERVALO DE AMOR

Persigo o brilho
que me transcende
as entranhas da vontade de viver.

Olho em mim
o valor de quem reaprende
e em todos os rumos voltar a nascer.

Ingiro a vida
como sobremesa
sem pressa dopada de sonhos audazes.

Nutro a paz
pelo belo da natureza
dando-me apetites vorazes.

Devoro
cada instante
sobre um planalto de pétalas
num enlouquecer de amor flamejante,
descodificando entre as sombras o meu atlas.

Depois de um dia
outro dia vem num intervalo
de noites nobres na burguesia
que a alma tem rica em tristezas pobres.

Submited by

quinta-feira, julho 9, 2009 - 00:13

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 41 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de Anonymous

Re: INTERVALO DE AMOR

Olá Henrique,

Por vezes são necessários os intervalos de amor... apreciam-se outras vertentes...

gostei deste poema

beijo

Breizh

imagem de angelalugo

Re: INTERVALO DE AMOR p/ Henrique

Olá caro amigo Henrique

"Devoro
cada instante
sobre um planalto de pétalas
num enlouquecer de amor flamejante,
descodificando entre as sombras o meu atlas."

O poema no todo está belo, mas estes versos
estão geniais...Amei

Beijinhos no coração

imagem de meninadorio

Re: INTERVALO DE AMOR

Nos intervalos entre um dia e outro, vejo o amor com grande boca, nutrindo-se entre pétalas!

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos DA POESIA 1 6.070 05/26/2020 - 22:50 Português
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 38.388 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 2.072 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.760 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.640 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 2.435 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.432 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 3.260 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 2.045 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 2.333 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.763 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.734 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 2.063 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 3.435 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.800 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 2.328 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 2.282 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 2.228 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 3.349 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.954 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.780 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.839 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.807 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 2.069 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 2.145 01/16/2015 - 19:47 Português